Guia Papacapim de alimentação saudável

cenoura

Eu organizo regularmente oficinas de nutrição nos campos de refugiados e em escolas e esse é um dos trabalhos que mais gosto de fazer. Por saberem que trabalho com educação nutricional, amigos e parentes estão sempre me perguntando como ter uma alimentação mais saudável. Nessas horas percebo que, apesar de tanta informação circulando por aí, a maioria das pessoas se sente perdida e não sabe o que fazer concretamente pra melhorar a alimentação.

Porque no início de janeiro sopra um vento que faz brotar a vontade de melhorar a vida e começar novos projetos, pensei que seria o momento ideal pra compartilhar esse guia com vocês. Não acredito que a saúde, ou a falta dela, dependa da ingestão de um ou outro alimento específico. Saúde e bem estar são, na sua maior parte, consequência de hábitos saudáveis. Então esse meu pequeno guia não propõe mudanças drásticas, nem oferece resultados radicais e imediatos. Acredito que as dicas realmente úteis e eficazes são aquelas que provocam mudanças lentas, mas duradouras. O que você vai ler abaixo NÃO é um regime que você segue durante um período determinado pra perder peso ou baixar o colesterol. Esses conselhos devem se tornar hábitos que te acompanharão durante a vida toda. São mudanças simples, que estão ao alcance de todos, mas que transformarão sua alimentação, e sua saúde, completamente.

Guia Papacapim de alimentação saudável  (12 hábitos simples que transformarão a sua alimentação)

1- Coma comida de verdade. Comida saudável é comida de verdade, feita em cozinhas, não em fábricas. Sem embalagem, sem lista de ingredientes, na sua forma mais natural. Feiras são os melhores lugares pra encontrar comida de verdade (e barata).  Nos supermercados você encontrará um número imenso de produtos, mas pouco do que é vendido ali é comida. E já que comida de verdade vem da cozinha, é preciso fazer as pazes com a sua. Se você quiser seguir essa dica sem gastar todo o seu dinheiro em restaurantes “naturais”, terá que aprender a cozinhar. Não precisa se transformar em um excelente cozinheiro, basta saber o básico e ser capaz de preparar refeições simples, mas nutritivas e saborosas. Saber se virar na cozinha significa independência, economia e a garantia de sempre ter comida saudável na mesa.

2-Saiba decifrar embalagens de alimentos industrializados. Mesmo se a comida mais saudável é aquela que não tem lista de ingredientes, tem momentos em que evitar comida industrializada se torna quase impossível. Aprender a analisar embalagens e a decifrar listas de ingredientes é essencial se quisermos avaliar a qualidade nutricional de um produto e fazer a distinção entre os bons e os nocivos.

3- Retire o açúcar do seu dia-a-dia. Você pode até gostar de açúcar, mas ele não gosta nem um pouco de você. Excluir açúcar (branco ou mascavo) da sua alimentação diária é uma das melhores coisas que você pode fazer pela sua saúde. Mas não precisa abandona-lo do dia pra noite. Comece aos pouquinhos, reduzindo as quantidades, e um belo dia você perceberá que a maioria dos doces que você costumava adorar se tornou doce demais pro seu paladar. Parece algo impraticável, mas é totalmente possível educar suas papilas e mudar seus gostos. E não precisa se desesperar, pois retirar o açúcar da sua alimentação não significa abandonar pra sempre o sabor doce. Pense em todas as comidas naturalmente doces, como frutas, frutas secas, mel (se você consome), e você verá que sua vida não corre risco nenhum de se tornar amarga! E se sua alimentação não tiver açúcar no dia-a-dia você poderá degustar aquela sobremesa especial de vez em quando sem peso na consciência e sem prejudicar a saúde (nem a forma).

IMG_2481 copie

4- Reduza o consumo de alimentos de origem animal pela metade. Os médicos e nutricionistas são unânimes: uma alimentação saudável é pobre em gorduras saturadas e colesterol e rica em vegetais. Mas eles “esquecem” de dizer que a maior fonte de gordura saturada e a única fonte de colesterol das nossas dietas são produtos de origem animal. A verdadeira mensagem que o pessoal da área de saúde deveria passar pra nós é a seguinte: coma mais vegetais e menos alimentos de origem animal. Se você quiser adotar uma medida que terá um real impacto positivo (e imenso) na sua saúde, substitua metade dos alimentos de origem animal (carne de todos os tipos de animais, laticínios e ovos) por alimentos de origem vegetal. O espaço no nosso prato, assim como no nosso estômago, é limitado. Quando você escolhe comer um determinado alimento você necessariamente deixa de comer outro. Pense nisso e faça as contas. Se você come quatro produtos de origem animal por dia (a maioria dos onívoros que conheço come pelo menos um alimento de origem animal por refeição), passe a comer só dois. Quer saber o que você vai ganhar com esse gesto simples? A quantidade de fibras, vitaminas e antioxidantes da sua dieta aumentará, enquanto a quantidade de colesterol, gordura saturada e o número de calorias ingeridas serão reduzidos consideravelmente. E você nem precisou se tornar vegetariano nem abandonar seu amado_____ (preencha o espaço com o seu produto de origem animal preferido).

 7

5- Faça do feijão uma presença obrigatória na sua alimentação diária. Esse alimento tão barato e abundante no nosso país é um dos melhores que existe. Ele é riquíssimo em fibras (uma xícara de feijão preto tem 15g de fibra), além de ser uma excelente fonte de proteína, pobre em gorduras e isento de colesterol. Por isso feijões e leguminosas em geral (lentilha, grão de bico, ervilha) são o alimento de base de vários povos do mundo, a famosa “carne do pobre”. Esqueça os velhos mitos: feijão é uma proteína de ótima qualidade, a verdadeira “proteína magra”. Infelizmente, parece que ele é humilde demais pra alguns… Quanto mais subimos na escala social, mais carne e, consequentemente, menos feijão consumimos. Isso é uma péssima troca: perdemos fibras (carne tem zero fibra) e ganhamos gordura saturada e colesterol. Inclua feijão ou outro tipo de leguminosas no seu cardápio diário e, se você come carne, se assegure que a porção de feijão é sempre maior do que a porção de carne no seu prato. E lembre que existem várias outras maneiras de incorporar leguminosas no seu dia-a-dia: sopa de lentilha, salada de grão de bico, hummus…

aveiacópia

6- Transforme o seu café da manhã. Seu corpo precisa de uma dose caprichada de nutrientes depois do jejum da noite, mas infelizmente essa é a refeição mais pobre da maioria das pessoas (café com leite + pão francês com margarina e/ou queijo). Quando você começa o dia com uma refeição nutritiva, você acerta os ponteiros do seu metabolismo, que funcionará melhor durante o resto do dia. Ao ingerir um café da manhã rico em proteínas e fibras, a vontade de comer lanchinhos e refeições pobres durante o resto do dia diminui. Um organismo bem nutrido sente menos vontade de comer bobagens. Troque seu pão francês por uma papa de aveia, por exemplo, e seu dia, assim como a sua saúde, nunca mais serão os mesmos.

7- Coma uma salada crua por dia. Uma das melhores maneiras de incorporar mais vegetais na sua alimentação é adotar o hábito de comer uma salada crua todos os dias. Assim você vai encher seu organismo de vitaminas, minerais e antioxidantes, além de aumentar a quantidade de fibras da sua dieta. Se você decidir seguir as dicas 4, 5 e 6, a quantidade de fibras da sua dieta aumentará consideravelmente, mas pra ir ainda mais longe e oferecer ao seu organismo os micronutrientes que ele tanto precisa, incorpore esse hábito na sua alimentação diária. E “salada” aqui significa um prato de sobremesa cheio de vegetais crus, não uma folha de alface e duas rodelas de tomate no cantinho do prato.  cereais

8- Não coma trigo em todas as refeições. Algumas pessoas são intolerantes ao glúten, a proteína do trigo, mas mesmo se esse não for o seu caso, variedade é a chave de uma alimentação saudável. Sem perceber, acabamos comendo trigo em praticamente todas as refeições (pão no café da manhã, macarrão no almoço, bolo ou bolacha à tarde, sanduíche do jantar…). Quando você preenche o estômago sempre com a mesma comida vai acabar privando o corpo dos nutrientes oferecidos por outros tipos de alimentos. Evite o excesso de farinha de trigo. MESMO INTEGRAL! Um bolo feito com farinha de trigo integral continua sendo um bolo, ou seja, uma guloseima feita com açúcar, manteiga (ou margarina, óleo) e que deve ser consumida com moderação. Prefira cereais inteiros e varie os tipos. Milho, arroz integral, aveia, cevada e quinoa (que tecnicamente é uma semente),só pra citar alguns, deixarão sua alimentação mais rica e saborosa.

9- Diminua o número de cosméticos que você usa. Essa não é uma dica de alimentação, mas faz muito sentido coloca-la aqui. A pele é o maior órgão do corpo e, por ser porosa, todos os cosméticos que você coloca nela penetram no seu organismo. Dê uma olhada na lista de ingredientes do seu shampoo, condicionador, hidratante, desodorante etc. Você quer toda essa química dentro do seu corpo? Queremos ter uma alimentação mais limpa e saudável, cuidar da nossa saúde, fazer exercício regularmente… mas pouca gente pensa na quantidade de produtos químicos que colocamos dentro do corpo através dos cosméticos que usamos. Você realmente precisa de um creme diferente pra cada parte do corpo?  Talvez você pense: “Os cosméticos são testados e se estão ali nas lojas é porque não representam perigo à saúde”. A verdade é que eles foram testados individualmente e a maioria não representa perigo… se utilizados individualmente! Mas quem usa somente UM cosmético? Ninguém testou, porque seria impossível, as possíveis reações químicas e o perigo dos cosméticos quando combinados com outros e a realidade é assustadora: somos cobaias voluntárias e estamos fazendo esses testes em nós mesmos, diariamente, sem nenhuma garantia do resultado e sem sequer conhecer os riscos que estamos correndo.  Repensar nossa utilização de cosméticos é um passo essencial na busca de uma vida mais saudável.

10- Jogue a margarina no lixo. Lembra da dica 1? Margarina é feita em fábricas, com uma mistura de ingredientes naturais desnaturados (pense em óleos vegetais que sofreram um processo de hidrogenação) e ingredientes artificiais nocivos pra saúde, por isso não deveria fazer parte da sua dieta. Acredito que precisamos de uma pequena dose de gordura todos os dias, mas gorduras boas. Como a gordura presente no abacate, castanhas, amêndoas, nozes, sementes de girassol e abóbora, gergelim, azeitonas…  E pra quem consome manteiga é bom lembrar que gorduras de origem vegetal tem várias vantagens se comparadas a gorduras de origem animal:  zero colesterol (o colesterol é uma substância produzida no fígado dos animais, incluindo o nosso, logo só existe colesterol em produtos de origem animal), menos gordura saturada e mais gorduras boas que protegem o coração e o cérebro.

11- Exclua bebidas doces da sua rotina. Que refrigerantes e bebidas energéticas não cabem em uma dieta saudável, isso todos sabem. Mas incluo aqui sucos, mesmo os “naturais”, adoçados com mel, melado ou açúcar mascavo (ou sem açúcar nenhum) e as pseudo-saudáveis bebidas de soja e frutas. Sucos não passam de frutas que perderam suas fibras e foram diluídas em água, com o acréscimo eventual de algum tipo de adoçante (natural ou artificial). Sem falar que algumas vitaminas, principalmente a vitamina C, são altamente oxidáveis e desaparecem no ar poucos minutos depois que as frutas foram espremidas ou trituradas. Troque seu suco por uma fruta inteira e você só tem a ganhar. Sua justificativa pra tomar sucos diariamente é “Sucos são melhores do que refrigerantes”? Isso não é argumento, pois refrigerante é um concentrado de substâncias químicas, sal e açúcar (ou adoçante) tão ruim pra saúde que seria um absurdo usa-lo como referência. O líquido mais abundante da sua alimentação deve ser, de longe, a água. A única exceção aqui, na minha opinião, é água de coco, pois é um alimento natural integral (não modificado pelo homem) e é uma boa fonte de sais minerais. Mesmo assim não recomendaria um consumo imoderado de água de coco.  Pra manter o corpo hidratado, beba água. Não precisa banir totalmente sucos naturais da sua alimentação, mas eles devem ser considerados como pequenos prazeres líquidos, não uma maneira de matar a sede ou, pior ainda, de se manter saudável.

12- Adquira uma base sólida de conhecimentos em nutrição. Isso é o equivalente, em utilidade, a ter um kit de primeiros socorros junto com uma caixa de ferramentas! Entender os fundamentos da nutrição te dará o conhecimento necessário pra analisar ideias e (pre)conceitos através do prisma da nutrição séria. Vejo tantas pessoas seguirem dietas malucas ou acreditarem em velhos mitos (como, por exemplo, que tal iogurte açucarado vai fazer o filho crescer mais forte ou que só existe proteína na carne), tudo porque elas não têm o mínimo conhecimento em matéria de nutrição. Se instruir nesse assunto te dará o poder de separar as informações interessantes das baboseiras que aparecem na TV e em revistas. Não precisa cursar uma faculdade de nutrição, hoje podemos aprender de maneira informal e autodidata com livros, internet… Basta se assegurar que a fonte é realmente competente e independente (tem muitos trabalhos/artigos/livros patrocinados por indústrias duvidosas…).  É provavelmente o melhor investimento que você fará pela sua saúde e esses conhecimentos te acompanharão e te ajudarão durante a vida inteira.

legumes

Escrevi esse guia pensando em ajudar meus leitores onívoros, vegetarianos e veganos, então todas as dicas, com exceção da dica 4 (que obviamente não se aplica aos veganos)  são válidas pra qualquer pessoa, independente do regime que ela seguir.

E porque hábitos precisam ser cultivados pra durar, gostaria de oferecer pra vocês uma ajuda extra. O guia Papacapim de alimentação saudável tem doze pontos, então cada mês de 2013 vou explicar um deles em detalhes, dar dicas de como incorpora-lo à sua rotina e compartilhar receitas relacionadas ao assunto. Sintam-se livres pra dividir suas experiências (positivas e negativas) conosco nos comentários.

Você sempre quis transformar sua alimentação, melhorar a saúde, ter mais energia e acabar de vez com a prisão de ventre? Siga o guia e prepare-se pra ver uma revolução! Mas não se preocupe, eu te acompanharei durante todo o processo, segurarei sua mão, te mostrarei o caminho mais fácil  (aquele que é cheio de pratos saborosos) e responderei suas dúvidas.

Agora me digam, quais são, na opinião de vocês, os passos mais importantes pra construir uma alimentação saudável?

61 comentários em “Guia Papacapim de alimentação saudável

  1. Santa Papacapim, obrigado pela graça alcançada! rsrsrs

    Fiquei muito feliz de ver que em casa conseguimos praticar quase todas essas regras ao longo do ano passado, com algumas vantagens: eu certamente diminuí pela metade (ou mais) o consumo de carne (a luciana conseguiu cortar totalmente, aliás, tá quase vegana, hahaha). O único porém aí para nós é a questão do pão… Meu deus, como comemos pão :). E meu café da manhã não é dos melhores, principalmente qd estou em hotéis.

    E é isso mesmo que vc diz: em pouco tempo o paladar muda, sem muitos sacrifícios. É mais fácil do que parece.

  2. Querida Sandra!

    Quando leio seus artigos e todas as dicas que você nos dá, sempre fico pensando: “seria tão bom se fulano(a) lesse isso” e automaticamente imagino que muitas pessoas que conheço poderiam se beneficiar com essas mudanças de hábito.

    Sempre uso você como referência quando o assunto surge nas rodas de conversa com amigos ou família, mas sinto que nem sempre as pessoas estão realmente querendo ver que seus conceitos estão velhos e ultrapassados, como você mesma disse acima. É mais fácil e conveniente acreditar que o que elas fazem já está bom, e encarar essa mudança faz com que precisem rever ideias, (pré)conceitos e, como a vida de todos já é corrida, ainda existe o problema da falta de tempo.

    Eu mudei muitos hábitos ruins há alguns anos, por incentivo do meu marido, e hoje ainda sinto que preciso rever e mudar muitas coisas ainda, mas como você disse, é um processo longo e gradual, e aprender é para a vida toda!

    Fico muito feliz por ter conhecido você e por poder contar com a sua ajuda nessas mudanças. Já vi muita gente comendo delícias que preparei com suas receitas sem nem suspeitar que não tinham nada de origem animal, e o resultado é sempre surpresa e até espanto quando ficam sabendo. Está aí a comprovação do quanto somos forçados a acreditar em ideias que vamos aprendendo desde pequenos!

    Estou junto com você, te companhando e sempre que possível, compartilhando suas informações com as pessoas que são importantes para mim.

    Um beijão para vocês, com desejos de um ano maravilhoso em suas vidas!

    Ingrid, Daniel e Cia

    1. Obrigada por compartilhar e por continuar acompanhando o blog, Ingrid. Eu também fico muito feliz por ter conseguido te encontrar naquele dia e ter conhecido Daniel. Ainda lembro da euforia dele diante de um suco sem açúcar (“Suuuuuco!”) e penso em todas as pessoas que me disseram que é impossível criar os filhos sem açúcar. Admiro muito os seus esforços nesse sentido. E preciso te dizer que a sacola Papacapim que você fez pra mim faz sucesso na feira aqui:-) Feliz 2013.

      1. Que lindinho! 🙂 Preciso dizer que tem as mãozinhas do Daniel nessa bolsinha também! hehe

        Essa decisão de dar uma alimentação mais saudável para um pequeno é mais difícil do que se imagina, porque, por mais incrível que pareça, não tenho apoio de ninguém! Não faltam olhares e comentários preconceituosos por não dar aquilo que seria considerado “normal” para uma criança, como sucos açucarados, biscoitos que nem deveriam ter esse nome e até refrigerantes (!!!)…

        Não vou dizer que sou radical, de vez em quando eu deixo ele comer um chocolatinho ou alguma outra coisa, mas é EXCESSÃO!!!

        Obrigada, mais uma vez, por toda a sua disponibilidade em nos proporcionar esse canal de comunicação com você!

        Muitos beijos!

  3. Olá Sandra, vai ser muito bacana acompanhar suas dicas deste guia ao longo deste ano. Eu fico feliz em saber que muitas delas já estão consolidadas em minha alimentação e outras, que ainda trazem dificuldade, serão mais tranquilias com sua ajuda, certamente. Mas tem uma coisa que está sendo particularmente difícil pra mim, desde que me tornei vegana: comer fora com a família! Eu moro em Natal e enquanto comia leite e derivados, era bem fácil sair com minha família onívora. Mas agora… não tem sido raro eu sair e voltar para casa sem comer, fazendo minha última refeição do dia às 23 hs, morta de fome… É uma pena que, no Brasil, opções veganas em restaurantes são muito limitadas fora do eixo RJ/SP… Mas é isso, tudo é um aprendizado e eu vou encontrar a melhor forma de lidar com essa minha realidade. Obrigada por sua generosidade!

  4. Só vim aqui pra agradecer. Agradecer por mudar minha alimentação nesse último ano. Foi o melhor ano, em termos de saúde, da minha vida. Acompanho seu blog há muito tempo e consigo tirar proveito de cada post seu. Cada foto, cada receita e cada palavra sua faz a diferença na minha vida todos os dias. (minha meta até os 21 é virar vegana completamente) Muito obrigada por tudo Sandra, que seu ano seja maravilhoso 🙂

    1. Fico muito feliz em saber que 2012 foi o melhor ano em termos de saúde e que o Papacapim te ajudou a mudar sua alimentação, Rayssa. Muito obrigada pelo comentário (me emocionou muito). Que 2013 seja ainda melhor pra você (saúde e todo o resto).

  5. “Mas não se preocupe, eu te acompanharei durante todo o processo, segurarei sua mão, te mostrarei o caminho mais fácil…” Eu sei bem que isso não é retórica! Às vezes quase sinto o calor da sua mão segurando a minha. Obrigada!

    Sandra Pacheco

  6. Olá! Faz tempo acompanho o seu blog mas é a primeira vez que deixo um comentário aqui. Muito obrigada por tantas dicas e receitas valiosas. A papa de aveia faz parte do nosso café da manhã com regularidade. Já estou bem animada em aprender muito durante esse ano com todas as tuas dicas.

  7. Oi, tudo bem?
    Cheguei ao seu blog pesquisando sobre chia e amei esse artigo.
    Muito obrigada pelas dicas, são muito proveitosas.
    Já estou ansiosa esperando as dicas pra um café da manhã mais saudável e tb pelas dicar para reduzir consumo de trigo.

    1. Disponha, Nice. Você já deu uma olhada no index de receitas do blog? Lá tem várias receitas de café da manhã saudáveis e deliciosas, incluindo as minhas receitas preferidas com aveia.

  8. Sandra, obrigada por tanta gentileza!
    Quero te dizer que sou sua seguidora há uns 2 meses qdo encontrei o leite de amendoas. Desde entáo venho consumindo esse leite na forma de papa de aveia, com vitamina de frutas (adoço com mel). Fica táo bom….
    Náo consigo mais desgrudar desse leite…rs. Mas o médico me recomendou consumir pelo menos 1 pote de iogurte 1x ao dia por conta do calcio, entáo eu ainda náo me afastei do leite de vaca totalmente. Tenho consumido muitas saladas (ah!…no ano novo fiz salada de lentilhas com azeite e cebolas fritas por cima…hummm delicia !).

    Realmente é muito prazeroso comer com qualidade. Mas e o suco de uva?..li que tem substancias boas para o coraçao.

    Vc falou tb dos produtos de higiene/beleza, tenho uma dica que já deve ser velha conhecida de todos (mas foi novidade para mim). Substituí o desodorante por hidróxido de magnesio (o famoso Leite de magnesia). É barato e eficiente.

    Ah!…ainda há pouco fiz um docinho…damascos com chocolate amargo derretido. Mergulhei a ponta do damasco no chocolate derretido e congelei para ficar durinho. Depois coloquei num vidro com tampa para os momentos de desejo por doce.
    Eis a minha dificuldade…libertaçao total do açucar.
    Beijos e muita paz prá vc !…aguardo ansiosa os proximos posts.
    Cris

    1. Cris, quanto ao suco de uva, eu não tenho muito conhecimento no assunto (prometo pesquisar mais), mas acho que as substâncias que protegem o coração estão na uva, então acredito que comendo uvas, ao inves de tomar o suco, você obtém os mesmos benefícios. Já o vinho é um pouco diferente, pois parece que o processo de fermentação potencializa esses nutrientes… Eu já escrevi um post sobre produtos de higiene naturais e inclui a minha receita de desodorante natural (http://papacapim.org/2012/01/06/cosmeticos-naturais/). Talvez você ache interessante…

      Seu damasco com chocolate deve ter ficado uma delícia:-)

  9. Oii!! Sandra!!!
    Estava ansiosa pelo seu próximo post!!
    Seu guia ficou muito bom, sucinto e realista. Parabéns!!!
    Fui vegetariana por dez anos e há nove meses tornei-me vegana. Nem preciso falar que foi a maior e melhor atitude da minha vida, libertei-me!!!
    Sigo seu blog há tempos e acho você uma pessoa admirável, um exemplo para o mundo…
    Espero poder segui-la sempre.

    Deus abençoe você!
    Abraço,
    Roseni Firmino
    MS/Brasil

  10. Post maravilhoso!
    Me tornei vegetariana há algumas semanas e seu blog tem me ajudado tanto!
    Eu sinceramente AMEI as dicas, todas muito simples, incorporáveis e sustentáveis!Mal vejo a hora de ler os posts detalhados! 🙂
    Será que eu posso postar seu texto no meu tumblr (com os devidos créditos, é claro)?
    Seu jeito de escrever é incrível, por favor, não pare nunca.

  11. Oi Sandra! Post maravilhoso!
    Me tornei vegetariana há algumas semanas e seu blog tem me ajudado muito!
    Sinceramente, AMEI o guia, mal vejo a hora de ler os posts detalhados! 🙂
    Será que eu posso postar seu texto no meu tumblr (com os devidos créditos, é claro)?
    Seu jeito de escrever é lindo, nunca pare de escrever!
    Beijos e muita paz!

  12. Mais um post importantíssimo para todos nós. Apesar de considerar que a minha alimentação é saudável, ainda há muito a fazer e aprender. E como tenho aprendido com você, Sandra! A minha cozinha nunca mais foi mesma(para muito melhor) depois que descobri o seu blog. Dos 12 itens alguns ainda tenho que aprimorar e vou esperar ansiosamente pela detalhe de cada um.
    O ponto 3, retirar o açúcar da alimentação diária é um dos que comecei a batalhar muito a sério este ano. Penso que tenho mesmo de ser radical e só reservar o açúcar para dias especiais, de longe a longe, porque esse maldito viciou-me, por isso é melhor ficar longe… e como você escreveu, há tantas opções naturalmente doces e deliciosas. Há anos não coloco açúcar no café ou no chá, mas os bolos e chocolates são a minha perdição e comecei o ano em corte radical.
    O ponto 6 e ponto 10, preciso de transformar mesmo o meu café da manhã, que é habitualmente composto por pão com margarina de soja e café, salvo raras excepções em que como a tua aveia dormida…Um dos únicos alimentos fabricados que compro é a margarina de soja e só encontro uma marca totalmente vegetal, porque por incrível que pareça algumas mencionam 100% vegetal e encontro soro de leite nos componentes!(eu leio todos os rótulos e sei mais ou menos interpretá-los). Mas mesmo essa única quero dispensar, e no fundo tudo é uma questão de hábito.
    O ponto 12, parece fácil, mas não é bem assim, principalmente no caso de vegetarianos e veganos, encontramos muita literatura que não nos serve e já ouvi palestras de nutricionistas a considerarem o vegetarianismo uma alimentação incompleta… Por isso é tão importante a divulgação de elementos como você faz, é muito útil e o testemunho de que temos saúde para contrariar essa onda.
    Eu acrescentaria um ponto 13, o exercício físico, que não sendo alimentação é muito importante também para todos nós e também é algo que este ano estou a aprimorar.
    Agradeço a tua disponibilidade e dedicação!

    1. Também levei um tempo pra cortar a margarina do cardápio, mas depois de alguns meses sem ela passei a achar o gosto tão ruim que não foi sacrifício nenhum abandona-la. Concordo com a parte do exercício, mas nesse post eu quis me concentrar na parte “alimentação” de uma vida saudável. E confesso que minha rotina de exercício está longe de ser ideal, então me sinto hipócrita recomendando algo que eu mesma não faço:-(

  13. Oi Sandra, amo seu blog!
    Gostaria de saber se você pode me ajudar:
    Eu e meu marido somos ovolacto há três anos e queremos nos tornar veganos (ou diminuir MUITO o ovo e principalmente o leite.) Queijo é um vício maldito!
    Só que trabalhamos fora por um longo período (ele 9 horas por dia e eu 10).
    Não sei como me organizar, pois gostaria de não comer fora de casa.
    Como você disse, quero aproveitar o frescor de janeiro pra mudar alguns hábitos!
    Tem dicas? Como você faz?

    Obrigada pelo conteúdo do blog!
    Beijos do interiorrrrrr de São Paulo.

    1. Denise, esse é um problema que todos nós enfrentamos. Eu acho que “organizar” é realmente o mais importante aqui. Nesses três posts
      http://papacapim.org/2012/02/23/15-dicas-pra-cozinhar-de-maneira-pratica-e-economica/

      http://papacapim.org/2012/02/27/minha-rotina-culinaria/

      http://papacapim.org/2012/03/06/como-compor-um-cardapio-vegetal-equilibrado/

      explico como organizo minha rotina culinária e acho que eles serão úteis par você. A única maneira de evitar comer fora durante a semana é preparando comida em casa e levando marmitas pro trabalho. O post sobre como compor uma salada-refeição (http://papacapim.org/2012/04/12/anatomia-de-uma-salada/)vai te dar mais ideias de marmitas saudáveis e saborosas pra levar pro trabalho.
      Espero ter ajudado.

  14. Os 12 hábitos citados para uma alimentação saudável são realmente muito bons, e respondendo a pergunta do post, para mim os passos para uma alimentação saudável são vários, em principal ingerir feijão ao menos uma vez ao dia, não beber líquidos nas refeições, comer a cada 3 horas, e muitos outros, principalmente ficar de olho no tamanho das porções que ingere-se.
    Mas acho que tudo deve ser feito visando o tipo de vida do individuo, não concordo em cortar o açúcar totalmente de uma dieta, ele é fonte de energia sim, não dá melhor, obviamente, mas é uma fonte de energia rápida, como em casos de hipoglicemia, retirar o açúcar totalmente é retirar uma parte do prazer de comer, assim como cortar os sucos naturais, seria ótimo trocar o suco por uma fruta fresca, mas poucas pessoas estão dispostas a pôr isso em prática.
    A campanha do governo brasileiro, chamado “5 ao dia” é simples e de grande utilidade, pouco divulgado infelizmente, mas propõe-se a ingesta de 5 porções de FLV (frutas, legumes e verduras) por dia, consumindo 5 cores diferentes desses 3 alimentos. É uma boa dica!
    Acho que não podemos nos privar de tudo, devemos comer com cautela e sabendo o que está colocando no seu próprio corpo, colocar comida de verdade, mas sem esquecer que a alimentação também é um prazer, e se você não tem nenhuma patologia que te impeça de comer um doce uma vez por semana, ou saborear uma porção de mandioca frita de vez em quando, então não viva se auto-privando.

    1. Natália, concordo plenamente com você. Comer não deve deixar de ser uma fonte de prazer e acho que uma alimentação que priva o indivíduo de prazer não pode ser considerada saudável. Mas acho que você não entendeu alguns pontos do meu guia:
      -Existem fontes naturais de energia rápida , como frutas secas, que funcionam como o açúcar que você citou, mas que tem os benefícios de ter fibras e vitaminas. Ninguém precisa de açúcar pra ter energia.
      -Eu proponho cortar o açúcar do dia-a-dia, mas deixei bem claro na dica 3 que sobremesas e doces fazem parte sim de uma dieta saudável, basta consumir com moderação.
      -Eu discordo que retirar o açúcar da dieta significa retirar uma parte do prazer de comer. Eu sinto muito mais prazer comendo minhas sobremesas adoçadas com tâmaras do que comendo sobremesas tradicionais feitas com açúcar. Não digo isso só pra ter o prazer de te contradizer, estou sendo muito sincera. Gosto é algo extremamente pessoal e o que é considerado delicioso por um pode ter um sabor ruim pra outro. Como expliquei, e alguns leitores concordaram nos comentários desse post, nossos gostos evoluem.
      -Claro que muitas pessoas não estão dispostas a trocar sucos por frutas frescas. Muitas pessoas não estão dispostas a seguir absolutamente NENHUMA recomendação desse meu guia. Mas isso não dimminui a pertinência/importância da sugestão.
      -Mais uma vez, sou totalmente a favor de um doce por semana (até mais se você quiser) e da porção ocasional de macaxeira frita (que eu adoro). No início do texto explico que na minha opinião a saúde, ou a falta dela, não depende da ingestão de um único alimento, mas que ela é a consequencia de hábitos saudáveis. E esse guia é exatamente sobre isso: hábitos que devem fazer parte da sua vida e não regras rígidas que não devem nunca ser quebradas. Minha mensagem é a seguinte: se você comer alimentos nutritivos e integrais 90% do tempo você terá a liberdade de preencher os 10% que sobrar com o que quiser, sem que isso tenha um impacto negativo na sua saúde.

      Espero ter conseguido explicar com esse comentário o que não ficou claro no texto, Natália. E obrigada por ter me dado a oportunidade de explicar melhor as minhas ideias.

  15. Ah, mudança de hábitos! Para muitos é como bicho-papão, por isso preferem acreditar em dietas milagrosas!
    Como algumas pessoas já opinaram, ter hábitos saudáveis quando se passa muito tempo fora de casa é difícil. Deixar de ingerir alimentos industrializados é tarefa árdua quando se trabalha fora… mas é possível diminuir a proporção. Por exemplo, colocar uns tomates e cogumelos picados no molho semi-pronto. Não resolve, mas já supre um pouco de fibras, vitaminas e licopeno.
    Minha maior dificuldade quando era mais jovem era a vontade de consumir doces. Sou uma formiga! Em vez de cortar completamente o consumo, comecei a trabalhar com compensação: definia meu orçamento de doce e uma vez por mês comprava um chocolate ou bolo dos mais caros que encontrava. Então no resto do mês precisava me virar com menos. Mas me segurava pensando naquele chocolate de origem controlada que ia comer no mês seguinte… até que o corpo começa a pedir menos doces.

    PS. Está muito frio na Palestina? Cuide-se para não pegar gripe!

    1. Achei essa sua estratégia inteligentíssima, Yoko! E obrigada por ter explicado que com o tempo o corpo passa a pedir menos doce (vai se livrando do vício), pois sei que muita gente se assusta pensando “Nunca, nunca conseguirei viver sem açúcar!”. Ter relatos de pessoas que, como você mesma se definiu, são uma formiga e que mesmo assim conseguiram diminuir o consumo de doces vai dar coragem pra muita gente.

      Está muito frio aqui, sim. Embora “muito frio” seja relativo. Com certeza sofi mais nos invernos parisienses, mas como aqui faz tanto calor na maior parte do ano a gente acaba se desacostumando com o frio… Anne colocou no blog dela umas fotos de Belém coberta de nve na semana passada. A alegria das crianças era contagiante. SE quiser dar uma olhada, vai lá: http://chroniquespalestine.blogspot.com/2013/01/2013-and-back-snow-in-bethlehem-and-al.html

  16. Olá Sandra, Adorei esse post e vou aplicar-me a sério para fazer algumas mudanças na alimentação. Adoro doces e refrigerantes e acho que me viciei nisso: esta vai ser a minha grande batalha este ano, libertar-me do açucar!
    Como preciso de perder uns quilos, consultei uma nutricionista e os conselhos foram logo cortar nas leguminosas porque são muito calóricas e incluir lacticínios magros. Bom eu não gosto de leite e yogurte (embora goste) faz-me sentir sempre indisposta. O queijo é que é mais dificil largar. Encontrei finalmente um leite vegetal que gosto, o de aveia da marca Provamel que é delicioso, mas também um pouco calórico. Será que você tem alguma receita de leite de aveia?
    Quais as receitas de leguminosas do seu blog que poderão ser menos calóricas?
    Beijos

    1. Paula, estou chocada com a declaração da sua nutricionista. Leguminosas muito calórias? 1 concha de feijão carioca cozido tem apenas 41 calorias! A mesma medida de feijão preto= 69 calorias, de feijão branco=79, lentilha=65 e por aí vai (veja uma lista mais longa de leguminosas e suas calorias aqui: http://boaforma.uol.com.br/tabela-calorias/leguminosas.htm)

      Leguminosas são ótimas fontes de proteínas (uma concha de feijão preto tem 4g de proteína) e fibras e são pobres em gorduras e calorias. A menos que você esteja preparando o seu feijão com linguiça, bacon e muita carne, não tem sentido nenhum dizer que leguminosas são calóricas e ruins pra dietas de emagrecimento (e mesmo nesse caso a culpa não é da leguminosa e sim das carnes). Leia esse artigo se o que eu disse ainda não te convenceu: http://saude.abril.com.br/edicoes/0301/corpo/conteudo_298314.shtml Mas ignore a última linha onde tem escrito que 1 colher de sopa de feijão tem 58 calorias pois não é correto (talvez o feijão desse exemplo foi cozinhado com carnes gordas…), as medidas certas foram citadas mais acima.

      Todas as minhas receitas com leguminosas são pouco calóricas, já que não tem nenhum produto de origem animal, só legumes e uma quantidade muito moderada de azeite. Talvez você queira evitar as que tem oleaginosas, mas todas as outras podem fazer parte do seu regime sem problema. Especialmente as saladas com leguminosas, pois são cheias de vegetais e, por isso mesmo, ainda menos calóricas. Dê uma olhada na lista de receitas do blog e você encontrará muita coisa interessante.

      Outra coisa: esqueça os laticínios, mesmo os magros, se você não os digere bem. Mais uma vez, eu expliquei no texto: a verdadeira proteína magra é fejão e outras leguminosas. Sinceramente, se eu fosse você mudaria de nutricionista. Teve uma pequena euforia uns tempos atrás por causa de um “estudo” que dizia que laticínios ajudavam a perder peso, mas ainda não existem dados científicos suficientes pra provar isso (e logo depois alguns médicos responderam dizendo que o que ajudaria a emagrecer é o cálcio, não laticínios, então qualquer alimento rico em cálcio, independente da fonte, ajudaria a dieta). E se você não souber quais outros alimentos, além dos laticínios, são ricos em cálcio aqui vai uma listinha: gergelim, couve, amêndoas, melado de cana, brócolis, tofu… Descubra tudo sobre o cálcio e os mitos nesse ótimo artigo do Dr Eric Slywitch: http://www.alimentacaosemcarne.com.br/nutrientes/calcio

      Boa sorte com o regime, Paula.

  17. E eu pensando que estava por dentro de todas as suas dicas… Você me fez abrir os olhos quanto ao trigo. Realmente, às vezes acabo comendo trigo no desjejum, no almoço, no lanche e no jantar, sem perceber!

    Agora vou ter que repensar meu cardápio no dia em que fizer trigo em grão pro almoço (comprei pela primeira vez, ainda não preparei). O que vai substituir meu pãozinho integral no café da manhã? 🙁

    Espero que um dia consigamos no encontrar em Natal, não é justo você nunca estar lá quando eu estou rsrs.

    1. O trigo é danado, mesmo, está em quase tudo que a gente como hoje em dia… Dica pra substituir seu pãozinho no dia em que quiser comer trigo em grão no almoço: papa de aveia.

      Falando em Natal, estou planejando a viagem desse ano pelas terras potiguares. Será que dessa vez o encontro acontece?

      1. Tomara! 🙂
        Costumo ir em dezembro (época de Natal/virada do ano) ou em julho, mas não programei nada ainda para este ano.
        Se vier a Brasília em qualquer época, me avise, viu?

  18. Estas dicas estão perfeitas! Não tenho nada a acrescentar.

    Agora que estive a ler alguns comentários apercebi-me do quão importante é o nosso papel de informar a população acerca de uma dieta vegetariana (e vegana neste caso) equilibrada… Fico triste por haverem nutricionistas mal informados, porque até agora não aprendi nada que contrariasse a minha alimentação 🙁

    Ainda bem que estás aqui Sandra para dar estes conselhos! 😉 E só posso dizer que estou ansiosa por Setembro, o mês dos cosméticos!

    1. Márcia, acho que nutrição deveria ser ensinada nas escolas, pra todos, pois apesar da dieta vegetal sofrer com mais preconceitos, muitos onívoros se alimentam mal (e às vezes colocam a saúde em risco) por não terem conhecimento nenhum no assunto. Você viu o comentário de Paula? Você, que é da área, me explique como é que pode uma desinformação dessas! E fiquei feliz (e aliviada) em saber que uma estudante em nutrição concorda com as minhas dicas:-)

      1. Hum, bem, quanto à nutrição ser ensina nas escolas, concordo completamente. O problema é que (pelo menos no meu tempo) foi dada, e de nada me serviu. As crianças não estão aptas a aprender, e o exemplo tem de vir dos pais, por isso concordaria com a educação tanto das crianças como dos pais, mas esta educação tem de vir de nutricionistas competentes. Porque actualmente quem ensina às crianças a matéria da nutrição são os professores de ciências, e com base na minha experiência eles só dizem que é importante comer arroz e carne (ou peixe), comer alguma fruta e sopa, e beber leitinho. E é isso. Não dão ênfase a qualquer vegetal, ou às leguminosas (lembro-me do meu irmão escrever num teste do 6º ano que o feijão era rico em proteína e cortaram-lhe essa resposta!)… Enfim, não me devia estender tanto, mas à coisas que me deixam revoltada.

        Quanto a essa nutricionista não sei onde é que ela tirou o curso coitada… O que eu aprendi foi que, assim como a carne ou peixe, as leguminosas cruas tem uma percentagem de 20% (por 100g) de proteína… Ora, um alimento com proteína e hidratos de carbono nunca é rico em calorias, pois 1g de hidratos de carbono fornecem 4kcal e o mesmo para a proteína. A gordura fornece 9kcal por grama! Sendo os feijões pobres em gordura, nunca poderiam ter uma elevada densidade energética. São conhecimentos básicos em que ela falhou completamente. E também há que considerar a quantidade de fibras (etc.) que são benéficos em situações de regime, em substituição de alimentos animais.

        Espero não ter escrito muito Sandra, e não te ter aborrecido!
        Beijinho

        1. Imagina, Márcia! Você não aborrece nunca, só informa:-) Com certeza poucos professores de ciências são aptos a ensinar nutrição pras crianças (os livros de ciências então, nem se fala!) Tinha que ser um nutricionista, mesmo, ou alguém com experiência em educação nutricional. Quando faço as oficinas na escola onde trabalho, o foco são os pais, pois embora a gente organize atividades pras crianças, não são elas que vão ao supermercado nem que cozinham em casa. E convencer os pais a dar o bom exemplo é a parte mais árdua. Obrigada pelo comentário e por todas essas informações.

      2. E olha, me metendo na conversa. Tem aquela coisa tão amplamente enraizada na gente,de pensar que um alimento só tem um nutriente, ou que um determinado nutriente só é encontrado num único alimento. Eu lembro das minhas aulas de ciências, e o livro trazia só um exemplo de cada grupo. Assim ‘proteína = carne’, ‘carboidrato=arroz’ e depois dava exemplos de uma refeição balanceada que tinha um de cada um desses alimentos citados. Eu achava uma loucura alguém ter que comer tudo aquilo numa única refeição, haha. Ah, a ignorância…

        E não sei, mas tem muita – mas muita mesmo! – gente por aí que passa pela faculdade e aceita sem piscar os mesmos mitos de sempre, não só sobre nutrição, né? Eu sou do tipo que, se um médico ameaça começar a falar que ser vegetariano não é uma boa escolha, eu levanto e vou embora. Sem dó, rs.

  19. Bonjour, Sandra!! Esse guia ficou “trés fantastique”!! Parabéns pela idéia, e pela iniciativa! Mudanças, mesmo para melhor, são difíceis, doem – literalmente – mas dependem da nossa vontade e da nossa conscientização do que deve ser mudado e da disposição em mudar. Você ajudou trazendo um “caminho das pedras”, não pra ser seguido ao pé da letra, mas como referência para a caminhada. Acredito que, seguindo seus conselhos, mesmo que a pessoa não tenha a mínima vontade de se tornar vegetariana ou vegana, só o fato de passar a comer comida de verdade, feita com amor, carinho, responsabilidade e critério, buscando diminuir ou abolir tudo que nunca deveria ter entrado na nossa casa, cozinha, geladeira e depensa, e hoje é venerado como ícone da modernidade, mesmo sabendo que nos faz mal (esses dias mesmo estava conversando com a Lene, pq o refrigerante mais vendido no mundo – que ela chama “carinhosamente” de “veneno”, apesar de eu ainda me envenenar de vez em quando com ele, confesso! – praticamente acabou com as garrafas de 2 litros e agora vende garrafas de 3 litros – que se assemelham a verdadeiras ogivas nucleares que mal cabem nas geladeiras, disse a ela q até o Natal de 2013 terá a garrafa de 5 litros, q deve se assemelhar a um garrafão de vinho, com alça e tudo!) já é uma grande iniciativa para a nossa saúde!
    Grande beijo, td de bom hj e sempre!

  20. Sandra, esse seu post não poderia ter vindo em hora melhor! Ando há algumas semanas matutando uma maneira de alimentar melhor a mim e meu esposo dentro da vida corrida que levamos. Somos veganos há um ano e desde então nossa alimentação já melhorou uns 300%, porém ainda sinto dificuldade em nos manter bem nutridos pelo seguinte: nós dois trabalhamos e estudamos. Minha rotina é bastante cheia, saio às 6h de casa e vou para o trabalho, saio de lá e vou direto para a faculdade chegando em casa em torno da meia-noite, quando finalmente tomo banho e desmaio. Sobre o café, queria muito conseguir preparar papas para comermos de manhã, mas quase sempre estou atrasada pelo cansaço e a dificuldade em levantar da cama, daí vamos no pãozinho com café/chá… =/ Trabalho aos sábados meio período, mas quando volto para casa sempre tenho algum trabalho para fazer, além das tarefas domésticas, família, etc. Meu esposo me ajuda no que pode (normalmente na limpeza), mas na cozinha fica complicado já que ele mal sabe olhar um arroz…rs Já tentei ensinar, ele tem boa vontade, mas acabo demorando muito mais desse jeito, então termino fazendo eu mesma.
    Sei que o erro nessa história toda é justamente meu estilo de vida atual, mas também não posso parar com isso agora. Tenho esperança de que faltam só mais dois anos para terminar a faculdade e poderei ter uma vida mais tranquila e saudável, apenas trabalhando, mas hj o que tenho é essa bagunça difícil de administrar.

    Já li todos os seus posts, tenho seu livrinho e tudo o que vc escreve é sempre uma inspiração para mim, pois vc sabe planejar tudo tão bem. Queria ter essa mente organizada que vc tem. Queria muito remover o açúcar da minha vida, comer bem o dia todo, dormir à noite. Vou me esforçar esse ano para melhorar ao menos nossa alimentação. Aliás, já estou cansada de ouvir minha sogra falando que meu marido emagreceu depois que “ficamos malucos”. Poxa, eu me esforço tanto, isso não é justo. Dá vontade de falar umas besteiras, viu…

    Bjão Sandra, e desculpe o desabafo…rs

    1. Bárbara, eu já estudei e trabalhei ao mesmo tempo e sei o quanto esse estilo de vida corrida cria obstáculos na busca de uma alimentação saudável. Mas saiba que pra mim a organização na cozinha foi algo que veio com o tempo e a prática. Como você só tem metade do sábado e o domingo livre, eu sugiro que você use algumas horas nesses dias pra preparar a comida da semana. Não precisa preparar todas as refeições, mas se você fizer alguns pratos de base no fim de semana, será mais fácil montar refeições nutritivas e rápidas durante a semana. E como você diz que seu esposo te ajuda, vocês podem dividir as tarefas: ele limpa a casa e você cozinha. Sei que cozinhar no seu dia de folga é um esforço enorme, mas garanto que vale a pena. Alguns exemplos do que você pode fazer no fim de semana pra ser consumido durante a semana:

      -Uma panela grande de sopa completa, com leguminosas e legumes, que pode ser o seu jantar durante a semana toda (de segunda à sexta). Congele a metade em porções individuais (ou porções duplas, se seu marido jantar com você) e deixe a outra metada na geladeira. Comece comendo a sopa da geladeira e do meio pro final da semana coma as porções congeladas (você pode colocar pra descongelar no fogo enquanto toma banho à noite).
      -Cozinhe uma porção de grão de bico temperado com sal e uma folhinha de louro. Depois faça como a sopa: deixe metade na geladeira e congele a outra metade em porções. Use o grão de bico pra fazer saladas completas, junto com vegetais frescos, que pode ser sua marmita na hora do almoço. Complete com uma ou duas fatias de pão integral, mais uma fruta pra sobremesa e você terá um super almoço portátil que poderá ser degustado a qualquer hora, em qualquer lugar.
      -Tenha sempre uma fruta (maçã, pera ou banana) na bolsa pra comer no lanche. Outras ideias de lanche que já vêm prontos: castanhas e frutas secas. Basta colocar um punhado em um saquinho e guardar na bolsa pra quando a fome bater.
      -O problema do café da manhã pode ser resolvido da seguinte maneira: prepare uma aveia dormida à noite, antes de deitar (use aveia em flocos, leite de soja pronto, passas, uma banana em rodelas, um punhadinho de castanhas (as que você mais gostar) e canela, se gostar). Deixe em um potinho com tampa descansando na geladeira. Na manhã seguinte basta colocar o potinho na bolsa, junto com uma colher, e carregar com você. Você pode comer seu café da manhã no caminho do trabalho (trem, ônibus) ou no trabalho mesmo.

      Algumas horas na cozinha no domingo e alguns minutinhos de preparação todas as noite e você poderá degustar comida nutritiva a semana inteira. Espero ter ajudado e boa sorte com tudo (incluindo a sogra:-).

      1. Vou colocar suas sugestões em prática já nesse fim de semana (hj comecei com a papa de manhã). Com certeza um pouco de esforço no tempo livre que temos vai valer muito a pena no fim das contas. Muito obrigada! =D

  21. Entendi Sandra, sua dieta é muito completa e rica e acredito que se as pessoas mudassem seus hábitos em 1/3 dessas dicas já faria uma grande diferença.
    Mas, o que disse, é no geral, digo porque faço faculdade de Nutrição e trabalho na área de nutrição clínica, então o que ví, vejo, e aprendo dia a dia é isso, infelizmente as pessoas vivem em um mundinho fechado, a maioria, mas há exceções, e dificilmente aceitariam mudanças de hábitos muito grandes 🙂

    1. Natália, eu entendo a frustração de quem trabalha nessa área e vê que pouca gente está disposta a fazer mudanças positivas na alimentação. Como expliquei no texto, trabalho com educação nutricional e nem te conto as caras que o pessoal faz quando começo a falar de alimentação saudável! Volto pra casa com a impressão de estar tentando empurrar uma montanha. Mas por isso mesmo acho de extrema importancia continuar educando, dando alternativas e ferramentas pra que a mudança seja possível (um dia, talvez, essas pessoas estejam prontas pra abraçar uma nova alimentação ). Não quero baixar os braços e ter uma atitude do tipo “nem vou explicar isso porque sei que essa pessoa não vai querer de jeito nenhum seguir minha recomendação”, como vi algumas vezes por aí. Tempos atrás fiz consultoria pra uma moça que estava sofrendo de diabetes gestacional. Ela me explicou que o médico prescreveu imediatamente remédios pra controlar a diabetes e mandou ela pra casa. Antes de sair do consultório ela perguntou timidamente “Mas não tem nada mais que eu possa fazer, além de tomar esses remédios?” e o médico respondeu “Ah, você poderia controlar essa diabetes mudando a alimentação e fazendo exercícios regularmente, mas quem vai fazer isso, né? Tome o remédio que é mais fácil.” Ela ficou chocada com essa atitude, rasgou a receita médica e mudou de médico. Por isso ela me contactou, pra aprender a comer de maneira mais saudável. E claro, passou a gravidez inteira sem problemas e hoje está mais saudável do que antes. Tudo isso pra dizer que embora minha experiência com educação nutricional mostre que pouquíssima gente está disposta a mudar seus hábitos alimentares em nome da saúde (todos me pedem receitas milagrosas ao invés de reeducação alimentar), continuo achando importante levar essas informações ao maior número possível de pessoas e dar à elas a chance de escolher por elas mesmas. E pelos comentários aqui dá pra ver que tem muita gente querendo adotar um estilo de vida mais saudável e natural. Sejamos otimistas:-)

  22. Muito bom!! Estou acompanhando o blog há pouco tempo mas já estou apaixonada! Concordo 100% com as dicas, porém todos temos um calcanhar de Aquiles e o meu é o danado do suco de laranja com couve e maçã… Tomo todo dia no café, mas vou tentar maneirar, prometo…rsrs. Parabéns pelo seu trabalho e dedicação em ajudar, abraços!

  23. Ola…meu nome e Regina, Achei seu blog por acaso quando buscava dicas para uma alimentacao saudavel.No comeco nao entendi o que era o tal de Vegano das receitas mas pesquizei.Voce Sandra me fez refletir muito, e mesmo eu sendo carnivora, tenho fe em conseguir abandonar este terrivel habito, suas palavras referindo se as animais como seres que sofrem para nos alimentar me tocarao profundamente.E sem falar o monte de coizas terriveis que absorvemos atraves deles.Acredito que um dia todos iremos viver em um paraizo onde homens e animais viverao em harmonia, e nos alimentaremos dos frutos da terra e nao deles.Entao apos ler seus artigos percebi que e contraditorio eu crer neste paraizo e ao mesmo tempo consumir carne.Obrigada por acender esta luz no meu caminho e por todas as suas dicas, que Jeova te abencoe muito e tambem a sua familha.Obrigada.

  24. nossa, eu sempre pensei que açúcar mascavo era o melhor açúcar, e agora, como faço para adoçar meu café, ou suco, ou cevada? o açúcar demerara é melhor? e o mel faz mau também, posso substituir o mel pelo que ?

  25. Além dos sites que você recomenda, e dos seus e-books (que eu vou comprar), o que mais você recomenda? Eu vi em um comentário de algum post, você falar bem fo livro “Lugar de Médico é na Cozinha”. Eu já estava de olho nesse. Quais mais?
    Beijos!

Deixe uma resposta para nina Cancelar resposta