Essa também tem suas vantagens

Salada de lentilha, couve-flor e abóbora com molho de laranja

O entusiasmo causado pelo meu último post me surpreendeu. Eu não imaginava que tanta gente por aqui se interessava por saladas completas. As cutucadas que recebi nos comentários foram as seguintes:

-Queremos mais ideias de marmitas.

-Queremos mais receitas de saladas completas.

-Molhos de saladas diferentes e/ou poucos calóricos nos interessam.

-Como usar o danado do missô?

Hoje vou dividir mais uma receita “marmita-friendly” e tratarei dos outros assuntos em breve. Essa receita não segue a fórmula que dei no último post, pois faz parte de uma categoria diferente de saladas. Uma leitora comentou que precisa acrescentar sempre um ingrediente cozido, como couve-flor ou brócolis, na sua salada. Como a salada do último post era quase toda crua (com exceção do grão de bico e das amêndoas) resolvi dividir uma receita de salada toda cozida. Assim vocês veem os dois extremos e podem decidir aonde querem se posicionar. Eu, particularmente, gosto dos dois tipos de saladas e na maior parte do tempo misturo ingredientes cozidos e crus pra aproveitar os benefícios dos dois lados. As vantagens de usar legumes crus são inúmeras. As enzimas são preservadas (mais fácil de digerir, embora algumas pessoas, como a leitora citada acima, possam sentir o contrário), as vitaminas permanecem intactas e, graças ao grande teor de água, são mais hidratantes. Mas legumes cozidos também têm suas vantagens, pois a sensação de saciedade costuma ser maior e os diferentes métodos de cozimento podem melhorar o sabor de alguns legumes. O forno, que é minha maneira preferida de preparar legumes, faz maravilhas, concentrando os sabores e deixando o que já era bom ainda melhor. Por isso gosto de misturar legumes cozidos e crus nas saladas e na minha alimentação em geral.

Essa salada é extremamente nutritiva e consegue saciar o apetite mais voraz. Ela não é muito fotogênica nem sofisticada, mas é perfeita pro almoço da semana. As raspas e o suco de laranja se harmonizam perfeitamente com os outros ingredientes e acrescentam aquele toque original que transforma a comida humilde do dia a dia em algo que vale a pena ser degustado. Usei batatas doces alaranjadas, do tipo Beauregard, mas elas podem ser substituídas por abóbora. Infelizmente abóbora é algo raríssimo nessas terras e eu, que cresci comendo jerimum de leite, só degusto essa iguaria durante as férias no Brasil. Mas perdi o jerimum e ganhei as batatas doces alaranjadas, que além de deliciosas e ricas em vitamina A, têm um sabor mais próximo do jerimum de leite do que das batatas doces da polpa esbranquiçada que encontramos no Nordeste.

Batata doce do tipo Beauregard.

Se você tem a impressão que saladas cruas não conseguem preencher seu estômago, ou se você acha legumes crus e folhas não muito apetitosos, essa salada cozida é uma ótima alternativa pra aumentar seu consumo de legumes (e, consequentemente, de fibras).

 

Salada de lentilha, couve-flor e abóbora com molho de laranja

Usei batata doce alaranjada, mas como abóbora (jerimum) também funciona perfeitamente e é mais fácil de encontrar, preferi colocar a abóbora no título. Você pode substituir as nozes por castanhas do Pará, se preferir.

1x de lentilha crua

1 folha de louro + 1cc de sálvia desidratada (em flocos, opcional)

4x de couve-flor, cortada em pedaços pequenos

2x de abóbora ou batata doce alaranjada, descascada e cortada em pedaços pequenos (aproximadamente 300g)

4 cebolinhas (só a parte branca) picadas, ou 2cs de cebola picada

4 dentes de alho picados

2 punhados de nozes

1 punhado grande de salsinha ou coentro picado

1cc de raspas de laranja

Suco de 1 laranja pequena (aproximadamente 1/2x)

Azeite, sal e pimenta do reino

Cubra a lentilha com bastante água, junte o louro, a sálvia e 1/2cc rasa de sal e cozinhe (coberto, em fogo baixo) até ela ficar macia. Cuidado pra não cozinhar demais, a lentilha deve ficar al dente pra conservar sua forma e não se desintegrar na salada. Enquanto a lentilha cozinha, disponha a couve-flor e a abóbora (ou batata doce alaranjada) em uma travessa grande, regue com um fio de azeite e tempere com sal. Cubra com papel alumínio e leve ao forno alto até os legumes ficarem macios. Retire o papel alumínio, polvilhe com o alho picado e deixe assar (descoberto) durante mais alguns minutos pra que o alho asse e os legumes dourem levemente. Em uma frigideira pequena toste as nozes a seco (em fogo baixo e mexendo de vez em quando), até que a cor escureça um pouco e o perfume de nozes se intensifique. Escorra a lentilha cozida e descarte a folha de louro. Em uma saladeira grande misture a lentilha com os legumes assados, a cebolinha, as raspas de laranja, o suco de laranja, 2cs de azeite e pimenta do reino a gosto. Prove e corrija o tempero, se necessário. Polvilhe com as nozes tostadas (picadas grosseiramente) e a salsinha (ou coentro) e sirva a salada morna. Rende 2 porções como prato principal.

13 comentários em “Essa também tem suas vantagens

    1. Mas parece que seu amado não é chegado a couve-flor… Pensei em sugerir um outro legume, mas não consegui pensar me nada que combinasse tão bem com os outros ingredientes.

      1. rsrs ele até gosta de couve flor, mas não de todos os modos de preparo, mas assim acho q vai curtir sim..
        aliás nessa nossa nova empreitada, eu em particular, tenho gostado de comer coisas que nunca imaginei que iria gostar, ex. rúcula, brócolis, sempre comia mas torcendo o nariz… bjs

  1. Obrigada! Estou adorando a praticidade dessas suas saladas, já se incorporaram definitivamente ao cardápio aqui de casa, e todos estão gostando muito… é incrível como fica reduzido o tempo de preparo num dia ocupado, e degustamos assim mesmo algo muito saudável…

  2. Eu gosto muito de fazer salada com verduras/legumes/raízes cozidos. Tem coisas que não dá para comer cru…
    Batata, vagem, couve-flor absorvem bem o gosto quando temperados ainda quentes. Além de ficar gostoso, dá para reduzir o uso do sal.

  3. Oi Sandra tudo bem?

    Eu quero te parabenizar pelas suas receitas e por compartilhá-las conosco.
    Fiquei muito feliz quando por um acaso encontrei seu blog ontem, pois estava desesperada por receitas novas e queria algo diferente que fosse nutritivo e que fosse receitas vegetarianas.
    Porém decidi olhar sem compromisso seus postes e acabei me apaixonando por eles e suas receitas.
    Meu namorado é vegetariano e quer em breve ser vegano. E acredito que depois que encontrei seu blog não vai demorar muito para ele se tornar vegano.
    Eu só não sou vegetariana ainda, porque adoro camarão, mais já estou em um grande passo para chegar lá, pois não como mas carne vermelha e nem branca.

    Você esta de parabéns pois além de compartilhar suas maravilhosas receitas conosco você ainda explica o valor nutritivo delas… e isso me esclareceu muitas dúvidas que eu tinha.

    Obrigada!!!

    Um abraço,
    Wanessa Magalhães.

    1. Wanessa, seja muito bem-vinda ao Papacapim:-) Espero que você encontre bastante inspiração nas minhas receitas. E boa sorte pra você e seu namorado no caminho ao vegetarianismo/veganismo.

  4. Só queria deixar registrado aqui: faço muitas receitas suas mas essa é, de longe, a que faz mais sucesso aqui em casa! Minha esposa não é vegetariana (mas consome pouquíssima carne) e me pede com frequência para fazer essa salada. Pudera, ela é maravilhosa!
    Obrigada por me ajudar a manter a criatividade no dia-a-dia!

  5. Não consigo encontrar, aqui no Rio de Janeiro, o levedo de cerveja maltado. As pessoas com as quais já falei desconhecem esse produto. Tem alguma dica? Obrigada. Um abraço .

Deixe uma resposta