Café da manhã é provavelmente a minha refeição preferida. Primeiro porque faço parte do grupo dos que acordam com o estômago roncando. Segundo porque comida de café da manhã é extremamente variada (já perceberam como o que se come pela manhã varia radicalmente de um país pra outro?). Só tem uma refeição ainda melhor do que essa: brunch. A ideia de juntar o café da manhã com o almoço (o nome vem da junção de breakfast com lunch) é pra mim genial. As opções de pratos aumentam ainda mais e, como brunchs acontecem no final da manhã, minha fome está ainda maior e o prazer de comer se intensifica.

Nos brunchs tradicionais (onívoros) a presença de ovos, embutidos e queijo é obrigatória, fazendo com que muitos pensem que essa refeição não faz parte do mundo dos veganos. Mas cá estou eu pra provar que isso está longe de ser verdade e que com um pouco de criatividade é possível criar um brunch delicioso totalmente vegetal.

brunch vegano2

Na hora de compor o cardápio misture pratos do café da manhã com alguns pratos (leves) de almoço. É importante que as receitas escolhidas se harmonizem e o resultado final não deve ser muito pesado. O brunch de domingo é uma tradição aqui em casa e gosto de fazer pratos saborosos, mas sem muita complicação. Também adoro servir brunchs pros amigos no meu restaurante ocasional e nesses eventos a comida é mais caprichada. Por isso vou dar duas fórmulas de brunch, uma básica e outra elaborada (pras ocasiões especiais).

Brunch vegano básico

Um bom pão + uma proteína vegetal + uma pasta/patê + um vegetal cru + uma bebida quente ou fria. Pra fazer um brunch sem glúten, troco o pão por batata salteada com cebola. Alguns exemplos de menus que seguem essa fórmula:

-Pão, bolinho de feijão preto com aveia, guacamole, salada verde e café/chá/suco.

-Pão, assado de lentilha, cogumelo com creme, broto de alfafa e café/chá/suco.

-Pão, tofu mexido, espinafre com creme, salada de tomate e café/chá/suco.

Batata salteada com cebola, tofu mexido , muta’abal, salada crua e café/chá/suco.

É importante servir algo cremoso pra acompanhar o pão/batata, por isso um patê ou um legume preparado com molho (espinafre com creme, por exemplo) é essencial. Lembrem que algumas receitas têm função dupla. Hummus, por exemplo, é uma proteína e ao mesmo tempo uma pasta pra passar no pão. Se quiser terminar o brunch com uma nota doce, frutas frescas cortadas são ideais. Geleia (como essa aqui), pra quem gosta, também pode ser servida aqui. Você também pode oferecer um leite vegetal pra acompanhar o café ou chá.

brunch vegano5

Brunch vegano caprichado

Um bom pão + uma pasta/patê + um prato quente + uma salada crua/cozida + um prato doce + uma bebida quente + um suco fresco.

-Pão, queijo de castanha fermentado, omelete de grão de bico, salada de macarrão com brócolis e pesto, prato doce, bebidas.

-Pão, tapenade, crepes recheados com creme de tofu, castanha e espinafre, salada de batata de Lila, prato doce, bebidas.

-Pão, hummus, quiche de abobrinha, pimentão vermelho e tomate seco, panzanella, prato doce, bebidas.

-Pão, creme de feijão branco com alho e alecrim, panqueca de batata alemã com compota de maçã, salada morna de cogumelo e milho, prato doce, bebidas.

-Pão, muhammara, tourte de cogumelo e espinafre, salada de feijão e manga, prato doce, bebidas.

Crackers de linhaça e aveia, patê de tofu, tomate seco e ervas, gratin de batata e cogumelo, salada de beterraba com nozes, prato doce, bebidas.

Em matéria de ‘pratos doces’ sugiro que vocês sirvam algo que apareceria na mesa do café da manhã e não algo da categoria ‘sobremesas’. Se o clima estiver quente, saladas de frutas frescas são perfeitas pra finalizar o brunch (ou simplesmente frutas frescas cortadas). Se quiser uma receita com frutas mais original, minha salada de frutas cítricas com tâmaras e hortelã é linda e refrescante e esse crumbre de pêssego é minha sobremesa peferida. Se o clima estiver frio, aposte em um bolo simples ou muffins, mas nada açucarado demais nem recheado. Por exemplo: bolo de melado e especiarias, bolo de cenoura e coco, muffins de limão e semente de papoula ou pancakes de banana e coco. Ou, pra diminuir o trabalho na cozinha, um pão doce especial ou uns biscoitinhos integrais comprados prontos quebram o galho.

brunch vegano3

Alguns extras que podem aparecer no seu brunch: azeitonas e outros legumes marinados, pães recheados, geleias, compotas de frutas, chocolate quente, vitaminas ou smoothies… Tem quem goste de servir um coquetel alcoolizado (mas leve) com o brunch e se essa é a sua praia, vá em frente. E lembrem que pra quem não consume glúten, é fácil trocar o pão por batatas salteadas por ou um cracker sem glúten (além de escolher patês, pratos quentes e saladas sem o danado, claro).

Você não é obrigado a servir todos os pratos que sugeri, a ideia é servir de guia e inspirar vocês. Se você servir pão com hummus, café e um pedaço de melancia garanto a polícia do brunch não vai bater na sua porta e acabar com o evento.

Roteiro prático

Agora algumas dicas de ordem prática. Brunch é geralmente servido entre as 11h e 14h (ou 10h-13h, se você é do tipo que acorda cedo), então se você não quiser acordar de madrugada pra preparar todos os pratos, é melhor começar a cozinhar no dia anterior. Então a dica mais importante aqui é: prepare o maior número de pratos possível na véspera.

Se eu estiver servindo um prato quente, sempre escolho algo que possa ser preparados na véspera e aquecido antes de servir, como quiches, panquecas (incluindo a de batata), tortas salgadas, gratins, assados e burguers. A massa do omelete de grão de bico pode ser preparada na véspera e descansar uma noite na geladeira. Na manhã seguinte cozinhe os omeletes e mantenha aquecido (em forno baixinho, coberto) até o momento de servir.

brunch vegano4

Então aqui vai um mini guia pra te ajudar a preparar o seu brunch sem estresse e sem precisar acordar antes da aurora.

Na véspera:

-Prepare o patê/pasta que for servir (alguns patês podem até ser preparados dois dias antes). A única exceção aqui é o muta’abal, que dever ser preparado minutos antes de servir.

-Prepare ou compre pão, crackers, torradinhas, biscoitos, bolos e muffins.

-Faça o prato quente, se estiver servindo um, e as saladas cozidas (saladas de macarrão, feijão, batata…) e guarde na geladeira. A maioria das saladas cozidas fica ainda melhor depois de marinar um pouco no frio, mas se estiver usando ervas frescas e/ou oleaginosas tostadas na receita, acrescente esses ingredientes minutos antes de servir (o sabor será bem melhor).

-À noite arrume a casa, ou o lugar onde for servir o brunch, e antes de dormir prepare a mesa onde ele será servido : toalha, pratos, talheres, copos, guardanapos…

No dia:

-Assim que acordar coma algo leve (uma fruta, por exemplo) pois você vai esperar algumas horas antes de começar a degustar seus quitutes e vai precisar de energia pra terminar os preparativos. E se você for como eu, uma xícara de café ou chá vai te ajudar a acordar.

-Prepare o molho e os legumes da salada crua e mantenha tudo na geladeira até o momento de servir. Mas atenção: só misture os dois (molho + salada) minutos antes de servir. Se estiver servindo uma salada de frutas prepare a salada e guarde na geladeira. Caso esteja servindo frutas frescas cortadas, corte tudo e coloque na travessa/bandeja em que for servir e cubra com um pano (pra proteger dos insetos).

-Se estiver servindo suco fresco, faça o suco e guarde na geladeira na jarra em que for servir.

-Entre meia hora e uma hora antes do início do brunch (dependendo da temperatura da sua cidade), retire o patê/pasta e a salada cozida da geladeira pra que fiquem em temperatura ambiente. Faça a mesma coisa com o prato quente pronto (assim ele precisará de menos tempo na hora de requentar).

-Termine de arrumar a mesa: arrume pães, bolachas, bolos, frutas, geleias, saladas cozidas, saladas cruas (chegou o momento de mistura-las com o molho)…

– Agora vá tomar banho e se preparar pra receber seus convidados.

-Minutos antes do início do brunch prepare as bebidas quentes. Transfira o café pra uma garrafa térmica e mantenha o chá em uma chaleira (as de louça e cerâmica mantêm o calor por mais tempo que as de metal). Se estiver servindo chocolate quente, coloque em um bule que poderá ser levado ao fogo, se precisar esquenta-lo novamente. Coloque todas as bebidas, quentes e frias, sobre a mesa. A essa altura a mesa deve estar completamente posta, como todas as comidas que serão servidas (menos o prato quente).

-Quando os primeiros convidados chegarem coloque o prato quente (que estará em temperatura ambiente) no forno pra requentar. Eu gosto de receber meus convidados com um suco ou um café/chá, assim eles não ficam com as mãos vazias enquanto esperam o brunch terminar de ficar pronto e os outros convidados chegarem.

-Quando todos os seus convidados estiverem presentes coloque o prato quente sobre a mesa (que a essa altura já deve estar quente novamente) e convide todos a se servir. Agora é só relaxar e aproveitar a comida gostosa e a companhia dos amigos.

Esse roteiro é muito útil se você estiver servindo um brunch caprichado pra um número importante de amigos, mas meus brunchs dominicais a dois não precisam de todo esse preparo, claro.

brunch vegano palestino

Mas seja o seu próximo brunch um evento íntimo degustado no aconchego do seu pijama, ou um evento pra muitos amigos, espero que esse post tenha sido útil e inspirador. E espero também ter convencido os céticos de que é totalmente possível degustar um delicioso brunch 100% vegetal.

E um pequeno bônus: as últimas fotos desse artigo mostram dois brunchs tradicionais palestinos (que eles chamam de ‘café da manhã’, mas que é servido depois das 11h e é composto de pratos robustos, então pra mim é brunch!). Na primeira foto (feita no meu restaurante preferido aqui): hummus, muta’abal, tomate cozido com cebola (‘kalayat bandora’), salada crua, azeitonas e pão semi-integral. Na segunda foto (feita em um restaurante em Jerusalém): hummus, salada crua, tomate cozido com cebola, ful (pasta de feijão), falafel, picles, molho de pimenta e pão pita. brunch vegano palestino2