Rolinho primavera com papel de arroz

recheio

Quando eu morava em Paris costuma ir sempre ao restaurante chinês da minha rua, que preparava deliciosos rolinhos primavera com papel de arroz, broto de soja e outros vegetais. Na primeira vez que vi os rolinhos achei engraçado, pois no Brasil eu só conhecia os rolinhos primavera fritos. Mas quando provei a versão com papel de arroz achei bem mais saboroso do que a versão frita. Depois de ter me tornado vegana tive que dizer adeus aos rolinhos, pois todos os que vi nos restaurantes chineses tinham camarão. Então decidi que tinha que fazer os meus próprios rolinhos em casa.

Levei anos pra realizar esse projeto, principalmente porque nunca tinha achado folhas de papel de arroz natural o suficiente pro meu gosto. As que cruzaram o meu caminho tinham ingredientes duvidosos, então acabei deixando a ideia pra lá. Até que no último fim de semana encontrei papel de arroz com uma lista de ingredientes mais que limpa: arroz, água e sal. Era exatamente o que eu vinha procurando e dessa vez ia poder matar a saudade dos rolinhos, que eu não comia há mais de cinco anos atrás.

papel de arroz

Usei os vegetais que encontrei na geladeira (gostaria de ter usado broto de soja também, mas eles são muito difíceis de encontrar por aqui), troquei o camarão por tofu e deixei o macarrão de arroz, que sempre aparece nesses rolinhos, de fora, pois estava com vontade de fazer uma versão ultra leve e crocante, só com legumes. O resultado, apesar de diferente da versão original, não decepcionou.

Não deixe a longa lista de ingredientes te assustar: eles são simples e fáceis de encontrar (com exceção do tofu pra alguns de vocês). E o preparo também é simples e não exige grandes habilidades culinárias. Bem mais simples do que fazer maki, por exemplo.

 rolinho primavera com papel de arroz

Rolinho primavera com papel de arroz

1 pimentão vermelho pequeno

1 pepino médio

1 cenoura pequena

1/2x de repolho roxo picado

1/2x de abacate, em fatias

1/3x de cebolinha verde picada (a parte branca e um pouco do verde)

20 folhas de hortelã

Algumas folhas de alface

100g de tofu firme

1cs de óleo de gergelim (ou azeite)

1cs de shoyu

10 folhas de papel de arroz

Molho

2cs de shoyu

2cs de suco de limão

1cs de vinagre de arroz (ou de maçã)

2cs de adoçante natural (usei xarope de bordo, mas xarope de agave, melado ou açúcar mascavo também funcionam)

Molho de pimenta a gosto (opcional)

Corte o tofu em cubos pequenos (você vai precisar de pelo menos 20 cubos).  Aqueça o óleo de gergelim e doure os cubos de tofu. Quando estiver dourado de dois lados tempere com 1cs de shoyo, desligue o fogo e reserve. Prepare os vegetais. Corte o pimentão, pepino e cenoura em fatias finíssimas (você pode ralar a cenoura no ralo grosso pra facilitar o trabalho). Pique o repolho e fatie o abacate. Quando todos os ingredientes estiverem prontos comece a fazer os rolinhos.

pepino

Encha uma saladeira (grande o suficiente pra caber a folha de papel de arroz) com água morna. Mergulhe uma folha de papel de arroz na água e deixe escorrer o excesso de água. A folha ainda estará firme, mas não se preocupe, ela vai continuar amolecendo. Coloque a folha sobre a superfície onde você fará os rolinhos e espere 15-20 segundos. Comece a colocar o recheio sobre a folha e quando você tiver terminado essa operação a folha estará mole o suficiente e pronta pra ser enrolada. Se sentir que o papel de arroz ainda não amoleceu completamente, basta espera mais alguns segundos (não precisa mergulhar na água novamente). Aqui vai um passo-a-passo visual do processo:

rolinho1rolinho 2rolinho3rolinho4

Coloque os ingredientes nessa ordem: dois cubos de tofu, um pedaço de alface, pepino, pimentão, cenoura, repolho, abacate, cebolinha e duas folhas de hortelã. Cuidado pra não colocar recheio demais, senão será difícil fazer os rolinhos. Depois é só enrolar como mostram as fotos, fazendo uma ligeira pressão pra manter o recheio unido. Não se preocupe se seus rolinhos não ficarem perfeitos no início. Assim como na preparação de makis, é preciso prática pra conseguir rolinhos bonitos. Repita a operação com as outras 9 folhas de papel de arroz.

Misture todos os ingredientes do molho e sirva acompanhando os rolinhos. Se você estiver usando açúcar no molho, é melhor prepara-lo antes de começar a fazer os rolinhos, pra que ele tenha tempo de dissolver completamente. Rende 10 rolinhos e molho suficiente pra acompanha-los.

rolinhos papel de arroz

23 comentários em “Rolinho primavera com papel de arroz

    1. Interessante, mas me parece bastante trabalhoso, então acho que vou continuar usando o papel de arroz natural que achei, Beatriz… Porém pode ser uma opção pra quem não encontra papel de arroz natural.

    1. Sim, são crus. Não tenho ideia se é possível assar a folha de arroz, mas o objetivo aqui é fazer um rolinho cru, mesmo, bem fresquinho, crocante e vitaminado. Se legumes crus não é a sua praia, acho melhor você escolher outra receita, Sophia. Que tal meus makis?

  1. nunca comi rolinhos primavera :O mas pela lista de ingredientes deve ser maravilhoso! Nunca comi papel de arroz tambem, mas esse vai pra minha lista!

  2. Deve ser bom encontrar receitas assim, às vezes dá saudade das coisas que eu deixei para trás, por mais que hoje eu não sinta mais vontade de comer carne em momento algum. Eu ainda sonho em achar o equivalente do bolo cremoso de iogurte e cardamomo. Esses rolinhos têm numa temakaria aqui, versão com camarão e sem camarão, são legais para levar numa vasilha dentro da bolsa e lanchar quando a fome aperta.

  3. Eles são crus mesmo?? Finalmente vou ter algo pra fazer com aquele papel de arroz que comprei na Liberdade – São Paulo e já tavam quase fazendo aniversário aqui hahaha

    1. Sim, os legumes são crus, mas o tofu é cozido e o papel de arroz é cozido e desidratado antes de ser empacotado, então quando você o reidrata em casa ele fica pronto pra ser degustado.

  4. Sandra, eu já tentei fazer rolinhos primavera com papel de arroz anteriormente, mas a folha de arroz, depois de amolecida, fica com uma consistência de “borracha”, e por isso abandonei a ideia. Será que é da marca que uso ou as suas folhas também ficam assim? Abraços

    1. Acho que a sua folha era de qualidade ruim, Paula. As que usei aqui ficaram bem molinhas. Claro que quando você morde um cantinho que só tem o papel de arroz é ligeiramente borrachento, mas nada desagradável. Tem também folhas feitas com amido de mandioca (que em Inglês eles dizem ‘tapioca’) e sei que essas são ainda mais macias. Porém são mais difíceis de encontrar.

  5. Aaaah que vontade de fazer esses rolinhooos, vou ver se vou na liberdade pra comprar o papel de arroz. Maaaas não passei nesse post pra isso passei pra te agradecer, agredecer o imenso bem que você fez publicando uma receita perfeita: patê de pimentão! O nome até rebaixa a receita maravilhosa, pimentão grelhado e nozes, simplesmente perfeito. Estou com vontade de comer TUDO com esse patê, quase misturando no arroz puro! (não vejo a hora de colocar esse patê nos rolinhos) Aprovadíssimo!!!

  6. A primeira vez em que comi rolinhos com papel de arroz foi no Vietnam e eles foram uma revelação pra mim. Bem suaves, de uma delicadeza de sabor. Gosto muito deles só com vegetais, e um molho bem gostoso, para realçar os ingredientes.

  7. Sandra! Fiz hoje de manhã (o meu é igual esse ai, água, sal e arroz) mas achei que ficou puxa puxa.
    Vou testar de novo no almoço, mas desse jeito que ensinou! E rechear com shitake e legumes!
    Volto aqui pra contar como foi!

  8. Oi! Sou da Bahia, Salvador. N é difícil achar por aqui a goma de mandioca, e fazer beijus!
    Já a folha, só encontrei num mercado daqui, e que não estava nada barato… (Por $25!) não olhei quantas folhas vinham, mas achei bem caro. É de outra marca diferente da foto que postou, mas é ainda arroz, água e sal apenas de composição. Gostei das imagens, que ajudam a fazer.
    Abraços!

  9. Oi, sou do Rio e fiz hoje assado com recheio de shitake … uma crocância incrível, vale a pena experimentar!
    Adoro seu blog, pelas receitas, comentários e amor comum pela Palestina.Beijo e obrigada.

Deixe uma resposta