Já abriu a geladeira e encontrou vários restos de comida, mas nenhum em quantidade suficiente pra se transformar em uma refeição? Se isso nunca aconteceu na sua cozinha, provavelmente você é do tipo que joga restos de almoço e jantar fora (ou do tipo que nunca cozinha em casa). Pare com isso imediatamente! Aquilo que sobrou na panela não é o resto da sua última refeição, é o começo da próxima.

Esse é um dos talentos mais valiosos na cozinha: saber transformar restos de comida em uma nova refeição. Os pontos positivos dessa prática são: economia de comida, já que nada vai parar no lixo, e de tempo, já que uma parte da sua próxima refeição já está pronta.  Porém quem não tiver criatividade pra fazer esse tipo de transformação pode até decidir nunca mais jogar os restos fora, mas eles correm o risco de acabar no lixo do mesmo jeito, só que alguns dias mais tarde. Sabe quando guardamos na geladeira duas colheres de feijão, uma xícara de arroz, meia porção de macarrão etc. e só lembramos dos ditos cujos quando o aroma ficou esquisito e o bom senso manda você não ingerir mais aquilo? Pois é, aconteceu muito comigo.

Mas eu trago boas novas. Aliás eu nunca escreveria sobre um assunto se eu não tivesse boas novas pra vocês. Ninguém precisa ser um mestre da criatividade pra transformar o resto de ontem (que na minha terra a gente chama de R O) na refeição de hoje.

Restos de macarrão cozido sem molho podem entrar em sopas, como essa daqui. Mas lembre de colocar o macarrão na panela quando a sopa já estiver pronta, pois ficar nadando no líquido fervente vai fazer com que ele se desintegre (ele já está cozido, lembra?).

Restos de macarrão curto (parafuso, penne) cozido, com ou sem molho, podem se transformar em uma salada fria de macarrão. Basta juntar legumes crus (tomate, cebola, pimentão vermelho, rúcula, azeitonas, cenoura ralada…) ou cozidos (brócolis, couve-flor, abobrinha…) e regar tudo com uma vinagrete (1 parte de vinagre balsâmico ou de sidra + 3 partes de azeite + sal, pimenta do reino, ervas e, se gostar, um pouquinho de mostarda de Dijon). Pense em uma combinação de legumes harmoniosa e use uma quantidade equivalente ou pouco maior do que a porção de macarrão. Isso significa que se você só tiver um restinho, provavelmente não vai conseguir transforma-lo em uma refeição pra quatro pessoas, mas você tem a opção de cozinhar mais macarrão pra fazer a quantidade desejada de salada.

Sobrou feijão e/ou legumes cozidos? Faça sopa! Restos de arroz e outros cereais podem se transformar em salada fria (como no exemplo da salada de macarrão acima), entrar na composição de sopas ou serem degustados como acompanhamento.

Os restos difíceis de reciclar (espaguete,ou qualquer macarrão longo, com molho, lasanhas, gratinados, saladas cruas temperadas) podem ser consumidos assim mesmo. As porções são microscópicas? Coma no lanche ou como entrada/acompanhamento. Às vezes na sexta-feira minha geladeira está cheia de restinhos sem muitas afinidades entre si pra se transformarem em um prato só, então esquento tudo (separado) e decreto que o jantar será estilo ‘tapas’ (se for durante o dia digo que será um piquenique:). É uma delícia encher o prato com uma colherada disso, outra daquilo, mais um tiquinho daquilo outro… E eu me livro de uma vez de todos os potinhos com restos de comida que repousam na geladeira antes de preenche-la com as compras do sábado.

Aviso importante: nunca transforme restos em restos. Ou seja, se juntou um resto de ontem no prato de hoje, coma tudo de uma vez pra não ter restos. Lembre-se que aquele resto já passou umas férias na geladeira e se ele for novamente pra lá depois de ser requentado as chances da comida se estragar são grandes. E nunca recongele algo que estava congelado. Eu tenho o hábito de congelar legumes (crus) quando compro quantidades grandes. Mas se usei legumes congelados pra fazer uma sopa, nunca congelo a sopa pronta.

repolho, cenoura, cebola

Ter restos na geladeira é tão prático que eu cozinho mais do que preciso de propósito. Quando preparo cereais e leguminosas sempre cozinho porções extras e com esses dois ingredientes prontos, posso fazer um almoço ou jantar completo e nutritivo em 15 minutos. Eu adoro pratos únicos (são mais práticos, ficam prontos em menos tempo, sujam menos louça), então gosto de misturar as porções extras (ou os restos) com legumes e transformar tudo em algo que lembra uma paella vegana, mas só na aparência. Se você precisa de uma ajudinha extra na cozinha (tradução: medidas e instruções mais precisas), eu preparei uma fórmula pra simplificar esse processo.

1 parte de cereal cozido (arroz -integral ou branco-, quinoa, cevada)

1 parte de leguminosas (lentilha, feijões, grão de bico, ervilhas)

3 partes de vegetais (cortados fininhos, pra cozinhar mais rápido, ou então já cozidos)

+ cebola, alho, ervas (frescas ou desidratadas)

+ outros realçadores naturais de sabor, como azeitonas, shoyu, tomates secos, palmito, cogumelos (opcional)

A receita abaixo mostra como colocar essa fórmula em prática, mas ela está aqui pra servir de guia. Adapte os ingredientes de acordo com o que você tiver na geladeira (respeitando as categorias) e as possibilidades são quase infinitas. Fórmulas desse tipo são extremamente úteis pra quem está aprendendo a cozinhar, ou quer aprender a preparar refeições veganas completas, então recomendo que você também dê uma olhada na fórmula da sopa e na fórmula da salada-refeição.

Arroz com lentilha e legumes (que sonhou em ser paella)

Essa fórmula dá certo com cereais e leguminosas cozidos só na água e sal, mas também com restos que já foram temperados. No dia que preparei esse prato não tinha nenhuma erva fresca em casa, mas um punhado de coentro ou salsinha picados cai muito bem aqui, por isso coloquei na lista de ingredientes. Você também pode usar restos de legumes cozidos aqui, mas nessa caso coloque-os na frigideira ao mesmo tempo que o arroz e a lentilha e aqueça tudo junto. Último lembrete: se estiver usando restos que já foram temperados, adapte a quantidade de shoyo pro seu prato não ficar salgado demais.

1x de arroz integral cozido

1x de lentilha cozida

2x de repolho branco picado bem fino

1x de cenoura ralada no ralo grosso (ou cortada em lascas com o descascador de legumes, como na foto)

1 cebola média, cortada em meias-luas ou picadas

2-4 dentes de alho, picados/amassados

2cs de azeite

Molho de soja (shoyu) e pimenta do reino a gosto

Suco de limão pra servir (opcional)

Um punhado de coentro ou salsinha, picado

Em uma frigideira grande e funda aqueça 1cs de azeite e doure a cebola. Junte o alho e deixe cozinhar mais 30 segundos. Acrescente o repolho e a cenoura, cubra e deixe cozinhar em fogo baixo, mexendo de vez em quando, até os legumes amolecerem (não precisa juntar água). Junte a lentilha e o arroz cozidos, tempere com shoyu a gosto e misture delicadamente pra não quebrar demais a lentilha. Deixe aquecer, coberto e ainda em fogo baixo, por alguns minutos. Quando estiver bem quente desligue o fogo, junte o coentro (ou salsinha), tempere com pimenta do reino a gosto e regue com mais uma 1cs de azeite. Prove e corrija o sal (pode juntar mais shoyu, se quiser). Eu gosto de espremer um pouco de suco de limão diretamente sobre o meu prato, pois além de realçar o sabor, a vitamina C ajuda o corpo a assimilar o ferro das lentilhas. Rende 2 porções como prato único.