Barrinhas de passas, coco e limão

Acho que todo professor de Português deveria fazer análise de texto com embalagens. Ler a lista de ingredientes dos produtos alimentícios industrializados é algo absolutamente fascinante (e apavorante). Talvez os professores achem minha ideia estranha (“Só podia ter saído da cabeça de uma cozinheira formada em linguística!”), mas quando vejo pessoas comendo porcaria pensando estar comendo algo saudável fico com muita pena. Quando adquirimos o hábito de ler a lista de ingredientes dos alimentos que ingerimos ninguém mais consegue nos enganar.

Pra mim o exemplo típico do que estou dizendo é barra de cereal. Tanta gente acredita que é algo saudável, quando na verdade a maioria desses produtos não passa de concentrados de açúcar com um tiquinho de fibra, misturado com conservantes e gordura ruim. Eu nunca como esses produtos (pra mim não são alimentos), mas adoro ler os rótulos de tudo que é industrializado pra ter pesadelo depois. Confesso que tenho tendências masoquistas.

Achei na net a composição das barras mais populares aí no Brasil. A mais baratinha tem:

Barra 1, INGREDIENTES – Xarope de glicose, flocos de arroz, banana desidratada, chocolate, aveia em flocos, açúcar invertido, gordura vegetal, sal e estabilizante lecitina de soja.

Vocês sabem que os fabricantes são obrigados a colocar os ingredientes em ordem decrescente, ou seja, o primeiro ingrediente da lista é sempre o que foi usado em maior quantidade. E qual o primeiro ingrediente dessa barra? Glicose (açúcar)! Depois vem chocolate, que com toda a certeza também tem açúcar. Mais na frente tem o quê? Mais açúcar! Durante muito tempo me perguntei o que danado era açúcar invertido (seria sal?), até descobrir que isso é um “xarope quimicamente produzido a partir do açúcar”.  O pior é a propaganda que acompanha essa barra: “Saudável, prático e gostoso, ***** é um alimento 100% natural, criado para as pessoas que procuram equilibrar uma alimentação saudável com praticidade e sabor.” Saudável? 100% natural? Faça-me o favor!

Mas o negócio piora. Fui procurar a composição de uma barrinha mais cara, pensando que os ingredientes seriam de melhor qualidade. Ledo engano.

Barra 2, INGREDIENTES – Glucose, flocos de três cereais (arroz, trigo e cevada), cobertura sabor chocolate ao leite, maltodextrina, flocos de milho, açúcar, aveia em flocos, leite em pó desnatado, castanha de caju, glicerina, óleo de palma, mel, açúcar mascavo orgânico, avelã em pasta, sal, estabilizante lecitina de soja, aromatizantes, corante natural caramelo e antioxidante natural tocoferol.

Quatro tipos de açúcar, mais mel, mais a tal “cobertura de chocolate ao leite”, que também tem açúcar. Se você não sabe, maltodextrina é um composto químico derivado da glicose. Trocando em miúdos, açúcar. O danado tem vários codinomes, o que confunde o consumidor. E o que essa glicerina está fazendo ali? Glicerina na minha casa só a do sabonete Granado!

Subi ainda mais no preço e procurei uma barra de cereal daquela marca mundialmente famosa, conhecida por fazer produtos de ótima qualidade.

Barra 3, INGREDIENTES – Aveia em flocos, flocos de trigo, açúcar, xarope de glicose, flocos de arroz, cevada em flocos, avelã, oleína de palma, liquor de cacau, lactose, gordura vegetal, manteiga de cacau, gordura vegetal fracionada, gordura anidra de leite, estabilizante polidextrose, umectantes sorbitol e glicerol, emulsificantes monoestearato de glicerila, lecitina de soja e ricinoleato de glicerila, aromatizante, acidulante ácido cítrico, corante natural caroteno e antioxidante tocoferol.

A primeira barra que utiliza mais aveia do que açúcar na composição, o que deveria ser a norma e não uma exceção. Mas pra compensar ela tem cinco (!!!) tipos diferentes de açúcar, cada um mais artificial que o outro, além de cinco tipos de gordura (oleína de palma, gordura vegetal, manteiga de cacau, gordura vegetal fracionada, gordura anidra de leite), glicerina (de novo!), aromatizante e corante. Quem ainda acha essa barrinha saudável?

Analisei a composição de uma barrinha “diet” só pra me torturar mais um pouquinho.

Barra 4, INGREDIENTES – Sorbitol, Flocos de Arroz, Aveia, Maltodextrina, Poli dextrose, Polpa de Morango, Morango em Flocos, Estabilizante Lecitina de Soja, Acidulantes Ácido Cítrico e Ácido Lático, Aromatizante, Corante Natural Carmim e Edulcorante Artificial Sucralose.

Quatro tipos de “adoçantes”, incluindo o sorbitol, a maltodextrina e a dextrose encontrados nas barras convencionais. Não vou começar uma discussão explicando porque adoçantes artificias são péssimos pra saúde, fica pra outro dia, mas deu pra ver que normal ou diet, essas barrinhas não são nada saudáveis, muito pelo contrário.

Eu faço barrinhas de cereais em casa de vez em quando, mas minha alimentação já é tão rica em cereais integrais que prefiro fazer barrinhas de frutas secas e oleaginosas. Elas são extremamente doces e saciam aquela vontade de comer um docinho no meio da tarde, mas usam somente ingrediente naturais de verdade, têm muitas fibras e não contêm açúcar branco nem nenhum tipo de xarope bizarro produzido em laboratório. Toda a doçura vem das frutas secas, que também são ricas em fibras e minerais. As oleaginosas são ricas em minerais, proteínas e gorduras boas. Essas barrinhas são tão gostosas quanto um doce, mas muito mais nutritivas e mil vezes mais saudáveis que barrinhas de cereais industrializadas.

A receita de hoje não é exatamente “ligth”, mas como expliquei acima essas barrinhas devem ser degustadas como um doce. Você pode fazer uma versão menos calórica substituindo o coco ralado por farinha de aveia, mas adoro o sabor do coco misturado ao limão. Passas e castanhas são ricas em ferro, por isso gosto de usar as duas juntas, mas você pode substituir as castanhas por amêndoas se quiser uma versão ainda mais rica em fibras.

Agora quem acha que deveríamos fazer um abaixo assinado pra tornar obrigatória a leitura de rótulos nas escolas?

 

Barrinhas de passas, coco e limão

O coco pode ser substituído, totalmente ou só uma parte, por farinha de aveia, ou aveia em flocos finos. Na minha opinião fica menos saboroso, mas com certeza é mais nutritivo. Essas barrinhas podem ser feitas no liquidificador ou no processador, por isso dou instruções pra fazer a receita nos dois. Prefiro o processador, pois com ele é possível triturar as passas sem acrescentar água e as barrinhas ficam mais firmes. Procure passas sem sulfato, pois esse conservante, usado nas frutas secas, não é bacana pra saúde. Tenho a imensa sorte de comprar uvas naturais, secadas ao sol pelo próprio produtor (o mesmo senhor que vende amêndoas na feira). Na foto acima dá pra ver o grau de “naturalidade” das minhas passas: elas vêm com cabinho e sementes (e eu como tudo!).

1x de passas

1x de castanha de caju (ou amêndoas)

Entre 1/2x e 1x de coco ralado (seco)

1 cs de raspas de limão

2-3cs de gergelim, ligeiramente torrado (ou cru, se preferir)

Método 1 (processador)

Deixe as passas de molho durante meia hora em um pouco de água morna (só o suficiente pra cobri-las). Triture as castanhas no processador até virar uma farofa grossa. Junte as passas escorridas e as raspas de limão e triture até a mistura começar a se unir, formando uma bola. Transfira pra uma vasilha média e junte 1/2x de coco ralado. Amasse bem com a mão até incorporar todo o coco na massa.  Retire uma porção de massa e enrole entre as mãos. Você deve conseguir formar uma bola com facilidade. Se a massa grudar nas mãos junte um pouco mais de coco ralado. Unte uma vasilha de plástico pequena e rasa(quadrada ou retangular) com um pouco de óleo e espalhe a massa sobre ela, formando uma camada uniforme e bem fina. Tampe bem e deixe algumas horas na geladeira pra ficar mais firme. Descole a massa da vasilha (coloque-a de cabeça pra baixo e bata no fundo), corte em seis pedaços e passe no gergelim. Você também pode fazer bolinhas, como brigadeiros, ao invés de barrinhas. Guarde na geladeira, em um recipiente fechado. Se conserva uma semana na geladeira.

Método 2 (liquidificador)

Deixe as passas de molho durante meia hora em um pouco de água morna (só o suficiente pra cobri-las). Triture as castanhas no liquidificador até virar uma farofa grossa. Transfira as castanhas trituradas pra uma vasilha média. Escorra as passas e reserve a água. Coloque as passas escorridas e 1/2x da água reservada e bata até virar uma pasta. Despeje a pasta de passas sobre as castanhas, junte as raspas de limão e 1x coco ralado e misture bem.  A partir daqui as instruções são as mesmas do método 1. Quando faço a receita no liquidificador acho mais fácil fazer bolinhas do que barrinhas, porque a mistura fica com uma consistência mais mole.