Tempos atrás criei uma tradição aqui no blog: encerrar o ano escolhendo os melhores posts do ano. Mas 2014 não foi um ano como os outros. Ele foi regido pela instabilidade (geográfica, legal, emocional e financeira) e pela primeira vez desde que criei o Papacapim, no início de 2010, abandonei o blog por várias semanas consecutivas, várias vezes. As dificuldades pessoais foram tamanhas que não pude manter o ritmo regular de postagens que sempre tive, tirando uma ou outra exceção, e teve períodos onde as teias de aranha reinaram por aqui. Ao ponto de ter chegado a receber um email de uma leitora perguntando se o blog tinha acabado.

Por isso a lista dos melhores posts desse ano será mais curta do que a dos anos anteriores e não terá nenhuma receita (ou quase). Quando tentei escolher minhas receitas preferidas de 2014 percebi que publiquei poucas esse ano, mas que, talvez justamente por isso, todas elas são muito especiais pra mim. Esse ano vou dar uma de mãe e declarar que amo todas as minhas crias do mesmo jeito. Se você ainda não viu o que saiu da minha cozinha em 2014 recomendo que leia tudo com atenção. Esse ano a safra foi reduzida, mas recheada de pérolas.

Então aqui vai minha seleção, um mix de coisas relacionadas ao veganismo, histórias pessoais e pessoas maravilhosas que me deram a honra de aparecer por aqui.

Guia Vegano de Amsterdã. O mais completo e saboroso que fiz até hoje.

Um questionário muito especial, respondido pela minha melhor amiga e por mim (e a sobremesa que encantou todas as pessoas que a provaram).

Quando me apaixonar não estava nos meu planos, mas aconteceu mesmo assim.

O post que respondeu uma das perguntas que me fazem com mais frequência.

Entrevistei pessoas incríveis esse ano. Bárbara e Suzy, que se juntaram à Ingrid e compartilharam dicas de alimentação saudável pra crianças. Lobo e Samara, contaram como o veganismo entrou em suas vidas. E o discurso forte e revelador de Haidi, uma ativista israelense.

Quando expliquei o silêncio por aqui e provoquei uma enxurrada de comentários transbordantes de afeto, o que me emociona sempre que volto lá.

E, claro, o tour vegano na Palestina, com depoimentos dos participantes.

Obrigada por terem acompanhado o blog, apesar das ausências e das teias de aranha. Que 2015 seja luminoso pra todos nós e recheado de delícias vegetais. E está aberta a temporada de pedidos de posts pro ano que vem: não sejam tímidos!