Pesto de verdade

Por alguma razão misteriosa (eu culpo as forças ocultas), até algumas semanas atrás eu nunca tinha feito pesto de verdade. Adoro meu molho de majericão com amêndoas, que já apareceu aqui no blog acompanhando meus nhoques, mas ele não é pesto. Um dia li um longo artigo sobre a arte de fazer pesto, picando tudo com uma faca grande (ou, melhor ainda, com uma mezzaluna) e pensei “Sou tão feliz com meus pesto cremoso falsificado, então por que me dar todo esse trabalho?”. Até que durante as férias na França uma vontade aguda de pesto me invadiu e como não tinha nenhum liquidificador por perto fui forçada a usar o método tradicional manual. Ô dia feliz!

manjericão
pesto vegano2
batata nova
batata nova assada

Pensei que fosse exagero  essa história de que pesto feito manualmente é infinitamente melhor, mas como eu estava errada! Por alguma outra razão misteriosa os micro pedacinhos de manjericão oferecem um sabor superior, muito mais vivo e intenso, do que a pasta que eu obtenho quando trituro tudo no liquidificador.

Claro que a minha versão foi ligeiramente adaptada. Deixei o queijo de fora e usei castanhas do Pará no lugar dos caríssimos ‘pignoli’. No sul da França tem um molho gêmeo do pesto, chamado de ‘pistou’, que não leva queijo, sendo naturalmente vegano. Então pensei que se os franceses, os maiores adoradores de queijo do planeta, preferem deixá-lo de fora, deve haver um motivo. Acho que descobri: o queijo parmesão, com seu sabor intenso, acaba abafando o sabor de manjericão e, honestamente, com tanto azeite e oleaginosas (sejam elas pignoli, castanhas do Pará ou nozes), quem precisa de mais gordura no seu molho? Resultado: pesto sem queijo é mais vibrante, menos enjoativo e mais leve. Notem que eu não disse ‘light’, pois continua sendo bem calórico. A boa notícia é que essa versão é uma bomba de sabor e você só vai precisar de um pouquinho pra deixar sua comida deliciosa.

As maneiras de degustar esse pesto são inúmeras. Você pode espalhar um pouco em uma fatia de pão tostado, usar como molho pra macarrão, servir sobre saladas de tomate, bruschetas, pizzas, na sopa… Mas acho esse molho particularmente espetacular com batatas assadas. Como está na época das batatinhas novas (pequeninas e deliciosas, com um leve sabor de avelãs, que a gente come com casca e tudo), servi os dois juntos várias vezes enquanto estive na França. Mas mesmo se suas batatas foram comuns, não deixe de experimentar essa mistura.

Meu pesto (vegano, sem glúten)

1 buquê de manjericão (aproximadamente 4cs depois de picado)

4-6 castanhas do Pará

1/2 dente de alho pequeno

5cs de azeite extra virgem

um pouco de suco de limão

sal e pimenta do reino

Usando uma faca grande e afiada, ou uma mezzaluna, pique finamente as folhas de manjericão. Elas devem ficar bem picadinhas (veja foto acima), então seja paciente. Rale as castanhas do Pará (tenho um super ralo microplane que as deixa com a textura de parmesão ralado, como vocês podem ver na foto acima) e pique (ou rale) o alho. Misture o manjericão picado, as castanhas raladas,o  alho picado (ou ralado), o azeite e um pouco de suco de limão (aproximadamente 1cc). Tempere com sal e pimenta do reino a gosto e misture bem. Prove e corrija o tempero, se necessário. Pode ser conservado na geladeira por alguns dias. É normal o azeite se separar um pouco do majericão. Pra resolver esse problema basta misturar tudo com uma colher antes de servir. Sirva com batatas assadas, macarrão, saladas…

33 comentários em “Pesto de verdade

  1. Sou uma grande apreciadora de manjericão! Já fiz a versão do seu pesto no liquidificador e é uma delícia! Então a receita de hoje deve ser incrível!!!

    Será que vc estando em Bruxelas vai aparecer alguma receita de waffle?? Hehehe! Tentei comentar no post passado, mas não consegui por causa da internet… Tenho certeza de que onde quer que vc esteja vai continuar ajudando o mundo a ser pelo menos um pouquinho melhor!!

    As ruas com cheiro do melhor chocolate não te dão vontade de voltar a fazer receitas com essa iguaria? 🙂

    1. Dei uma arrumada no comentário pra você, Aline. E com certeza estou com vontade de fazer mais receitas com chocolate:-) Pode aguardar que elas vão chegar por aqui (só preciso achar uma cozinha antes…).

  2. Olhe, eu sou uma freak no que diz respeito à curiosidade culinária. E quando se fala em pesto, minhas anteninhas de vinil começam a detectar todas as nuances. Outro dia vi num programa de TV uma receita de pesto alla genovese que me deixou bastante interessada. Quando vi a foto das batatas, pensei que ia ser essa versão Mas segundo a apresentadora, lá em Gênova eles cozinham batatas antes mesmo de a massa ficar pronta, e a batata se esfarela, fazendo o molho (que é sempre oleoso) aderir melhor à massa. E tem mais: na própria água do cozimento se colocam vagens pra cozinhar al dente e servir no meio do verde já lindo do manjericão. Minha próxima tentativa de pesto vai ser com vagem (fibras e proteínas a mais, por que não?), e vou trocar a castanha de caju (aqui bem mais comum) pela do pará, Não que eu não goste de como eu fazia, mas como o manjericão já tem uma nota doce, meio de anis, acho que a de caju faz a receita pedir mais sal ainda.

    Acho que juntando sua dica de agora com essa receita de que falei, vai ficar BABADO.

  3. Oi,
    Adorei a receita.Estou assando agora um pao com farinha de milho .Se ficar bom eu passo a receita se vcs quiserem.Pena que vc e sua esposa foram embora.Eu comprei 4 pacotes de farinha de grao de bico pra vcs.Fica pra proxima.Adoro seu blog.Adoro as fotos.Sao arte pura.
    Abracos a todos

  4. Delicia viu? Mais uma inspiraçao… Estou olhando para o meu pé de manjericão que está cheio de folhas, e ja sei oq fazer com elas :))). Menina, você precisava ver quando eu fiz o smoothie d banana e morango com leite de amêndoas (não coloquei açúcar nenhum pq as frutas estavam muito docinhas. Delicia, por sinal) e dei um pouco a minha irmãzinha de 6 meses. Ela detesta leite ( a nao ser que seja o materno da minha mãe), ai dei a ela enquanto estava tomando, ela tomou com muito gosto e ainda chorou quando acabou kkk. Só assim pra convencer minha mãe cabeça dura que o leite das vaquinhas nao é insubstituível, ne 🙂 Abraços carinhosos meus e da Érica ❤

  5. Mas afinal, qual a melhor planta para fazer o pesto? Existem diversas variedades e sempre tenho a impressão que não encontro o manjericão oficial para pesto.

    1. Eu gosto do manjericão das folhas grandes (a variedade mais comum que encontro no Brasil tem as folhas miúdas). Não sei como se chama, mas é esse o ideal nessa receita.

  6. oi Sandra, descobri seu site há poucos dias e amei! Hoje comprei manjericão na feira e fiz esse pesto, ficou uma delícia! Quanto tempo dura guardado na geladeira? Parabéns pelas receitas, pelas histórias e obrigada por compartilhar os segredinhos da sua cozinha!

    1. Oi, Waleska. Eu não aconselho guardar esse pesto por mais de um dia (na geladeira), pois o manjericão acaba se oxidando, apesar do azeite ajudar na conservação. Idealmente esse pesto é pra ser consumido de uma vez, então é melhor preparar porções pequenas (só a quantidade que você precisar pra refeição que estiver preparando).

  7. Sandra, to me sentindo uma idiota, rs. To tentando imprimir suas receitas mas não consigo. De qualquer modo que eu tente, aparece aquela caixinha avisando que é propriedade intelectual. Juro que não quero copiar nada! Só quero imprimir e levar o papel pra cozinha sem medo de eventuais acidentes que podem acontecer com um notebook perto de comida, hehe. Vc pode me dar uma luz?

    1. Gabriela, só agora estou vendo seu comentário. Desculpa pela demora. A maneira mais simples de imprimir as receitas do blog é fazendo um “print screen” da receita que você quiser e depois colar num documento do Paint. Vai ficar salvo como uma foto, mas você vai poder imprimir sem problemas.

  8. Que delícia! São 00:20 e eu vou fazer pesto pra semana inteira porquê por uma coincidência incrível (a receita de tofu pra semana pedia manjericão) eu tenho manjericão em casa, mas não tenho molho de tomate (que aqui em casa ninguém faz, mas compramos a lata de 3kg) haha!
    E muuuuuuuuuuuuito azeite – recomendação da nutricionista, eu juro.

    Amo seu blog e acompanho seu instagram também, Sandra, você é maravilhosa em muitos aspectos além da culinária. <3

    #GoVegan

Deixe uma resposta