Já faz mais de um mês que, passando por cima de um medo gigantesco, publiquei a carta que escrevi pro meu irmão aqui no blog e, imediatamente depois, desliguei o computador, apaguei as luzes e me escondi embaixo da coberta. Naquela noite tive febre e vários pesadelos. Acordei com o corpo moído, os olhos inchados e um vazio em algum lugar do meu corpo que não consegui identificar. Precisei de algumas horas pra ter coragem de entrar aqui. Li os comentários de vocês dentro do ônibus e à medida que meus olhos percorriam as palavras deixadas aqui eles se enchiam de lágrimas.

Eu tento, há semanas, escrever algo que traduza o que aconteceu desse lado da tela nos últimos dois meses. Mas como ainda não consegui, vim só dizer um modesto “obrigada” e publicar a receita do risoto de ervilha que postei no meu IG semanas atrás e que muita gente pediu pra eu compartilhar. Missô é a minha nova arma secreta pra fazer risotos irresistíveis e achei que vocês precisavam saber disso.

(Na foto acima Danny, o cachorro que mora comigo, tentava me convencer a não ir pro trabalho e ficar com ele. Danny me deu muito carinho durante os momentos difíceis dos últimos meses e dormiu comigo, me aquecendo os pés e o coração, quase todos os dias.)

IMG_3913-2

Risoto de ervilha

Ervilha fresca, ou mesmo congelada, tem um sabor e textura completamente diferentes de ervilha em conserva (enlatada). Se você não tiver acesso à ervilhas frescas/congeladas, melhor fazer outra receita de risoto (como essa aqui).

250g de arroz pra risoto (gosto de carnaroli, mas arbório é mais fácil de encontrar)

300g de ervilha fresca – descascada – ou congelada (NÃO usar ervilha enlatada!)

2 alhos-porós médios, picados

2 dentes de alho, picados

1 x de vinho branco seco

1 cs bem cheia de missô claro (doce, de arroz)

1 cs de levedo de cerveja maltado (não substituir pelo comum, mas pode fazer sem)

caldo de legumes (caseiro, ou 1cs de caldo de legumes em pó/1 cubo)

Um punhado de cebolinha picada

Azeite

Sal e pimenta do reino à gosto

Refogue o alho-poró e o alho em 2cs de azeite até ficar ligeiramente dourado. Enquanto isso ferva um litro de água junto com o caldo de legumes (em pó ou em cubo, ou use a mesma quantidade de caldo de legumes caseiro fervente). Acrescente o arroz ao alho-poró/alho e refogue por mais alguns instantes, até o arroz ficar ligeiramente transparente. Junte o vinho e deixe evaporar completamente antes de acrescentar as ervilhas (se estiver usando ervilha congelada, não precisa descongelar antes) e metade do caldo de legumes fervente. Misture e deixe cozinhar em fogo baixo, mexendo de vez em quando. Quando todo o líquido tiver sido absorvido junte mais um pouco do caldo quente, misture novamente e deixe o líquido evaporar novamente. Repita o processo, acrescentando o resto do caldo aos poucos, até o arroz ficar cozido. Se depois de ter usado todo o caldo o arroz ainda não estiver pronto use um pouco de água pra finalizar o cozimento. O ideal é que o arroz fique macio, mas não se desfazendo. Como o amido do arroz continua agindo e engrossando a mistura enquanto o risoto amorna, é importante que um pouco de líquido permaneça na panela no final do cozimento, senão seu risoto vai ficar pesado e compacto (ao invés de cremoso e fluido).

Desligue o fogo e junte o missô e o levedo de cerveja, se estiver usando, e regue generosamente com azeite. Misture bem, prove e corrija o sal. Tampe a panela e deixe repousar cinco minutos antes de servir. Sirva polvilhado com pimenta do reino moída na hora e a cebolinha picada. Rende 4 porções.