Visitei Amsterdã pela primeira vez onze ou doze anos atrás e embora a viagem tenha sido muito agradável, com exceção de um episódio extremamente embaraçoso que envolveu um baseado (prefiro não comentar), não lembrava de quase nada da cidade. Um canal, uma bicicleta vermelha alugada, um quadro de Van Gogh e uma dúvida: eu visitei ou não visitei a casa de Anne Frank? E, curiosamente, minhas memórias gastronômicas dessa viagem são completamente inexistentes. Tenho certeza que me alimentei durante os dias que estive por lá, mas tirando um enorme queijo gouda com cominho, não lembro do que passou pela minha boca (teve o infame baseado, mas já combinamos que é melhor não comentar episódios embaraçosos do passado). Na época eu ainda era onívora e meu interesse por comida, embora presente desde sempre, não era tão aguçado quando ele é hoje.

Por isso voltar à Amsterdã foi como descobrir a cidade pela primeira vez. Tenho duas amigas holandesas veganas (uma delas me hospedou) e perguntei quais eram os seus restaurantes/cafés/lanchonetes preferidos. Também dei uma olhada no site Happy Cow, fiz uma lista com as dicas das minhas amigas e tudo o mais que me pareceu interessante por lá e passei cinco dia comendo tudo que consegui colocar no estômago. Querido(a)s leitores, Amsterdã é um paraíso vegano! Tem opções pra todos os gostos e bolsos: restaurantes gastronômicos, fast-food, cafés aconchegantes, lanchonetes, squats que servem comida…

IMG_7787

Meu tempo, espaço no estômago e orçamento eram limitados, então muita coisa da minha lista ficou de fora. Eu sempre fico dividida entre comer somente em lugares veganos ou visitar também restaurantes vegetarianos e tradicionais. Meu coração bate pelos lugares 100% veganos por vários motivos. A alegria de abrir um cardápio e saber que você pode pedir TUDO ali não tem preço (só quem é vegano entende isso), mas também prefiro gastar meu dinheiro em lugares que oferecem uma culinária totalmente livre de crueldade. Eu vou sempre preferir apoiar projetos que estão alinhados com os meus princípios e sei que ao gastar meu dinheiro nesses lugares também estou contribuindo pra que o mercado vegano aumente (bom pro planeta, bom pros animais e bom pras papilas dos veganos!). Mas também gosto de ver o que restaurantes ‘tradicionais’ estão oferecendo aos seus clientes veganos e sei que ao pedir o (às vezes único) prato veg do menu estou mandando a seguinte mensagem pro dono do restaurante: “Algumas pessoas são veganas e elas vêm comer aqui. Você tem tudo a ganhar ao aumentar a oferta de pratos vegetais.” E, claro, às vezes saímos pra comer com pessoas onívoras, então é ótimo saber que é possível encontrar pratos que satisfaçam os gostos e respeitem as convicções de todos em um mesmo lugar.

Então esses foram os lugares que visitei durante a viagem. Pela primeira vez na série “Guias Veganos” eu usei um sistema de estrelas (de 1 à 4) pra descrever a minha satisfação com o ambiente, o serviço e a comida. Uma estrela significa ‘ruim’, duas = ‘bom’, três = ‘muito bom’ e quatro = ‘ótimo’. E uma palavrinha sobre os preços. Amsterdã não é uma cidade barata, embora seja mais acessível que outras capitais europeias (Paris e Londres, por exemplo). Mas achei que o preço da comida nos lugares que visite era relativamente razoável, com pouca diferença de um lugar pra outro. A única exceção é o restaurante-squat MKZ, que é baratíssimo, mas explico isso na descrição do lugar.

Vegabond

Leliegracht 16

Mercearia com produtos orgânicos/veganos (vende um ou outro produto vegetariano) que também funciona como café vegano. Vende sopa, sucos naturais, sanduíches (pão preto ou baguete) com tofu e queijo vegano, cupcakes, chocolates crus e, claro, bebidas quentes e geladas. O lugar é uma fofura, mas achei a comida mais ou menos. Pedi um sanduíche com tofu mexido e queijo (não sou fã de queijos veganos industrializados pois acho que a maioria tem gosto de margarina, mas estava curiosa pra experimentar), que não me deixou muito impressionada, e um brownie (gostoso, mas meio seco). Vende sorvete vegano da marca holandesa Professor Grunschnabel, feitos à base de leite de coco e com sabores bem originais (ótimos, embora um pouco doce demais pro meu paladar). O preço da comida é razoável, mas achei os produtos da mercearia um pouco caros. Como o pessoal é uma simpatia só e o lugar é lindo, aconselho ir lá pra tomar um cappuccino enquanto admira as pessoas desfilarem na rua (se, como eu, você gosta dessa atividade).

Ambiente: ****

Serviço: ****

Comida: **

IMG_7806

IMG_7792

IMG_7798

IMG_7790

IMG_7802

DopHert 

Spaarndammerstraat 49

Um ótimo endereço vegano pro café da manhã: tem iogurte de soja com granola e frutas, café da manhã clássico ou Inglês (com chouriço de seitan, tofu mexido, feijão branco com tomate…), bebidas quentes e geladas, sucos naturais… Também oferece sanduíches (pão integral com sementes ou branco) com ingredientes interessantes (hummus, seitan, tempeh bacon, abacate, pesto, maionese vegana…), sopas, saladas e algumas sobremesas. Tomei um suco delícia (erva-doce -o legume-, salsão, cenoura e maçã) que me fez quebrar o preconceito que eu tinha com salsão no suco (sempre achei que ficaria ruim, sem nunca ter provado). Pedi um sanduíche de chouriço de seitan (feito no local) porque a proposta era tentadora, mas não tem quem me faça gostar de seitan (acho a textura muito borrachenta). Tenho certeza que os outros sanduíches são melhores. Também provei o brownie-torta de chocolate e amendoim e ele estava tão bom que me fez esquecer o danado do seitan. Os preços são bem bacanas e as porções generosas. Você pode sentar na calçada (se o tempo permitir) ou na sala colorida que fica no primeiro andar. Eles tiveram a ótima ideia de espalhar livros de culinária vegana (alguns em Inglês!) sobre as mesas pra distrair os clientes e agora vou torcer pra que todos os restaurantes vegs façam o mesmo.

Ambiente:****

Serviço: ****

Comida: ***

IMG_7882

 IMG_7873

IMG_7874

IMG_7877

IMG_7878

De Vegetarische Slager (“O açougueiro vegetariano”)

Rozengracht 217

Fazia tempos que eu queria visitar esse lugar. Eu tinha ouvido falar muito dos produtos que reproduzem com perfeição diferentes tipos de carne, frango e atum usando ingredientes vegetais. Quase tudo é à base de soja, mas alguns produtos são feitos só com vegetais e outros com tremoço. Apesar de tudo ser vegetariano, só alguns produtos são veganos (o frango, um tipo de carne e um tipo de bacon). A vendedora, que era uma simpatia só e que (olha que mundo pequeno!) tinha visitado a Palestina e conhecia alguns dos meus amigos, me contou a história por trás disso tudo. O holandês Jaap Korteweg, que idealizou o projeto, vem de uma família de agricultores e queria fazer uma revolução vegetariana no campo. Ela me contou também que ele é casado com Marianne Thieme, deputada e líder do Partido dos Animais (acredito que esse partido holandês seja o único do tipo no mundo) e que fez o documentário “Uma verdade mais que incoviniente” (‘Meat the truth’). Que casal arretado! Só provei o frango e a semelhança é realmente impressionante. Na verdade é tão parecido que pra mim é meio mórbido. Mas acho que esse tipo de produto é uma salvação pra quem está em transição pro vegetarianismo/veganismo ou quer deixar de comer carne, mas ainda é muito apegado ao sabor. Os produtos são vendidos no peso, congelados (tudo cozido, basta esquentar em casa). O local também funciona como restaurante e tem um menu imenso, com vários tipos de sanduíches. Eles também vendem um tipo de queijo vegano, mais humus, tapenade e baba ganush, então os sanduíches parecem suculentos. Também vendem um patê (pergunte qual, pois tem também patês vegetarianos), algumas saladas veganas, bebidas quentes (tem leite de soja pro seu cappuccino) e sucos frescos. E quase sempre tem uma sobremesa vegana pra completar a nossa felicidade.

Ambiente:***

Serviço:****

Comida:***

IMG_7807

IMG_7812

IMG_7821

IMG_7814

IMG_7817

Koffie ende Koeck

Haarlemmerweg 175

100% vegano e quase todo orgânico, um lugar simples, mas que oferece comida sublime. Ótimas opções de café da manhã, almoço e lanche (sanduíches, granola, iogurte de soja, sucos, bebidas quentes com quatro opções de leite vegetal…). A quiche de polenta é de cair pra trás (preciso recriar essa receita) e as misturas de sabores são super interessantes. Pedi um sanduíche com pão integral rústico, molho de pimenta fermentado feito pela chef (surpreendente), cream cheese, pimentão grelhado e rúcula que era uma loucura. E as sobremesas? Tinha brownie, torta de maçã e maracujá, cookies de aveia e lavanda, bolo com recheio de framboesa e cobertura de chocolate branco… Além de ser uma delícia, dá pra sentir todo o amor na apresentação dos pratos. Eles oferecem um ‘high tea’ (que pode ser servido a qualquer hora do dia) onde você recebe uma bandeja imensa com um pouco de tudo que tem no cardápio (doces e salgados), tão apetitoso e generoso que fiquei emocionada (cafés e restaurantes mundo afora, é assim que nós, veganos, merecemos ser tratados!). E a moça que me atendeu, metade holandesa, metade portuguesa, era uma simpatia só. De todos os lugares que visitei esse foi o meu preferido. Recomendadíssimo!

Ambiente:***

Serviço:****

Comida:****

IMG_7857

IMG_7863

IMG_7845

IMG_7852

IMG_7869

TerraZen

19 hs Sint Jacobstraat

Outro endereço 100% vegano, que oferece uma comida eclética (um mix entre o Caribe, Suriname e Ásia) e muito saborosa. O cardápio é imenso (contei mais de 40 pratos) e tem opções pra todos os gostos e bolsos. Sopas, currys, burguers, yakisoba, saladas, pratos à base de feijão, pratos com ‘frango’ vegano, makis e até um prato totalmente cru. Também oferece bebidas geladas (sucos, milkshakes) e quentes e algumas sobremesas. Pedi o maki com natô, porque sempre quis provar esse ingrediente tradicional japonês, e adorei. O bolo de chocolate também estava uma delícia, embora a amiga que me levou lá tenha achado amargo (eu achei doce na medida). Aqui também dá pra sentir o amor nas preparações, todas apetitosas. O ambiente é descontraído e ultra relax (reggae tocando e um ou outro fumando tudo até a última ponta). O dono e o chef são jamaicanos e extremamente atenciosos e calorosos. Gostei tanto dos dois que não sei se quero voltar lá pela comida ou pra bater papo com eles (provavelmente os dois). O único problema é que o pessoal é tão relax que se não tiver nenhum cliente eles fecham o restaurante no meio do dia e vão fazer compras ou dar um passeio. Se você for lá e o restaurante estiver fechado (como aconteceu na primeira vez que tentei comer lá), espere um pouco que logo eles voltam. Foi o meu segundo lugar preferido na cidade.

Ambiente:***

Serviço:****

Comida:****

IMG_7786

IMG_7922

IMG_7927

IMG_7924

IMG_7937

MKZ

Eerste Schinkelstraat 16. Tel: 020-6790712

Um dos únicos squats legalizados da cidade, que se transforma em restaurante vegano todas as noites. É preciso ligar à tarde pra reservar (eles só servem 50 pessoas por noite) e os pratos têm gostinho de comida caseira. Achei gostoso, mas nada capaz de impressionar. Conversei com alguns clientes na noite que estive lá e eles me disseram que vão sempre ali justamente por esse motivo: comida caseira e saborosa. O squat é enorme e tem um jardim extremamente agradável, com mesas por todos os lados (se o tempo estiver bonito, vá degustar o seu prato no jardim) e também uma loja grátis (roupas e objetos de segunda mão grátis, é só pegar o que você quiser). E pra deixar tudo ainda melhor, a refeição completa (entrada+prato+sobremesa, com direito a repetir) custa apenas 5 euros. E como é um squat, não um restaurante formal, cada qual lava os seus pratos depois do jantar. Uma experiência que recomendo demais.

Ambiente:****

Serviço:***

Comida:** 

IMG_7909

IMG_7889

IMG_7896

IMG_7898

IMG_7891

IMG_7903

IMG_7908

IMG_7907

SLA

Westertraat 34

Um restaurante só de saladas, onde você monta a sua. O local oferece carne e outros produtos de origem animal, mas se esforça bastante pra agradar os clientes veganos. Na hora de montar sua salada você escolhe uma folha verde, um cereal, uma proteína animal ou vegetal (lentilha, grão de bico), legumes crus e/ou cozidos e um molho (TODOS os molhos são veganos, olha só que coisa linda!). Também vende sucos frescos. O atendimento é um pouco frio (provavelmente porque tem sempre muita gente esperando pra ser atendida) e o local não é muito aconchegante, mas é uma opção interessante pra quando seu corpo estiver cansado de sanduíches e começar a pedir vitaminas e legumes frescos.

Ambiente:**

Serviço:**

Comida:*** 

IMG_7914

Bagels and Beans

Raadhuisstraat 18

Uma rede de lanchonetes holandesa especializada em bagels, como o nome indica. Apesar de ser um café tradicional, oferece algumas opções interessantes pros veganos. Todos os bagels são veganos e é possível substituir o cream cheese por hummus (quem acha que todas as lanchonetes deveriam oferecer hummus no lugar do queijo como alternativa pros veganos levante a mão). Tem uma opção de bagel com hummus, tapenade e tomate semi-seco que é uma loucura! Também oferece uma opção doce (com banana, xarope de bordo e canela) e leite de soja pro seu cappuccino. Como em todo local frequentado por muita gente, o serviço não é dos mais calorosos. Vale a pena visitar se você, assim como eu, adora bagels.

Ambiente:**

Serviço:**

Comida:*** 

IMG_7910

Vega-Life

Singel 110

Loja de produtos 100% veganos. Tem camisetas, sapatos, bolsas, vitaminas e outros suplementos alimentares e cosméticos. Os preços são um pouco salgados, mas os produtos são lindos e de ótima qualidade. Também vende os ótimos sorvetes veganos da marca Professor Grunschnabel.

 IMG_7824

IMG_7825

IMG_7827

Você pode conferir a lista completa de todos os restaurantes veganos, vegetarianos e veg-friendly de Amsterdã no site Happy Cow, o melhor lugar pra encontrar lugares veganos,vegetarianos e veg friendly em várias cidades do mundo. Tem até um mapa com todos os endereços, então é muito fácil encontrá-los.

Todo mundo me aconselhou, mas escolhi não provar os famosos falafels Maoz. Falafels, pra quem não conhece, são a fast-food por excelência no Oriente Médio e, por um feliz acaso, são 100% veganos. Eles são extremamente populares em Amsterdã e tem quem afirme que os falafels do Maoz são os melhores da cidade. Mas depois de ter morado cinco anos na Palestinia e ter comido falafel até eles começarem a sair pelos ouvidos, raramente tenho vontade de comer essas bolinhas (acho que só vou comer falafel novamente quando voltar pra Palestina).  Mas vou colocar o endereço aqui, pra quem quiser provar. Segundo uma das minha amigas holandesas os sanduíches com falafels de lá são deliciosos, baratos e as porções são generosas, então vale a pena.

Maoz Falafel Leidsestraat 85 

IMG_7815