Archives for posts with tag: Sobremesas
Pain d'épices

Pain d’épices

Uma das coisas que eu mais gostava de fazer durante o inverno na França era visitar as feiras de natal (“marchés de noël”).  Durante as semanas que precedem o natal, feiras com produtos típicos dessa época do ano são organizadas em todo o país. Tinha uma na minha rua e eu adorava passar por ela voltando do trabalho. Os odores que escapavam dos estandes eram deliciosos: vinho quente com especiarias, chocolates e alguns pratos de inverno preparados com batatas e muito queijo derretido. Mas o que eu mais gostava de comer nas feiras de natal era “pain d’épices”. O nome significa “pão de especiarias” e essa delícia pode ser preparada de várias maneiras, sendo mais parecida com um biscoito em algumas regiões da França, ou com um bolo denso em outras. Eu prefiro o segundo e era esse tipo de pain d’épices que eu comprava na feira de natal da minha rua. Se eu tivesse que descrevê-lo diria que é uma mistura do nosso pão de mel com o “gingerbread” dos ingleses, só que melhor. Embora a receita tradicional leve ovos e mel, acabei encontrando uma versão não somente vegana mas que é tão gostosa quanto o maravilhoso pain d’épices que eu comia em Paris durante o mês de dezembro.

Pain d’épices

Não use farinha branca no lugar da farinha de trigo integral pois é ela que dá a textura rústica do bolo, exatamente o que estamos procurando. Use a melhor farinha integral que você encontrar, orgânica se possível. Já fiz essa receita com farinhas de baixa qualidade e o sabor do bolo deixou muito a desejar. O ideal é consumir o bolo no dia seguinte, já que ele fica mais gostoso depois de ter passado uma noite descansando na cozinha. Essa receita é ideal para o lanche da tarde, acompanhada de uma xícara de café (ou chá).

Ingredientes

175g de oleo (azeite ou oleo de coco)

200ml de mel de engenho (melado ou melaço, dependendo de onde você mora)

225ml de leite de soja

275g de farinha de trigo integral

1cc de bicarbonato de sódio

1cs de especiarias*

1 pitada de sal

Modo de preparo

Aqueça o forno a 180°. Em uma panela pequena, esquente os três primeiros ingredientes, só o suficiente pra que tudo se misture bem. Deixe amornar.

À parte misture os outros ingredientes. Quando a mistura líquida estiver morna despeje sobre os ingredientes secos e bata com um batedor de arame até incorporar completamente a farinha aos líquidos e a massa ficar homogênea. Não use batedeira. Coloque em uma forma retangular pequena (untada e enfarinhada) e asse por mais ou menos uma hora. Como o tempo de cozimento vai depender muito do seu forno, enfie um garfo no centro do bolo: quando sair limpo o pain d’épices está pronto. Deguste no dia seguinte, acompanhado de um café.

* As especiarias usadas no pain d’épices geralmente são: gengibre, canela, cravo, cardamomo, anis, e noz moscada. A mistura é vendida pronta nos supermercados da Europa mas você pode, como eu, prepará-la em casa. O ideal é tostar e moer as especiarias inteiras mas como nem todo mundo tem um processador capaz de fazer esse trabalho vou dar a “receita atalho”. Misture 1cs (cheia) de canela em pó, 1 cs (cheia) de gengibre em pó, 1cc (rasa) de cravo em pó, 1 /2cc (rasa) de anis em pó, 1 cc de cardamomo em pó (opcional) e 1/2 cc (rasa) de noz moscada ralada.  Misture tudo com uma colher ou passe por uma peneira para misturar intimamente todos os ingredientes. O que não for usado na receita acima pode ser guardado em um potinho com tampa. Essa mistura vai acrescentar sabor e perfume a tortas de banana, bolos de maçã e o que mais sua imaginação mandar.

Tenho uma relação estranha com chocolate. Eu não gosto de comê-lo puro mas gosto de preparações com chocolate. Chocolate quente, por exemplo. Eu provei vários chocolates quentes na minha vida. A maioria não passava de leite com achocolatado totalmente sem graça. Na Espanha o chocolate quente é  bem espesso (tomado tradicionalmente com churros) e tem quase uma conscistência de pudim. Provei alguns chocolates quentes pegajosos e ultra doces, feitos com leite condensado e chocolate ao leite. Esses últimos parecem ser os mais apreciados no Brasil mas estão longe de ter minha simpatia. Tenho aversão à coisas doces demais e fico enjoada só em pensar em tomar esse tipo de bebida. Mas acabei encontrando um chocolate quente perfeito pro meu gosto, inspirado em uma receita francesa.  A textura é cremosa e encorpada o suficiente pra fazer da bebida algo especial mas não tão espessa a ponto de parecer um mingau. O sabor é intenso sem ser enjoativo. E além de tudo a receita é simplérrima. Enfin, a receita perfeita… pra alguém capaz de apreciar um estilo de sobremesa mais intenso e menos doce. Tenho consciência que o estilo de sobremesa nacional é bem diferente do que descrevi acima e que muitos vão preferir acrescentar algumas latas de leite condensado e umas colheradas de maizena ao seu chocolate quente. Vão em frente, eu não estou aqui pra julgar ninguém! Mas pra aqueles que quiserem experimentar algo mais sofisticado aqui vai minha receita.

 

Antes, porém, preciso explicar algo. Escolher um chocolate de ótima qualidade é indispensável. Infelizmente o chocolate vendido no mercado brasileiro tem pouco teor de cacau e muito, muito açúcar. Outro problema é achar chocolate vegano no nosso país. Enquanto no resto do mundo a separação é muito clara (“chocolate ao leite” tem leite, todos os outros-na grande maioria dos casos- não tem) aí tudo é mais confuso. Mas as coisas estão mudando e uma pesquisa rápida na internet me mostrou que já tem bons chocolates no mercado nacional. A Garoto produz um “talento” com 55% de cacau e a Kopenhagen vende barras com 70%, sem falar da suíça Lindt que pode ser encontrada aí e que tem chocolates maravilhosos que vão de 70 a 85%. Só não esqueça de ler a lista de ingredientes pra se certificar que o chocolate é vegano. Uma dica: um bom chocolate tem no mínimo 50% de cacau e contém apenas manteiga de cacau,  massa de cacau e açúcar. Baunilha e leticina de soja também são encontradas em bons chocolates mas fuja de tudo que tiver óleo vegetal, gordura hidrogenada, produtos químicos que contém números ou qualquer outro ingrediente estranho.

 

Chocolate Quente

O ideal pra essa receita é um chocolate com 50% de cacau. O sabor é intenso o suficiente sem ser super forte ou amargo. Caso você não encontre um bom chocolate meio amargo ou não saiba qual o teor de cacau do seu chocolate (quase nunca vem escrito na embalagem aí), acrescente uma colher de sopa rasa de cacau (cacau puro, sem açúcar) ao chocolate quente pra intensificar o sabor. Se você gostar de sabores mais intensos ainda, como eu, use um chocolate com 70% de cacau. Eu não adoço meu chocolate quente  mas dependendo do chocolate e do leite de soja usado (alguns são mais ou menos  doces) será necessário acrescentar um pouco de açúcar. Porém tente manter o nível de doce baixo pra apreciar melhor o sabor do chocolate.

Ingredientes

2x de leite de soja

80g de chocolate com 50% de cacau  picado(ou 80g de chocolate meio amargo mais 1CS rasa de cacau)

açúcar a gosto (opcional)

2 pitadas de canela

Modo de preparo

Numa panela pequena, ferva o leite de soja mexendo sempre com um batedor de arame. Isso vai fazer o leite ficar espumoso. Tire do fogo e junte o chocolate picado. Bata vigorosamente (com o batedor de arame) até o chocolate derreter completamente e uma camada de espuma se formar. Caso também esteja usando o cacau, dissolva o pó em um pouquinho de leite frio antes de juntar ao leite quente e só depois acrescente o chocolate picado. Bata tudo até ficar homogêneo e com um pouco de espuma. Não deixe de usar o batedor, só assim os ingredientes ficarão bem incorporados e o chocolate quente ficará cremoso. Prove e adoce, se preciso. Distribua a bebida em duas xícaras, polvilhe com a canela e sirva imediatamente. Serve duas pessoas.