Minha melhor amiga (e uma sobremesa)

Vocês, pessoas, vocês… Eu tenho os leitores mais maravilhosos dessa internet. Nem sei como agradecer os comentários que vocês deixaram no meu último post. Eu li todos (duas vezes), me emocionei, chorei, fiquei profundamente tocada, me senti uma rockstar e agradeci as estrelas por ter tanta gente boa na minha vida. Recebam meus agradecimentos sinceros e meus abraços virtuais (estou abraçando cada um de vocês mentalmente agora. Sentiu um calorzinho ao redor dos ombros? Sou eu.)

Mas acho que a melhor maneira de agradecer tanto carinho é continuar postando minhas histórias e receitas por aqui. E o post de hoje é muito especial pra mim. Faz meses que carrego a ideia desse texto na cabeça e acho que chegou a hora de transferi-la pro computador e dividir o resultado com vocês.

Jo

 Lembram da minha amiga Johanna? Mês passado foi o aniversário dela e como eu não pude estar lá nesse dia especial e nem sequer mandei presente, resolvi fazer o que sempre faço nessas situações: escrever um post. (Acho que nesse momento todas as pessoas que fazem parte da minha vida sabem que mais cedo ou mais tarde vão virar post).

 Ela mora em Tel Aviv e faz um ano (desde que fui embora da Palestina) que não nos vemos, mas é difícil passar um dia sem que eu pense nela. Johanna é a minha alma gêmea e me entende tão profundamente que tenho certeza que pra ela minha carne é transparente: ela consegue ler diretamente na minha alma. Querem saber como conheci Johanna? Ela foi a primeira amiga que fiz na Palestina e a primeiríssima pessoa vegana que conheci na vida! Eu fiz um desenho pra explicar nosso primeiro encontro. Eu desenho como uma criança de três anos que não tem talento nenhum pra coisa, mas Johanna adora meus bonequinhos (eu até desenhei um livrinho de receitas e histórias pra ela), então peço desculpa pelos desenhos toscos, mas é assim que vou contar nosso primeiro encontro. E já vou me desculpando pros leitores que não falam Inglês, mas o desenho é um presente pra Johanna e como ela não fala Português…

desenho1
 desenho2
desenho3

Agora que vocês conhecem esse meu talento até então secreto (se cuida, Joe Sacco!) eu queria dividir mais uma coisa super pessoal e embaraçosa. Tempos atrás eu pedi pra Johanna responder um questionário sobre… eu mesma. Copiei a ideia da minha guru Danielle LaPorte (o trabalho dessa mulher me inspira imensamente), que criou um questionário chamado ‘ask a friend’, que te ajuda a descobrir o que seu amigo mais próximo pensa de você. A experiência é intensa, mas só funciona se você perguntar a alguém que te conhece pelo avesso e te ama profundamente. Johanna pediu pra eu fazer a mesma coisa pra ela e nós duas ficamos pra lá de emocionadas com as respostas. Perguntei se podia publicar algumas aqui no blog e ela aceitou. Com vocês, eu e a minha melhor amiga emocionalmente peladas.

 A conversa começou assim.

Sandra- Então você topa responder essas perguntas pra mim? Prometo que farei a mesma coisa pra você.

Johanna- Então tá. Mas você é uma das pessoas mais conscientes de si mesma que eu conheço. Não sei se você vai descobrir muita coisa com as minhas respostas… Mais prometo me esforçar pra te dar respostas mais complexas do que ‘Eu te amo, eu te amo, você é maravilhosa” 😉

Sandra- Então aqui vão as perguntas.

 O que você mais ama em mim?

J- A maneira como você vê a vida e o mundo… e a maneira que você se expressa, usando as impressões que você tem dentro de você. Ou seja, a maneira como você transforma suas experiências e conhecimentos em histórias, receitas, prazer e empatia.

S- O quão imensamente sábia você é e como você aceita as pessoas exatamente como elas são.

Eu sou a melhor do mundo em… 

J- …amar algo ou alguém da maneira mais completa e doce possível.

S-…dar conselhos incrivelmente precisos e úteis aos amigos. Ler a minha alma e saber exatamente como eu me sinto e o que eu devo fazer quando eu mesma não consigo.

Jo and Ju

Se eu não existisse… 

J- Acho que um punhado de gente seria menos feliz e menos iluminada se você não existisse. Veganismo seria apenas uma baboseira hipster e não uma filosofia completa. O Brasil seria um lugar menos vegano. O sol brilharia um pouco menos… Minha vida seria diferente. Você me fez ver e sentir coisas de uma maneira diferente. Eu sempre adorei comida, mas você fez com que eu me apaixonasse pelo fato de pensar e falar sobre o assunto. Eu sempre amei pessoas, mas você me deu palavras pra descrever beleza e atração. Você me mostrou beleza que eu nunca tinha visto antes. Eu acho que eu me sentiria menos amável e bonita se você não existisse.

S-  Eu ainda estaria me negando as fagulhas e o brilho inesperado que a vida traz (você sabe do que estou falando:) Eu aceitaria menos a pessoa que sou. Eu ainda estaria pensando que não se depilar não é sexy. Tel Aviv seria um lugar que não valeria a pena ser visitado. Eu não teria descoberto o meu patê preferido e os leitores do blog não teriam experimentado seu maravilhoso mutabbal. O mundo, o meu mundo, seria muito menos saboroso e bonito.

 O mundo precisa saber que eu… 

J- …é uma cozinheira maravilhosa. Jesus! Você é simplesmente maravilhosa! Mas não só uma boa cozinheira, você é uma expert em comida, inteligente e cheia de sabedoria. Você se preocupa com cada detalhe do seu trabalho. Você é uma professora fantástica e uma amiga única. Receber um pouco do seu conhecimento, habilidades e sabedoria é um presente pra qualquer pessoa que te conhece. Eu vou pagar dez tradutores pro seu blog ser famoso no mundo inteiro!

S- …é uma verdadeira guru. As pessoas que são sortudas o suficiente pra fazer parte do seu círculo de amizades devem sempre falar com você quando precisarem de um ouvido sensível, compaixão e os melhores conselhos do mundo.

 Na sua opinião, qual é a minha maior força?

J- Sobreviver mentalmente nas situações mais loucas.

S- Compaixão. Você é a pessoa com mais compaixão que conheço. A vida pode te esmagar e você vai sempre sair da situação com sua habilidade de sentir compaixão intacta. E também seu dom de analisar sem julgar. Isso é algo enorme e eu conheço pouquíssimas pessoas assim. Você é extremamente iluminada e evoluída.

IMG_1981

 Como você descreveria o meu estilo de vida?

J- Corajoso, autêntico, segue o seu coração, aventureiro… Você encontra satisfação em qualquer circunstância, mas nunca deixa de ter curiosidade com relação à vida, nem de fazer planos.

S- Tolerante, cheio de compaixão e verdadeiro. Você vive de braços abertos, aceitando as lições e tudo o mais que a vida traz pra você.

Eu deveria parar de…

J-…pensar que você sabe o que a outra pessoas está pensando/sentindo sem ter falado com ela sobre o assunto. Dar uma chance às pessoas e situações de serem diferentes do que você esperava. Eu sei que você se tornou mais consciente com relação a isso, mas ainda precisar trabalhar mais pra parar de repetir esse comportamento.

S-…comer açúcar e comida porcaria em geral.

Pro meu próprio bem, você gostaria que eu fosse menos…

J- Eu gostaria que você esquecesse menos de si mesma e deixasse de minimizar os seus problemas. Não seja uma heroína solitária!

S- Eu gostaria que às vezes você deixasse de se forçar a fazer tantas coisas ao mesmo tempo. Quando você trabalha muito, encontra várias pessoas, vai a vários lugares diferentes…tudo na mesma semana. E ainda assim se força a trabalhar mais, ir pra mais um lugar, encontrar mais uma pessoa. Aí você colapsa ou acaba adoecendo.

 Quando é que você me viu brilhar com toda a intensidade?

J- Quando você fala do seu irmão caçula e quando me conta histórias sobre a sua família. Sempre que você abre a porta pra mim e me faz brilhar também.

S- Quando você toca violino.

IMG_0582

 Eu posso comemorar mais/me orgulhar de…

J-…das coisas maravilhosas que você recebeu até hoje. Não se preocupe com isso de estar envelhecendo, de não ter um emprego… A vida que você viveu até aqui é uma verdadeira obra prima! Colha os frutos do seu trabalho, continue no seu caminho, continue compartilhando os seus pensamentos, ideias, amor e comida com o mundo. Não tem um só motivo pra te fazer duvidar das decisões que você tomou na vida.

S- O rumo que você deu à sua vida, as coisas que você conquistou até hoje, incluindo ter criado uma vida cheia de poesia e emoção nesse lugar louco e hostil, e seu incrível talento pra aprender línguas.

Por que dividir coisas tão íntimas aqui? Sinceramente, ainda estou procurando a resposta. Mas depois dos comentários de vocês no último post, fiquei com vontade de ficar emocionalmente pelada por aqui. Espero que ninguém se importe. E também porque queria apresentar uma das pessoas mais importantes na minha vida. A gente sempre quer dividir o melhor que tem com os amigos, virtuais ou não.

E pra ajudar a minha amiga Johanna e todos os leitores que adoram doces, mas que gostariam de comer menos açúcar, termino esse post com a receita mais popular nas oficinas de culinária que dei nos últimos tempos. Criei essa receita uns dois anos atrás, inspirada por algumas receitas de barrinhas de castanhas e frutas secas que vi na net. Com o tempo fui adaptando isso, incluindo aquilo e hoje faço bolinhas com a ‘massa’ ao invés de barras. Você também pode fazer um salame doce (um upgrade dessa receita aqui) e agradar os pequenos. Aliás, independente da forma, essa receita faz muito sucesso com as crianças. E com os adultos também, claro.

Essa é mais uma receita que prova que a vida sem açúcar (o pó branco ou marrom) pode ser deliciosamente doce. Ninguém precisa se privar de prazer nem punir as papilas pra se alimentar bem. E antes de apresentar a receita, uma última coisinha. Tem uma leitora que viu essas bolinhas no meu Instagram meses atrás e desde então espera ansiosamente pela receita. Clara, aqui estão as famosas ‘bolinhas casamenteiras’. 

PS Fiz quase todas as fotos na casa de Johanna, em Tel Aviv, mas a foto em que ela segura a cachorrinha foi na casa onde moramos anos atrás, em Belém/Palestina.

bolinhas de chocolate e coco

Bolinhas de chocolate e coco (vegana, crua, sem glúten)

Essas bolinhas são simplérrimas de fazer se você tiver um multi-processador, daqueles com uma lâmina ‘S’. É possível fazer a receita no liquidificador (é o que faço em casa), você só vai precisar usar os músculos e ter um pouco de paciência. A receita produz bolinhas doces na medida (menos doces que os doces tradicionais, mas várias crianças acostumadas com biscoitos e chocolates industrializados aprovaram essa receita), mas se quiser uma versão mais intensa e amarga, aumente a quantidade de cacau. E falando nele, a qualidade de cacau utilizado aqui faz toda a diferença. Sei que tâmaras são difíceis de encontrar no Brasil, então vou logo respondendo a pergunta que sei que vai aparecer nos comentários: é possível usar passas no lugar das tâmaras. Mas preciso avisar que o saber muda, claro, e que a versão com tâmaras é melhor.

1 x de coco ralado desidratado

1 x de castanha de caju

1 x (bem compactada) de tâmaras macias, sem caroço (as do tipo ‘medjoul’ são as melhores)

2 cs de cacau em pó puro, sem açúcar, de ótima qualidade (ou mais, se quiser um sabor de chocolate mais intenso e amargo)

1/2 cc de extrato de baunilha (opcional, mas recomendado)

Uma pitada generosa de sal marinho

Se suas tâmaras estiverem secas demais, deixe de molho em água quente (só o suficiente pra cobri-las) por meia hora. Escorra e reserve a água do molho.

 No multi-processador:

Triture as castanhas até obter uma farinha grosseira (tudo bem se tiver alguns pedacinhos maiores). Junte o coco ralado, o cacau e o sal e triture alguns segundo, pra que tudo fique bem misturado. Com o motor ligado vá adicionando as tâmaras escorridas (sem o caroço!!!) aos poucos. Junte o extrato de baunilha, se estiver usando, e uma colher de sopa de água (aquela que você reservou depois de ter deixado as tâmaras de molho) e bata mais um pouco. Nesse ponto a massa deve estar úmida o suficiente pra formar bolinhas quando pressionada. Teste pegando um pouco de massa e pressionando entre os dedos. Se ela ainda estiver muito seca e se quebrando, junte mais uma colher de sopa de água e bata mais um pouco. Se por acaso você acrescentar água demais e sua massa estiver muito grudenta, junte mais um pouquinho de coco ralado.

 bolinhas de chocolate e coco 2

No liquidificador:

Triture as castanhas até obter uma farinha grosseira (tudo bem se tiver alguns pedacinhos maiores). Despeje as castanhas em um recipiente grande e reserve. Coloque o coco ralado no fundo do liquidificador seguido das tâmaras escorridas e por último o cacau. Acrescente o sal e o extrato de baunilha, se estiver usando. Triture tudo até que as tâmaras estejam em pedaços bem miúdos (você provavelmente vai precisar parar o motor algumas vezes e mexer tudo com uma colher de pau). Despeje a mistura sobre as castanhas trituradas, junte uma colher de sopa de água (aquela que você reservou depois de ter deixado as tâmaras de molho) e misture tudo com as mãos. Se prepare pra malhar o braço aqui, pois a massa é densa e vai precisar de um certo esforço da sua parte pra chegar na consistência ideal. Se sentir que a massa não está ficando unida, junte mais uma colher de sopa de água. Se estiver muito grudenta, junte mais um pouquinho de coco ralado.

Quando a massa estiver bem unida e você for capaz de enrolar bolinhas com ela…faça bolinhas com ela (como você enrolaria brigadeiros, só que não precisa untar as mãos). Deguste imediatamente ou guarde em um recipiente bem fechado pra não ressecar. Elas ficam mais firmes no dia seguinte, mas o sabor fica ainda mais intenso. Essas bolinhas se conservam por vários dias (fora da geladeira, pois o frio faz com que elas fiquem bem duras). Rende 34 bolinhas pequenas (essa quantidade varia de acordo com o tamanho das suas bolinhas, obviamente).

65 comentários em “Minha melhor amiga (e uma sobremesa)

    1. Dani, adorei você ter dito que achou essa parte a mais engraçada, porque quando eu estava desenhando a historinha eu tive uma crise de riso gigante quando escrevi isso:) Anne ficou olhando pra mim com cara de ‘Tadinha, ela tem problemas: morre de rir das próprias piadas.”

  1. Ola amiga tudo bem com voce?foi maravilhoso e ao mesmo tempo emocionante ler essa declaracao de amor feita para a sua amiga!Sao essas coizas que fazem agente ter esperanca de um amanha melhor, pois o mundo esta se tornando um lugar muito frio devido a falta de amor entre as pessoas e a busca desenfreada pelo material esquecendo o espiritual.Obrigada por dividir esse teu momento especial conosco, fique com Jeova deus e beijos no teu coracao.

  2. Sandra, q bom q voltou!! A receita parece ótima, vou experimentar! Seu desenho é bem expressivo e é linda a história da amizades de vcs!! Agora, vamos ficar fazendo expectativas por receitas, histórias, fotos e desenhos!! hahahahhhh… Obrigada por compartilhar sua intimidade. bjs

  3. Minha querida Ninha, fiquei até surpresa ao ler a frase que vc diz ter se emocionado e chorado, pois te vejo tão forte que pra mim, vc emocionada simplesmente sorrir muito e cozinha bastante. Sei que as lagrimas caem de vez em quando e por motivos diversos, mas sempre penso em vc linda e forte como uma rocha. Suas boas energias sempre são transmitidas aqui no blog e eu como uma boa fã estou sempre lendo e amando ainda mais. Beijos minha prima linda. Saudades

  4. Estou tão feliz que você voltou! Fiquei muito emocionada com a entrevista. Hoje cheguei em casa com fome e não tinha nada pronto, olhei na dispensa e meu coração pulou de felicidade, vi que tinha berinjela, limão e tahine pra fazer muttabal. Esse também é meu patê preferido, agradeça a Johanna por mim.
    Ela arrasou também quando disse: “Acho que um punhado de gente seria menos feliz e menos iluminada se você não existisse. Veganismo seria apenas uma baboseira hipster e não uma filosofia completa. O Brasil seria um lugar menos vegano. O sol brilharia um pouco menos… “.
    Eu conheço poucos veganos que que nunca tenham lido o seu blog. Semana passada fui para uma palestra de Melaine Joy pormovida pela SVB aqui no Recife e ao final uma pessoa que estava na plateia perguntou como encontrar mais informações sobre como ser vegano e Bárbara sem pestanejar falou no seu blog.
    O que eu posso dizer sobre você é que eu não seria vegana sem a sua ajuda e inspiração. Minha vida mudou depois que decidi aplicar na prática o que eu leio aqui. Obrigada querida! Muita luz pra você.

    1. Bárbara merece muito muttabal por fazer tanta propaganda pro meu blog 🙂 E fico extremamente feliz (e orgulhosa) em saber que meu blog te ajudou a adotar o veganismo. Mas, Camila, vamos combinar que o sol brilharia igualzinho se eu não existisse, né? 🙂 Johanna gosta de ser exagerada assim comigo…

      1. Eu concordo com a Johanna, você brilha e ajuda os outros a brilharem também.
        E Bárbara merece muito muttabal porque ela é uma linda também.

  5. Claro que vc posta receitas maravilhosas, mas o ser humano que pude entrever, para além dos sabores originais e do estilo cativante, foi o que, definitivamente, me comoveu e conquistou. Reconfortante estar no mundo ao mesmo tempo que vc. Namastê

  6. Viiiiva!!! Você emergiu, em plena e doce forma. Obrigada por compartilhar explicitamente um pouco mais de sua alma, nessa entrevista com sua amiga. E obrigada pela receita, que faz a felicidade de diabéticos. Uma pergunta, você já experimentou a alfarroba (carob), substituindo o chocolate/cacau? Estou pensando em fazer isso. O creme de alfarroba com amêndoas – sem açúcar – equivale ao Nutella (desculpe, eu amava isso!!!)

    1. Leopoldina, eu nunca tentei fazer essa receita com alfarroba, mas acredito que dê certo. Por ter um sabor mais suave e quase adocicado, imagino que você precise de uma quantidade menor de tâmaras (cacau é bem amargo). Se testar, divida os resultados conosco.

  7. Hummm essa bolinhas serão devidamente apreciadas esse fim e semana aqui em casa.

    Obrigada pela sua generosidade, em dividir sempre sua receitas e histórias … é engraçado como lendo sempre seu blog acabei me sentindo próxima como uma amiga e feito um julgamento de sua personalidade, enfim esse post serviu para me revelar que não estava enganada.
    É lindo quando a alma se desnuda.
    Muitas felicidades para Johanna!
    Bjs

    1. Tissy, eu enviei o mesmo questionário pra outros amigos e pra minha irmã caçula e tenho que dizer que nem todo mundo me vê de maneira tão cor-de-rosa… Mas como Johanna é minha amiga mais próxima e que me conhece melhor, eu escolhi acreditar na vesão dela 😉

      1. Rsrsrsrs normal, não existe uma só versão de nós , mas acredito que sua doce amiga desperta o melhor de você , assim como esse blog.
        😉

  8. Que amizade linda e enriquecedora, me fez ter saudades dos meus amigos, desse compartilhar saboroso, cheio de luz, aprendizado e amor que você transmite tão bem em suas histórias e receitas.
    Bem vinda de volta.
    =)

  9. Oi Sandra
    Bom ter você de volta iluminando nossas errâncias internet a fora!
    Suas bolinhas me lembraram os “no bake energy bites”. Já fiz uma vez, com a diferença de triturar a castanha até virar pasta e usar aveia em flocos finos também. Bom demais! Elas são super energéticas e enganam a fome que é uma beleza! Salvação de uma trupe em viagem pela Europa com pouco dinheiro no bolso. O melhor é que são inúmeras variações possíveis, de preferência usando o que se tem em casa =)

  10. OI, Sandra, bom dia.
    Grata pela partilha de informações úteis.
    Conheci essas bolinhas com outros ingredientes. Vou fazer esta receita que vc nos enviou.
    Fique bem.
    Abs.
    Leoni

  11. Aos poucos as coisas vão voltando aos seus eixos. Benvinda de volta, menina! <3

    Entrando no strip-tease: estou revendo minha vida, comprei um galão de 13 kg de tahine, estou estudando diligentemente as mudanças para uma dieta vegana, e tomei coragem para começar meu caminho rumo a uma pós-graduação (e uma carreira) em direitos humanos… graças a você. Tá, é um exagero: e é bom que seja assim. Joguemo-nos confetes!

    Parafraseando um querido ser, que conheci apenas pelas letras:

    "Que pobreza! Nós sonhamos com outras coisas, mais clandestinas e mais alegres. Não faremos mais concessão alguma, já que necessitamos menos delas. E sempre encontraremos aliados que queiramos e que nos queiram."

    – gilles deleuze, Carta a um crítico severo em: conversações.

    Grande abraço e boa sorte em seu caminho!

    1. Rapaz… Com ou sem exageros, fiquei muito tocada com o seu comentário. Só posso te desejar muita sorte na mudança de alimentação e carreira. Pode ter certeza que serei sua aliada virtual 🙂 E 13kg de tahine? Criatura, isso desmanchado em mutabbal é muuuuuito mutabbal 🙂

  12. Querida amiga, que bom que você esta melhor, muito melhor. E eu sinto isto pelas suas palavras, pela força que vce esta recebendo de sua amiga e da sua nova receita é claro. Eu agradeço a vocês duas. Obrigada por compartilhar as suas almas conosco. E muita força! Saiba que nunca estamos realmente sozinhos quando respiramos, perseveramos, vivemos e vibramos no amor, na paz e no bem. God bless you all.

  13. que bom que voltou e trouxe esta história linda, de puro encantamento pra gente degustar com todos os sentidos (eu li em voz alta, senti o aroma e o sabor das receitas). eu adoro histórias de gentes apaixonantes e apaixonadas pela vida e você tem um jeito maravilhoso de contá-las. aqueleabraço.

  14. Sandra, obrigada por se dedicar tanto a este blog. As palavras de Johanna sobre o fato de que o Brasil seria menos vegano se você não existisse é a mais pura verdade. Sou uma leitora recente, e sou infinitamente grata a você. Ler seus posts e receitas tem sido fundamentais para minha transformação ao veganismo, e estou cada vez mais encantada com suas palavras e sabores. Minha felicidade e minha inspiração culinária (melhorando muito) devem uma a você. Mas é claro que você merece e precisa cuidar de si mesma, pois já faz um trabalho incrível. Abraços!!! 🙂

  15. Que lindo esse post!!!! Acabei de fazer o docinho e simplesmente sublime. Obrigada de coração por dividir tanta coisa bonita .

  16. Hahahaha adorei a tirinha!! Tô rindo sozinha aqui!! “I want to lick these walls” Hahahaha “Vegan? Ehhhhhh!!”
    Não tenho nenhum amigo (não virtual) vegan! Tem até uma tirinha engraçada. .. “Até que percebi que todos meus amigos vegans moram no meu computador…”
    Deve ter sido ótimo encontrar uma amiguinha pra brincar, especialmente chegando em um lugar novo e ccompletamente diferente!
    Obrigada por mais uma delícia de post!

    1. Com certeza! Quando conheci Johanna me senti mais forte, sem contar que ela, que já era vegana há anos, me ensinou muitas receitas vegs. Mas deixa eu te contar que apesar do cansaço, da desorientação e da fome, a parte de lamber os muros da cidade era brincadeira 😉

  17. Holy land is missing you sooo much… We all miss you. Whole year is gone without you…. I hope the next time I will be thoughtful enough to appreciate your presence here more and not only to take you for granted .

    Yes, I so hate google translate.

  18. My dear Sandra , Holy land is missing you soooo much . I am missing you… Whole year has gone without you. I hope next time you are here I will be thoughtful enough to appreciate you more, and not only to take your presence for granted…. Thank you for the story I discovered, and tasty little sweet thing.

    1. And I miss the Holy Land, and all my friend from there, even more, habibti 🙁 I hope I’ll be able to visit you soon. I really wish we were still in the same city, visiting each other and exchanging recipes, sharing stories and love… Hugs and kisses for you and the rest of the family.

      PS I’m so moved you’re still reading my blog (and yes, google translate does not always do a good job…)

  19. Foi o maior sucesso!
    Fiz as bolinhas ontem, e todo mundo gostou o único problema e que acabaram rápido rsrsrsrs
    Fiz com as tâmaras mas usei alfarroba em pó substituindo o chocolate é um pouco menos doce, mas mesmo assim ficou muito bom!
    Bjssss

  20. Oi, embora eu venha sempre aqui, nunca deixei um comentário antes……não tenho u. Forte motivo para isso ( nao ter deixado comentário) mas, no fundo, deixando-me mais perto da nudez ( já que é o assunto por aqui, rsrsrsr) talvez uma pontinha de vergonha pois eu não sou vegana….nem vegetariana ainda! Sou onívora mas tenho consciência de uma série de coisas, inclusive, tento diariamente reduzir o consumo de carnes…….
    Venho aqui, em busca de novas idéias ( a propósito, as suas são ótimas) e descobrir que as pessoas, em outros lugares, tem idéias tão geniais.
    Sabe, sinto como se a conhecesse…rs….
    Fiquei feliz com seu retorno e espero que você não nos abandone novamente. Um beijo
    Adriana

    1. Não precisa ter vergonha, não, Adriana! Muitos dos leitores do Papacapim são onívoros e nós não temos problemas nenhum com isso 🙂 Todos são bem-vindos por aqui.

  21. Ebaaaaaa….adorei tanto esse post, tudo nesse post!!!
    Obrigada querida por dividir além de suas receitas maravilhosas suas experiências!
    Obrigada por lembrar com carinho de mim tbm *_*
    Vou comprar as tâmaras na segunda e fazer…posto fotos e te conto o resultado!

  22. Que postagem mais linda! Eu nem te conheço, nunca te vi e já me senti super íntima, querendo dar um abraço apertado. Uma sensação de “olha só que pessoa linda!” (as duas, né). Acho ótimo não ter medo de expor a própria alma. O mundo seria um lugar melhor se as pessoas praticassem mais isso.
    Parabéns pelo blog… virei leitora já. E essa receitinha crudi aí… nossa! (:

    Meu abraço!

  23. Sandra, adorei que vc tenha compartilhado coisas tão pessoais conosco. Morri de rir com os quadrinhos, achei genial a ideia de presentear alguém assim. Você é uma pessoa tão iluminada, que isso transcende a internet e chega até aqui, sabe? Queria muito ter a sorte de poder te conhecer! E adorei essa receita!! Quero fazê-la assim que chegar em casa, pois coincidentemente, tenho todos os ingredientes e tenho certeza que vou amar. Obrigada por tudo que vc faz por nós! Muita luz! Beijos!

  24. Oi Sandra!
    Te acompanho há alguns dias e podes ter a certeza que ganhaste um seguidor!
    Sou vegetariano estrito, em transição para o veganismo; faltam algumas coisas, ainda, (: .
    Se possível, eu gostaria de saber se existe um substituinte para as tâmaras… Moro numa pequena cidade do interior do RS e não consegui achar por aqui :x.
    Parabenizo-te pelo blog e agradeço pelo compartilhamento de ideias, ideais, vida, experiências e todo o mais neste vasto blog!
    CCJunior

  25. Oi Sandra, boa noite.
    Primeiro eu queria te dizer que sou muito grato a você. Você está presente no meu dia, todos os dias, duas vezes, no café da manhã e no lanche que faço a noite. De manhã sempre, sempre como o hommus que aprendi a fazer aqui, de noite, sempre o mutabal, que vou te dizer sem modéstia, várias pessoas já falaram que é ótimo (pessoas que viveram na Turquia, ou que estão acostumadas a restaurantes árabes), então, gratidão!
    Adoro o jeito como você escreve e venho de vez em quando aqui prá aprender alguma coisa, pode ser uma receita ou algo sobre a vida.
    Estou escrevendo neste post por isso:
    “Compaixão. Você é a pessoa com mais compaixão que conheço. A vida pode te esmagar e você vai sempre sair da situação com sua habilidade de sentir compaixão intacta. E também seu dom de analisar sem julgar. Isso é algo enorme e eu conheço pouquíssimas pessoas assim. Você é extremamente iluminada e evoluída.”
    Compaixão e analisar sem julgar são qualidades magníficas, o mundo precisa de mais pessoas assim. Analisar sem julgar virou um mantra aqui. E é um caminho que encontrei prá sair das palavras e chegar na minha prática cotidiana. Muito grato por isso também.
    Bom era isso, beijo prá você e prá sua amiga Johanna.
    Luiz Felicio

  26. Olá, Sandra!

    Primorosa receita, primorosa! Tenho dificuldades de comer apenas uma ou duas dessas bolinhas por dia… rs!

    Uma coisa que notei foi: com um pouco mais de água adicionada à receita, a consistência da massa se aproxima muito de recheios de trufas… fiquei muito feliz com isso e vim aqui lhe perguntar se você propõe alguma alternativa para a confecção de trufas, no caso, para a cobertura das mesmas. Penso que simplesmente derreter uma barra de chocolate meio amargo e sem glúten não teria tanta graça quanto pesquisar uma maneira de fazer uma cobertura bacana pra envolver esse recheio ma-ra-vi-lho-so à base de tâmaras 🙂

    Continue para sempre esse blog maravilhoso que tens! Sinto que tudo o que postas aqui vem de um lugar muito especial e brilhante de dentro de ti. O mundo precisa de pessoas assim para que a inspiração não morra nesses tempos meio estranhos e difíceis.

    Um grande beijo!,
    Rachel

    o/

  27. É uma pena que haja bloqueio para cópias no seu blog. Qual seria, de fato, o problema, se fosse indicada a fonte? Amei essa receita e vou ter de usar papel e lápis para tê-la comigo. É o cúmulo! E se um dia o blog acabar? Já pensou nisso? Ficaremos privados para sempre dessas preciosidades.

    1. Oi, Cláudia.
      Infelizmente fui obrigada a proteger o meu blog porque cansei de ver o conteúdo que eu produzi com tanto carinho, tempo e esforço sendo reproduzido sem a minha autorização e sem menção ao meu trabalho em outros blogs, sites e até jornais. Muitas pessoas acham que o que está na internet pode ser usado e abusado livremente, sem reconhecer o trabalho de quem passou horas produzindo conteúdo interessante pros seus leitores. (Às vezes passo dias, semanas escrevendo um único artigo!). Minha intenção não era privar meus leitores da possibilidade de fazer um copiar/colar nas receitas, mas essa foi a única maneira que encontrei de impedir que algumas pessoas continuassem se aproveitando do meu trabalho. Porém sempre deixei bem claro que se alguém quiser publicar algum dos meus posts em outro veículo basta entrar em contato comigo e, com a condição de indicar claramente a fonte e colocar um link pro post original, na maioria das vezes não vejo problema nenhum em compartilhar o meu trabalho no site/blog de outros.

      Se o blog desaparecer um dia, o que espero que não aconteça, tenho todos os meus posts/receitas salvos em outros lugares. Sim, as pessoas não terão mais acesso livre às minhas receitas aqui na internet, mas é bom lembrar que essas receitas são antes de tudo minhas obras e poderei publicar tudo em um livro mais tarde, por exemplo, e continuar compartilhando meu trabalho com o mundo.

      E aqui vai a receita acima pra você não ter que copiar tudo na mão 🙂
      Ops! Vou mandar a receita por email.

  28. Compreendo perfeitamente suas razões e lamento que tenha de ser assim. Infelizmente, todos acabam pagando pelo erro de alguns. No entanto, dada a relevância do seu material, acho que teria que ser de domínio público, rsrsrsrs. Torço para que você publique logo o seu livro. Quero ser a primeira a adquiri-lo. Desejo muita força e disposição a você na realização desse importantíssimo trabalho.

    Obs.: seria possível receber suas receitas por e-mail? Não entendi muito bem por que você repetiu a receita na resposta que me deu, uma vez que não consegui copiá-la do jeito moderno, rsrsrsrs.

Deixe uma resposta