Tabule adulterado

“Tabule” é um prato libanês bastante famoso em alguns lugares do país. Com tanto descendente de libanês morando no Brasil (tem mais libanês no Brasil do que no Líbano!), não é de se surpreender. No meu estado, porém, esse prato é totalmente desconhecido. A primeira vez que comi tabule foi em Paris, durante meus anos de universitária na cidade luz. Eu comprava tabule no supermercado quase toda semana.  Feito com semolina, algumas verduras, passas e um pouco de menta, eu achava aquilo tão gostoso que até esquecia todo o óleo e conservantes que comida comprada pronta tem. Eu não conhecia nada da culinária árabe e na minha grande ignorância pensava que estava comendo algo grego.

Quando vim morar na Palestina descobri o óbvio: que o prato é libanes mas que também é preparado em vários lugares do Oriente Médio. Porém grande foi a minha surpresa ao provar meu primeiro tabule palestino. Aquilo que eu tinha comido durante anos estava a léguas de distância do prato original! O verdadeiro tabule é feito à base de salsinha (muita, muita salsinha!) e leva um pouquinho de triguilho e verduras. Nada de passas, semolina ou menta. Embora o prato original seja bom, eu sentia falta do meu amado tabule de supermercado, aquele que mesmo não sendo autêntico (nem saudável) era muito gostoso. O que fazer? Criar minha própria versão, claro! Misturei o que mais gosto em cada uma das receitas e se o resultado final ganha nota cinco no quesito autenticidade, com certeza ganha nota dez no quesito sabor. E de quebra ainda é muito saúdavel. Nem pense em servir meu tabule para um libanês (ele vai achar um sacrilégio!), nem para um purista da culinária árabe (idem), mas pra todos os outros essa salada saborosa e refrescante vai ser um sucesso.

Tabule

A maneira tradicional de preparar o triguilho é deixa-lo de molho em água fria por duas horas, espremê-lo com as mãos pra tirar o máximo de água possível e usá-lo cru. O método que utiliso é diferente: eu gosto de hidratar o triguilho em água fervente. Assim ele fica pronto em apenas vinte minutos, além de ficar mais macio e com um sabor mais suave. Porém sintam-se livres pra escolher o método que preferirem.

1x de água

4cs de triguilho (aquele usado para fazer quibe)

2 cebolinhas novas

½ pimentão (vermelho ou verde)

2 tomates

1 pepino pequeno

2cs de passas (pretas ou brancas)

1x de hortelã

1x de salsinha

4cs de suco de limão

3cs de azeite

sal e pimenta do reino à gosto

Em uma panela pequena, ferva a água com um pouco de sal. Jogue o triguilho na água fervente, tampe e desligue o fogo. Deixe hidratar durante 20 minutos. Enquanto isso prepare os outros ingredientes. Corte bem miúdo as cebolinhas novas (parte branca e verde), o pimentão e o pepino. Retire as sementes dos tomates e corte em pedacinho bem pequenos. Coloque tudo em uma saladeira e reserve. Pique a salsinha e a menta e junte às verduras. Quando o triguilho estiver hidratado transfira-o para uma peneira fina e esprema bem pra tirar o excesso de água. É importante retirar as sementes dos tomates (às vezes retiro até as sementes do pepino) e espremer bem o triguilho pra salada não ficar aguada. Misture aos outros ingredientes, junte as passas, o azeite, o suco de limão e tempere com sal e pimenta do reino. Mexa bem, prove e junte mais sal, se achar necessário. Cubra a saladeira e deixe o tabule repousar na geladeira de 2 a 8 horas antes de servir. Quanto mais tempo ele marinar, mais intenso ficarão os sabores. No dia que fiz a foto estava sem salsinha (um absurdo!), logo não se espantem se o tabule de vocês sair mais verdinho que o meu. Rende 4 porções como acompanhamento ou 2 como prato principal.