Quem aí também está pensando “2016, seu infeliz das costas oca, já foi tarde!”? Ou alguma variação da frase com um insulto usado em seu dialeto. O ano foi difícil pra maior parte dos habitantes desse planeta, mas aqui do meu lado ele acabou de uma maneira linda.

Vim passar o natal com a família francesa e pela primeira vez em oito anos Anne e eu não fomos as únicas a ter uma ceia vegana. A irmã caçula de Anne se tornou vegetariana esse ano, depois de anos flertando com a ideia e se alimentando de maneira cada vez mais vegetal. Já no almoço do 25 de dezembro foram quatro pratos veganos! A outra irmã de Anne já não come mais animais terrestres e pediu pra se juntar à nos. Eu vejo pessoas irem cada vez mais na direção de uma alimentação mais vegetal em todos os lugares por onde passo.

fullsizerender-11

E logo depois do natal aconteceu uma coisa curiosa: eu casei. Pela segunda vez e com a mesma mulher. Mais de seis anos atrás Anne e eu assinamos os documentos de união estável, pois na época casamento só estava disponível pra casais heterossexuais. Sabe como é, os deveres e impostos são os mesmos, já os direitos… Mas aí tudo mudou em 2013, tanto no Brasil quanto na França. Então casamos. Aqui casamento civil acontece na prefeitura, celebrado pela(o) prefeita (o), então quem celebrou o nosso casamento foi um tio querido de Anne. Farei um post sobre o casamento outro dia, quando conseguir reunir todas as fotos feitas pela família.

img_7173

Enquanto dobrava mentalmente os acontecimentos de 2016 pra colocar na gaveta das memórias, imaginando que nunca ia querer abrir a dita cuja, me dei conta que muitas coisas boas aconteceram esse ano. Eu passei boa parte do tempo me desesperando e sei que esse desespero foi moda em 2016 (e que tenho 35 anos de sonho e de sangue e de América do Sul. Por conta desse destino um tango argentino me vai bem melhor que um blues. Minha vida virou uma música de Belchior). Mas isso consumiu muito da minha energia e muitas vezes me deixou paralisada. Então decidi fazer um esforço consciente pra prestar atenção aos acontecimentos positivos. Meu coração anda precisando.

Um ano revolucionário-radical-feminista-abolicionista-vegano e com direitos iguais pra todas!

p1100524