Vegano no churrasco: guia de sobrevivência

 

Churrasco nunca foi a minha praia, mesmo na minha época pré-vegana. Eu detestava tudo nesse tipo de evento (ambiente, música, fumaça), então quando me tornei vegana nunca mais voltei a pensar no assunto. Porém nos últimos dois anos participei de alguns churrascos feitos por amigos estrangeiros morando aqui em Belém e fiquei menos churrascofóbica. Por razões éticas ainda prefiro não frequentar churrascos, principalmente os do tipo “três quilos de carne por pessoa, farofa e vinagrete”, que é a norma no Brasil. Mas meus amigos europeus não cresceram com a cultura do “quanto mais carne melhor” e não atribuem à carne a mesma importância (nem status social) que os brasileiros, tornando a experiência bem mais agradável pra mim (o fato desses churrascos parecerem mais com almoços/jantares ao ar livre, sem música, contribuiu bastante, claro). Eles sempre respeitaram meu veganismo, sempre preparam vários pratos vegetais pra todos (os acompanhamentos vegetais são tão importantes quanto a carne pra eles) e a quantidade de carne consumida é muito mais modesta do que no Brasil, além de ter sempre uma grelha exclusiva pros vegetais (que, como disse, são apreciados por todos).

Cenas do último churrasco que participei. Essa e a primeira foto foram feitas por Anne Paq.

Meses atrás recebi um e-mail de uma leitora pedindo dicas de churrasco vegano e como minha experiência nesse domínio aumentou um pouco, resolvi escrever um pequeno guia de sobrevivência pros veganos e vegetarianos. Sei o quanto churrasco é importante na vida dos brasileiros e imagino as dificuldades que os vegs passam por aí. Espero que com essas dicas você consiga se reunir com os amigos/família ao redor da churrasqueira, se divertir, encher a barriga com comida vegetal e, com um pouco de sorte, voltar pra casa sem cheiro de linguiça!

 

Dicas pros veganos e vegetarianos nos churrascos

-Primeiro de tudo converse com o organizador do churrasco antes do evento e explique, com bastante educação, que você é veg. Pergunte se pode reservar um cantinho da grelha pra assar seus legumes.

-Se o organizador do churrasco for compreensivo e bacana, ele se oferecerá pra fazer pelo menos um prato vegano (uma salada grande, por exemplo), mas caso ele não o faça, não cobre isso dele. Aceite sem reclamar que o churrasco é dele e ele serve o que quiser.

-Chegue cedo pra preparar sua comida antes do churrasqueiro começar a assar a carne (vai que a grelha é pequena e você não terá um cantinho exclusivo pros vegetais?). Assim ela não fica impregnada com aromas e sucos de carne.

-Ao invés de fazer espetinhos de legumes (um clássico do churrasco veg), prefiro preparar minha comida em trouxinhas de papel alumínio. Assim ela fica protegida (nada de cheiro nem suco de carne) e mais suculenta. No próximo post ensinarei essa técnica e compartilharei algumas receitas.

-Se o cheiro de carne assando te incomoda (e provavelmente incomoda a maioria dos vegs) procure um lugar bem longe da churrasqueira pra ficar. Melhor ainda: veja em que direção o vento está soprando e se posicione estrategicamente pra evitar receber fumaça na cara.

-Só porque é churrasco não significa que sua comida deve ser obrigatoriamente grelhada. Se preferir não assar seus legumes ao lado das carnes, leve pratos prontos de casa, como saladas cruas, saladas completas, sanduíches etc.

-Além de assar legumes, pense em assar frutas (em espetos ou trouxinhas). O açúcar natural das frutas carameliza no fogo quente da churrasqueira e fica uma delícia. Algumas frutas que são deliciosas grelhadas: abacaxi (pode até ser grelhado inteiro), figo, pêssego, pera, manga, banana, morango (por ter muito suco é melhor evitar o espeto e usar a trouxinha de papel alumínio)…

-Leve uma pasta ou patê veg, mais um pão especial pra aquecer na grelha. Sei que isso não é comum nos churrascos brasileiros (com exceção de pão de alho), mas é uma delícia e você poderá beliscar alguma coisa enquanto seus legumes assam (todo mundo vai estar comendo petiscos não-vegs e você não quer ficar chupando o dedo enquanto espera sua comida ficar pronta, não é?).

-Se outro amigo veg vai ao churrasco, combine com ele pra levar pratos complementares. Por exemplo, você leva uma salada de macarrão bem colorida, ele leva legumes e tofu pra grelhar. Assim vocês terão mais opções e a refeição será mais saborosa.

-Se o churrasco for pequeno, e você tiver tempo sobrando, se ofereça pra preparar um prato pra todos. É uma ótima oportunidade pra mostrar aos onívoros como a comida vegetal pode ser saborosa e criativa. Escolha uma receita que você adore e sirva com um sorriso (e não com um comentário do tipo: “Muito melhor do que carne, pois nenhum bichinho morreu pra que eu pudesse preparar isso.”)

-Se, ao contrário, tiver muitas pessoas no churrasco e todo mundo quiser um pedaço da linguiça de soja super cara que você trouxe, explique que, embora você adoraria que eles descobrissem o quanto a sua comida é saborosa, se você dividir sua linguiça vegana com todos não sobrará nada pra você. Eles podem comer outras coisas, mas você, não.

-Por mais que você ache um absurdo comer animais, segure a vontade de criticar os onívoros presentes. Sou absolutamente a favor de ativismo pelos direitos animais, mas é preciso saber identificar a situação e momento oportunos pra que ele seja eficaz e churrasco está longe de ser a ocasião ideal pra falar de veganismo.

-Porém se fizerem perguntas sobre seu regime alimentar e você sentir uma curiosidade saudável e um interesse verdadeiro, pode soltar a língua! É muito melhor abordar o veganismo de maneira positiva (falar sobre os pratos deliciosos que você descobriu, sobre como sua saúde está melhor agora etc.) do que atacar os onívoros. Mostre todo o seu entusiasmo por essa filosofia de vida, mas sem nunca criticar seu interlocutor.

-Se, pelas razões descritas acima, você decidiu nunca mais ir a um churrasco, mas a ocasião for importante e/ou os organizadores do evento muito queridos, uma solução “meio termo” é comer em casa e chegar só no final, quando a churrasqueira tiver sido apagada. (Obrigada Nina e Aline por essa dica).

Meu prato: legumes assados, salada crua, salada com pão e rúcula, mini beringela recheada em conserva, salada de cenoura e maçã e hummus.

Quando NÃO participar de churrascos

-Se o churrasco em questão é organizado por pessoas que não respeitam o seu regime alimentar e que não deixam passar nenhuma oportunidade de zombar da sua comida, não perca seu tempo. A companhia de amigos queridos pra mim é mais importante do que comida e já participei de eventos onde não tinha absolutamente nada vegetal pra comer, além de pão e suco, só pra prestigiar e curtir os meus amigos. Voltei pra casa com fome, mas com o coração feliz. Mas se os churrasqueiros não tiverem sua estima e você sentir que o ambiente será hostil (todo mundo passou por situações onde onívoros se unem pra caçoar de veganos), fique em casa. Qualquer programa na tv e resto de comida na geladeira é melhor do que passar o domingo escutando piadas anti-vegs.

-Amigo(a) veg, se a visão de animais mortos assando deixa seu coração doído e seu estômago embrulhado, você não tem obrigação nenhuma de participar de churrascos. Tenho amigos veganos que se recusam a ir a churrascos e, como disse mais acima, eu provavelmente não iria a um churrasco típico brasileiro. Se, por razões éticas, você não quiser frequentar churrascos, explique pra quem te convidou que você não se sente à vontade nesse tipo de evento, mas seja educado e agradeça o convite.

Como organizar um churrasco veg-friendly

Você é onívoro, mas tem amigos vegetarianos e veganos e quer fazer um churrasco que agrade a todos? Primeiro de tudo parabéns pela atitude louvável! Fazer um churrasco veg-friendly é muito simples. Basta preparar, e pedir pros convidados prepararem, acompanhamentos 100% vegetais, que todos poderão degustar. Alguns exemplos: saladas cruas bem coloridas, farofa caprichadas, legumes assados (batatas, cebolas, tomates) embrulhados em papel alumínio, pastas e patês, um pão saboroso… E não esqueça de pedir pra quem estiver assando as carnes separar um canto da grelha pros vegetais. Seus convidados vegs serão eternamente gratos pela sua atenção. Meus amigos onívoros usam duas mini-churrasqueiras, uma pra carnes e outras pra legumes (veja foto acima). Eles sempre colocam as churrasqueiras longe uma da outra (pra evitar que os vegetais fiquem com cheiro de carne), em um cantinho do jardim (pra evitar de enfumaçar os convidados). Se possível, faça o mesmo.

Precisando de inspiração? Aqui vão algumas receitas vegetais perfeitas pra ocasião (clique no nome do prato pra ver a receita).

 Aperitivos e pastas:

Bruschetta
Guacamole com maçã
Pasta de feijão com tomate e coentro
Hummus
Mutabbal (patê de beringela palestino). Você pode assar a beringela na churrasqueira, ou preparar tudo em casa.

Saladas especiais:

Salada de macarrão e grão de bico com abobrinha, tomate e rucula
Salada de vagem e pão grelhado com tomate e manjericão
Salada de feijão e manga
Tabule
Panzanella

Saladas de batata (um clássico dos meus churrascos vegs):

Salada de batata e azeitona preta (simples, mas sublime).
Salada de batata de Lila
Minha salada preferida, com tofu defumado e uvas (uma das coisas mais deliciosas do mundo!).

As ideias não param por aí. Consulte a lista de receitas publicadas aqui no blog pra se inspirar ainda mais. Tem também esse vídeo que a chef Camila Cascais fez pra VegeTv ensinando a fazer churrasco vegano. E não deixem de voltar aqui amanhã, pois postarei receitas inéditas pra preparar em churrascos, incluindo as trouxinhas das fotos acima.

20 comentários em “Vegano no churrasco: guia de sobrevivência

  1. Ah, Sandra. Amei o post, como sempre.
    Já assei muito abacaxi, fica uma delícia mesmo. Quando tenho assim uma grande inspiração, acendo minha mini churrasqueira (que ficou encostada por motivos óbvios) e asso legumes, pão e abacaxi. São dias de exagero, confesso, haha.

    Esse guia será muito útil, embora a maioria das pessoas que me convida pra churrasco não sejam tipo veg-friendly. Pelo menos me sinto menos culpada por recusar alguns convites, rs.
    Quando é alguma festinha que faço questão de ir, já como em casa, pra não ficar com fome e não ser tão anti social, como me chamam.
    [ ultimamente venho pensando se não é hora de conhecer mais pessoas. Não estou falando em simplesmente trocar de amigos, mas de ampliar as relações…tenho notado que, por mais que alguns com quem eu convivo sejam simpáticos, isso acaba na hora de comermos juntos, seja lá qual a circunstância ]

    Abraço!

  2. Achei muito engraçado um dia, em que eu estava fazendo a comida separada pra um vegano do coração. Um tio meu, chato como só os tios sabem ser, começou a perguntar como era viver só de alface. Aí eu cheguei com um prato de tempurá (massa só com cerveja e farinha de trigo) de vegetais variados e todo mundo “avançou”. Claro que eu já conheço minha família e tinha feito a mais. Esse mesmo tio, depois de lamber os dedos, exclamou: “Assim é fácil ser vegetariano, né?”

    No quesito grelhados e enfumaçados, acho que a melhor pedida é pegar cogumelos (sobretudo shimeji e shitake), marinar no shoyu temperado e colocar num espetinho. Fica muito bom e não é trabalhoso. Pena que esses cogumelos ainda não são tão comuns/baratos em tantos lugares do Brasil. =/

    1. Concordo com você: cogumelos marinados e grelhados (principalmente os marrons) são a melhor pedida em churrascos. Um amigo vegetariano sempre diz que cogumelos são os bifes do mundo vegetal:)

      Acho que tios chatos (e qualquer pessoa chata) não merecem seus tempurás, Carol. Manda tudo pra mim, por gentileza.

  3. Tenho amigos ovolactovegetarianos, marido que não come carne (mas come peixe), então sei a dificuldade pelo lado de quem organiza o churrasco. A ideia de assar as verduras antes para nãoficar com o cheiro e gosto da carne é boa, mas infelizmente a comida acaba esfriando.
    Uma das minhas saídas é assar algumas verduras no forno. Assim todos os convidados podem comer ao mesmo tempo.

    Milho verde assado na grelha também fica delicioso. Asse sem tempero até ficar quase no ponto, pincele shoyu e termine de assar. O shoyu tem que ser quase no final, para não queimar. Outras verduras que fazem muito sucesso em casa são a berinjela japonesa (menos amarga e mais magrinha, então mais fácil de assar) e o jiló. Coisa para gente crescida!

    1. A dica do forno é muito útil. Como asso meus legumes em pacotinhos de papel alumínio, posso prepara-los ao mesmo tempo que as carnes sem perigo de ter contaminação de gosto. O bom dos pacotinhos é que eles ficam quentinhos por mais tempo, elém de poderem ser requentados no forno, se preciso.

      Nunca experimentei temperar milho grelhado com shoyu, mas agora está na minha lista de pratos pro próximo churrasco. Obrigada pela inspiração, Yoko (como sempre:).

      1. Sandra, eu evito pacotinhos de alumínio para gerar menos lixo possível.
        Infelizmente só temos uma churrasqueira. Então acho que posso assar as verduras antes, para não pegar o cheiro da carne, e dar uma grelhada no forno para esquentar, se necessário.

  4. Como já disse em algum outro post, meu pai é do sul! Então pode imaginar a tradição do churrasco… aqui em casa fazíamos churrasco praticamente todos os domingos! Era só a família, então não tinha pagode (aqui em Brasília churrasco normalmente era com pagode… talvez hoje em dia seja música sertaneja, não sei mais!). Quando eu virei vegetariana isso diminuiu bastante… até porque eu não gostava de participar e o cheiro me incomodava muito! Daí meus pais pararam de comer carne (comem peixe e “frutos do mar” ainda, mas acho que já foi um grande avanço), então nunca mais fizemos churrasco aqui. Finalmente me tornei vegana!
    Em um oportunidade em que visitava a família no sul, minha tia queria ir a um churrasco com a família dela… eu não estava nem um pouco a fim, mas acabou que fui… Minha tia encomendou um nhoque argentino (esqueci o nome!!!) que é achatado e recheado (nesse caso apenas com tomate seco) e regado com molho pesto sem queijo (parece o seu, né!), feito no forno… Ainda, meu tio e meu pai prepararam vários espetos de vegetais e assaram batata na churrasqueira! Como a churrasqueira ficava dentro do ambiente (provavelmente porque no inverno faz muito frio) e eu fiquei do lado de fora, na grama, com primos muito queridos, acabou que foi uma experiência agradável, muito melhor do que eu esperava! E todos comeram dos meus pratos e adoraram, então de repente foi um estímulo pra eles continuarem a grelhar vegetais!!
    Ainda assim, realmente prefiro não participar de churrasco… se realmente é alguém muito importante pra mim e eu sei que tenho de ir, como antes e chego mais pro final da festa, pq provavelmente já pararam de assar! 🙂

    1. Que bacana isso tudo que você contou (a atitude compreensiva dos seus pais e do resto da sua família) e que delícia deve ser esses nhoques argentinos! Preciso descobrir que prato é esse que ainda não cruzou o meu caminho… E a dica de comer em casa e chegar no final do churrasco é muito boa. Como você é a segunda leitora que sugere isso, vou acrescentar mais essa dica ao post. Obrigada:)

  5. Adorei as dicas. Só participei de um churrasco como vegana, era comemoração do aniversário da minha avó e não tinha como não ir. Levei shitakes para assar, mas como eu não conhecia o churrasqueiro e não tinha muito espaço livre na grelha, acabei fritando meus shitakes no fogão mesmo e temperando com shoyo e cebolas caramelizadas. Tinha uma salada grande de alface, rúcula, agrião e tomate seco. Coloquei ela no prato, mais uma farofinha que fiz só com alho e cebola (baaaastante alho e cebola), o arroz e os meus cogumelos. Infelizmente ouvi algumas piadas, mas para não me estressar não respondi. Esse natal minha família quer fazer um churrasco no dia 25/12, já estou procurando que receitas fazer pra ceia e para o churrasco. Adorei as suas ideias, o homus já estava na minha lista, mas fiquei interessadíssima no mutabbal e da pasta feijão com tomate e coentro. Adorei as dicas, vão ser muito úteis. Obrigada 🙂

  6. Achei muito interessante saber que seus amigos europeus, respeitam os vegetarianos. Aqui no Brasil temos muito que evoluir, associa-se erroneamente a carne e industrializados como status. Negligencia-se todos os malefícios que a má alimentação ver para a saúde e para o ambiente. Mas estamos em um momento de transição, tenho certeza que mais alguma anos o ser humano evolua e respeita a escolha de casa um.

    Amei seu e suas receitas!!

Deixe uma resposta