Ensopado de legumes indiano

Eu tenho uma relação ambígua com a culinária indiana. Eu adoro, mas não consigo comer muito nem com muita frequência. Acho as primeiras garfadas uma delícia, mas depois de terminar a refeição (às vezes até antes) me sinto ligeiramente enjoada. Aquela ruma de especiarias, sempre acompanhada de bastante gordura (ghee, óleo ou leite de coco), pode ser muito pesado no estômago de quem não tem costume de comer desse jeito. Sem falar na pimenta. Nunca vi comida tão ardente quanto a desse povo e olha que aprecio uma pimentinha. Minhas experiências gastronômicas na Índia foram bem traumáticas. E estômago tem memória.

Um mês naquele país deixou marcas profundas no meu ser e principalmente no meu estômago. Do meio pro fim da viagem já não conseguia comer muita coisa. Meu corpo rejeitava tudo que fosse um pouco mais condimentado e sobrevivi com pão, chai, frutas e iogurte (ainda não era vegana) durante as últimas semanas. Na época eu usava uma máquina analógica e essa é a única foto que tenho aqui comigo (as outras estão em um álbum e não foram escaneadas). Eu estava pálida, muito, muito pálida. Aquelas pimentas estavam acabando comigo!

Eu escrevi um diário de bordo durante as semanas que estive lá e essa passagem descreve um almoço na cidade de Hydrabad: “Eu pedi um prato com gengibre que, embora delicioso, foi a coisa mais apimentada que comi na vida. De tanta pimenta meu nariz escorria, meus olhos não paravam de chorar e até meu couro cabeludo doía. Enquanto comia usei todos os guardanapos que estavam sobre a mesa pra assoar o nariz e enxugar as lágrimas. Quem assistia ao espetáculo devia pensar que eu tinha acabado de perder metade da minha família em algum desastre e estava inconsolável! Saí do restaurante com a estranha sensação de que minha boca, língua e gengivas tinham duplicado de tamanho e fiquei algum tempo sem poder articular uma palavra.” Eu não estava brincando quando falei das pimentas daquele país.

Mas o objetivo desse post não é falar mal da culinária indiana, que além de ser extremamente saborosa e rica, é uma das mais vegan-friendly que existe. Há milênios que a maior parte da população indiana é vegetariana*, então eles tiveram muito tempo pra desenvolver uma infinidade de pratos vegetais elaborados, complexos e deliciosos. Talvez pros nossos paladares acostumados com comida menos condimentada (a menos que você tenha nascido na Bahia) esse tipo de comida precisa de um certo tempo, e algumas tentativas, antes de conquistar. Mas basta diminuir a pimenta e moderar um pouco as especiarias que ela fica acessível a todos. O que nos leva à receita de hoje.

Esse ensopado não é autêntico e uma cozinheira indiana provavelmente torceria o nariz pra ele. Porém essa receita consegue captar o espírito da comida indiana, sem no entanto ser exótica demais. Não me entenda mal, eu gosto de comida indiana pura e dura (só não como com frequência, lembre-se que tenho um estômago traumatizado) e faço um curry arretado! Mas pensei que pros noviços no assunto e aqueles querendo degustar um prato com um gostinho indiano, mas sem muita complicação, esse ensopado cairia muito bem. Eu adaptei essa receita (a foto é de dar água na boca), deixando as coisas um pouco mais simples (comida indiana geralmente vem com uma longa lista de ingredientes e pede muito trabalho na cozinha). O resultado ultrapassou minhas expectativas! Além de nutritivo e perfumado, esse prato é uma agradável mudança do tempero que estamos acostumados a comer. E garanto que não vai traumatizar ninguém.

*Sempre penso nos indianos quando escuto alguém dizer que é impossível viver sem carne. Se ser vegetariano e ter saúde fosse realmente impossível, não teria mais nenhum indiano (hindu) vivo, não?

Ensopado de legumes indiano

As especiarias são numerosas, mas resista à tentação de deixar alguma de fora (lembre-se que essa já é a versão resumida da maneira tradicional de temperar dos indianos). Se quiser experimentar um prato de inspiração indiana ainda mais sutil tente o meu quase upma.

1x de grão de bico cozido
4x espinafre picado (meça depois de cortado)
1 batata média em cubos pequenos
1 cebola picada
4 dentes de alho amassados/ralados
1cs de gengibre fresco ralado
2 tomates picados
1cc de cominho + 1cc de semente de coentro em pó + 1/3cc canela + 1/3cc cardamomo em pó + 1/3cc pimenta do reino + 1/3cc cúrcuma + 1/2cc pimenta calabresa em flocos (opcional)
Um punhado de coentro picado (aproximadamente 1x)
1cs de óleo
Sal a gosto

Cozinhe a batata na água até ficar macia, mas não se desintegrando. Reserve a batata e a água do cozimento. Refogue a cebola picada no óleo até começar a dourar. Junte o alho e o gengibre, deixe cozinhar 30 segundos. Junte os temperos em pó e mexa bem. Toste a mistura durante alguns segundos, até o aroma das especiarias ficar mais intenso, e acrescente os tomates picados. Deixe cozinhar coberto, mexendo de vez em quando, até os tomates se desintegrarem completamente. Junte então o grão de bico cozido, a batata cozida e o espinafre e acrescente 1 1/2x da água do cozimento da batata. Tempere com sal e deixe cozinhar coberto até o líquido se transformar em um molho espesso. Prove, corrija o sal, junte o coentro picado e deixe descansar 5 minutos, com o fogo desligado, antes de servir. Sirva acompanhado de arroz (melhor se for do tipo basmati). Rende 3-4 porções. Os sabores ficam ainda melhores com o tempo, então guardo um restinho pra degustar no dia seguinte.