Zaaki*

livro projeto

No início desse mês o livro de receitas palestinas que eu criei pra arrecadar fundos pro projeto de mulheres no campo de refugiados de Aida ficou (enfim!) pronto. Além de ensinar a fazer 15 receitas tradicionais, o livro explica a situação dos refugiados palestinos e conta a história do projeto. Ele é o fruto de três árduos meses de trabalho e quando o segurei nas mãos pela primeira vez senti uma mistura de alegria e alívio. Nunca imaginei que fazer um livro (sozinha) fosse tão penoso: entre recolher as receitas, fotografar os pratos, escrever os textos e fazer o design/layout, quase perco o juízo. Mas agora que ele está aqui olhando pra mim, estou extremamente feliz por ter controlado a vontade de desistir e ter ido até o final. (Clique nas imagens pra aumenta-las.)

livro projeto1livro projeto2

No início queríamos usar o dinheiro da venda do livro pra fazer um jardim de infância pras crianças especiais do campo. Mas só tínhamos verba pra publicar cem exemplares e como o dinheiro não será suficiente pra dar início a esse novo projeto, decidimos deixar esse sonho pra mais tarde. Então o dinheiro do livro será usado pra organizar uma viagem pras dez famílias do projeto. Se tudo correr como o planejado, em abril iremos ao mar morto, passar o dia tomando sol, piquenicando e nos banhando naquela água salgadíssima. Devido à situação econômica difícil (a taxa de desemprego em Aida é de 70%!), essas famílias raramente saem do campo, então a viagem será o acontecimento do ano e desde janeiro as crianças só falam disso.

livro projeto3Queria mostrar algumas das fotos do nosso livro, pra vocês verem o mimo que ele ficou, e aproveitar pra compartilhar mais uma receita palestina. Adas fat é um prato muito humilde, feito com lentilha (que os palestinos chamam de “a carne do pobre”) e pão. Ele é consumido principalmente no inverno, quando o corpo precisa de alimentos que aquecem e reconfortam.  Essa receita é tradicionalmente vegana, mas a versão que vocês veem aqui é um tiquinho diferente da versão do livro. Islam, que me ensinou a fazer adas fat, usa somente cebola, lentilha, água e sal na sua sopa. Eu gosto de incrementar um pouquinho, juntando mais dois ou três ingredientes. Mesmo ‘incrementada’, essa receita é extremamente simples, barata e nutritiva. O tipo de receita que quebraria um galhão pros estudantes veg(etari)anos, ou qualquer pessoa que queira um jantar rápido, fácil de preparar, mas cheio de proteína (e completa!) e outros nutrientes.

livro projeto4

Em novembro, quando falei que estava escrevendo esse livro, alguns leitores ficaram muito interessados. Pensei em fazer uma versão digital do livro em Português, já que não seria viável enviar exemplares pra tão longe. Mas por causa dos meus diferentes projetos não terei tempo de traduzi-lo esse ano (o livro foi escrito em Inglês). Porém se alguma alma caridosa se oferecer pra fazer a tradução (são só 37 páginas, muitas delas com fotos), eu aceitarei de muito bom grado!

*Zaaki significa ‘gostoso’ em Árabe. O título completo do livro em Português é: Zaaki– Receitas palestinas saborosas direto da nossa cozinha no campo de refugiados de Aida.

adas fat

Adas fat (sopa palestina de lentilha coral e pão)

Lentilha coral cozinha mais rápido e tem um sabor mais suave do que lentilha verde. Ela é tradicionalmente usada em sopas, pois se desfaz durante o cozimento (nunca tente fazer uma salada com esse tipo de lentilha!). Se você não conseguir encontrar lentilha coral na sua cidade, sugiro essa outra receita palestina que usa lentilha comum.

1 cebola grande, picada

4 dentes de alho, ralados/picados

1x de lentilha coral

2 tomates, picados

Uma pitada generosa de cúrcuma

1 folha de louro

Azeite, suco de limão, sal e pimenta do reino a gosto

Pão, de preferência integral

Aqueça 1cs de azeite e doure a cebola. Junte o alho e cozinhe mais 30 segundos. Acrescente a lentilha coral, os tomates, a cúrcuma, o louro, sal e 1 litro de água. Quando começar a ferver baixe o fogo e deixe cozinhar, coberto, até a lentilha ficar bem macia. Desligue o fogo e tempere com pimenta do reino, 1cs de azeite e suco de limão a gosto (usei o suco de  ½ limão grande). Prove e corrija o sal (talvez você queira junta mais um pouco de suco de limão também).

pão e azeite

Toste o pão até ficar ligeiramente crocante. Rasgue o pão em pedaços e distribua nos pratos onde for servir a sopa (cerca de duas fatias pequenas por porção). Regue o pão com azeite (1cs por porção) e cubra com a sopa quente. Rende 4 porções.

*Pra complementar a refeição: esse prato é tradicionalmente servido com uma salada crua de tomate, pepino, pimentão e salsinha, temperada com sal, azeite e suco de limão. Os legumes crus aumentam a dose de vitaminas da refeição e são o complemento perfeito pra esse prato (que já tem a proteína da lentilha e os carboidratos complexos do pão integral).

52 comentários em “Zaaki*

    1. Por enquanto ele só está à venda aqui na Palestina (em Inglês). Mas, graças às almas caridosas que estão me contactando, talvez saia uma versão digital em Português… Se sair aviso aqui no blog.

    1. Maravilha! Não imaginei que teria tantos voluntários:-) Nesse caso vamos dividir o trabalho, como sugeriu Yoko, pra não ficar muito pesado pra ninguém. Vou preparar uma versão PDF que possa ser enviada por email e entro em contato com você, Sophia. Muito, muito obrigada:-)

  1. Parabéns pelo “bebê”, Sandra!
    Como tenho aula todos os dias até o fim do ano, não poderei comprometer-me com muito tempo, mas poderíamos traduzir em algumas mãos. No final, uma revisão poderia uniformizar o texto. O que acha?

  2. Oi Sandra!
    Eu gostaria muito de comprar uma versão digital deste livro, em inglês mesmo.
    Que tal disponibilizar esta opção?
    Beijos! E parabéns por mais esta conquista!

    1. Claro, Irina! Não imaginei que alguém se interessaria em comprar a versão em Inglês, mas gostei da sugestão. Já tenho o livro em PDF (a versão que levei pra impressão), só preciso diminuir o tamanho das fotos pra que o arquivo possa ser mandado por email. Vou tentar fazer isso ainda essa semana e te aviso.

  3. Ola Sandra,
    Eu posso trabalhar na traducao do livro pro portugues, porem estarei mais livre, para comecar e terminar de uma vez, a partir de maio. Se antes disso voce nao tiver alguem para fazer a traducao, eu terei prazer em faze-lo.

  4. Sandra, se fizer uma versão digital, sugiro que coloque junto um link para o PayPal, aberto a doações ou mesmo cobrando uma taxinha irrisória pelo livro. Tenho certeza de que muitos ficarão felizes em pagar pela versão digital!

  5. Sandra,
    adorei saber a respeito do livro já em versão digital.As fotos ficaram lindas.Parabéns!!!! Li que várias pessoas ofereceram-se para traduzir o livro – Português / Inglês. Sou voluntária também no caso de vc.precisar mais pessoas para tradução. O Livro será traduzido em Francês tb.?

  6. Sandra,
    O seu livro está lindo! Não vejo a hora de ter uma cópia, pode ser em inglês mesmo 😀

    Vi que já tem bastante gente se oferecendo para ajudar na tradução, mas se precisar de mais uma mãozinha, pode contar comigo 😉

    Bjs

  7. Oi, Sandra

    Parabéns!!!
    O livro tem tudo para ser um sucesso, com certeza. Aliás… já é!
    Fico ao seu dispor se precisar de mais ajuda na tradução para o português. Quanto à divulgação, já comecei a espalhar por aqui e sei que terá muitos adeptos.

    Muita alegria e felicidade para todos que se encontram envolvidos com esse empreendimento!!

    Beijos,
    Vagaluminha (Marjorie)

  8. Parabéns, Sandra!
    Pelas fotos o livro está um mimo!
    Fiquei bastante feliz em ver tantos se disporem à tradução, imagino vc, hehehe
    Tão logo traduzido, vou querer adquirir!

  9. Olá, Sandra! Que bom que o livro se concretizou! Aguardo ansiosamente a versão em português. Gostaria muito de compra-la. Adorei a receita da sopa, parece tão reconfortante e aqui está tanto frio!

  10. Oi Sandra, cheguei hoje dos EUA e ainda estou meio tonta. Quero uma versao do livro em ingles. A sogra da minha filha ‘e uma pessoa muito espeial e vira me visitar em maio. Acho que sera um presente maravilhoso para ela. Me diga como vc esta fazendo e eu te passo o deposito. Beijos

  11. Olá, Sandra! Também me ofereço para fazer a tradução do seu livro para o Português. Acompanho seu blog há muito tempo e acho maravilhoso o seu trabalho, suas receitas, sua filosofia de vida, suas reflexões. Seria uma singela colaboração para um trabalho tão digno e uma forma de agradecer tua generosidade compartilhando teus conhecimentos e criações. Beijos.

    1. Muito obrigada, Jovana. Sua colaboração será muito importante. Assim que o arquivo estiver pronto mandarei um pedacinho pra você:-) O livro será traduzido por muitas mãos e tenho certeza que isso vai deixa-lo ainda mais especial.

  12. Bárbaro! parabéns Sandra, pelo trabalho,pelo livro, pela idéia em como empregá-lo de forma construtiva para quem o adquirir e pelo projeto com os dividendos que dele advir. Esperarei a versão em português!

  13. Que notícia ótima! Além de aprender receitas palestinas os seus leitores conhecerão o cotidiano dos que vivem no campo de refugiados Aida. Obrigada,amiga!
    Através do seu exemplo vc. mostra que é possível cultivar a esperança de um mundo melhor. Muito sucesso na divulgação de Zaak.

  14. Sandra, vc nao existe! Eh por pessoas como vc que eu ainda acredito que temos futuro. Acompanho há um tempo, mas hj tive que comentar. Fiquei mt feliz por vc!! Sucesso sempre 🙂

  15. Sandra, uma amiga acaba de me apresentar ao seu blog pq sou vegetariana, entro aqui e encontro de primeira todo o amor ao ser humano expresso na hitória do seu livro, que além disso ainda reúne um monte de comida boa (ai, que vontade de conhecer isso!!!).
    Olha, parabéns por ter chegado até aqui e publicado 100 exemplares! O que posso te dizer é que com o livro pronto isso pode te ajudar muito a captar recursos para uma tiragem maior ou sua difusão por outros meios, ajudando a difundir a história das pessoas de Aida, a jogar luz e uma perspectiva humana sobre uma questão tão distante de tantos e até a conquistar um jardim de infância.
    Tanto acredito que há entidades que poderiam apoiar a viabilização desses projetos, como há hoje muitos sites de crowdfunding, onde se publicam projetos e se pede apoio coletivo para viabilizá-los.
    Não sei se vc os conhece. Há sites brasileiros, como o Catarse, e com certeza existem os internacionais.
    Se precisar de ajuda para escrever o projeto – pra uma tiragem maior, pra um jardim de infância – estou à disposição.
    Sonho que se sonha junto tem força! Emocionante seu trabalho. Parabéns!

  16. Oi, Sandra!
    Já trabalhei com traduções colaborativas, uma dica é colocar o texto todo no Google Docs e cada participante pode “adotar” um ou mais parágrafos, descentralizando a distribuição e acompanhamento do trabalho… E depois, pode-se fazer o mesmo com a revisão!
    Pode contar com mais um par de mãos para essa tradução 😉

    1. Muito obrigada pela dica, Carolina. Essa semana está sendo tão corrida que ainda não enviei o arquivo pras tradutoras voluntárias, então ainda dá pra colocar você na lista. Nada como ter alguém com experiência em ‘tradução colaborativa’ no nosso grupo:)

  17. Sandra! Graças a você, hoje a minha família japonesa está experimentando na janta de hoje esta (adianto, deliciosa) sopa palestina e ouvindo sobre o seu trabalho no campo de refugiados. Ficamos muito curiosos pelo livro e pode ter certeza que as suas histórias deliciosas estão sendo compartilhadas pelo Japão. Todos adoraram! Parabéns, parabéns, parabéns!

    1. Obrigada, Luciana. A tradução do livro Zaaki está emperrada desde o início do ano, mas vou fazer o impossível pra publicá-lo antes do natal.

  18. Oi…..eu de novo! Agora gostei de escrever aqui…..me aguenta! Rsrsrsr
    Já temos a versão, mesmo que em inglês para eu comprar? Poderia me orientar?
    Um beijo!

  19. Olá, Sandra. Parabéns pelo seu blog. Estou interessada no livro que vc organizou. Mesmo em inglês. Como posso adquirir? abraços,
    telma

Deixe uma resposta