A Palestina em versão comestível

pasta azeitona amêndoa

Meses atrás comprei um potinho de pasta de azeitona e amêndoa em uma mercearia perto de casa. Eu não compro praticamente nenhuma comida industrializada, com exceção de macarrão e chocolate, mas além de ser um produto natural (só tinha três ingredientes: azeitonas verdes, amêndoas e azeite) a pasta é produzida por uma pequena empresa palestina que só trabalha com ingredientes tradicionais, locais e orgânicos. A economia palestina pena pra existir sob ocupação, então acho importante incentivar esse tipo de projeto.  No fundo comprei pensando em fazer uma boa ação, mas chegando em casa descobri que a pasta era uma delícia. O conteúdo do potinho desapareceu em tempo recorde e como esse tipo de produto é muito caro pra entrar no meu orçamento semanal, tratei logo de fazer uma versão da pasta na minha cozinha.

amêndoas tostadas

O que eu mais gosto nessa pasta é que ela combina os alimentos mais emblemáticos da Palestina: azeitona, amêndoa, azeite e uva (passa). Como eu tinha uma garrafinha de vinagre de figo (outro alimento típico daqui) feita pelas mãos de fada da minha amiga Draguitsa, essa receita virou uma homenagem à Palestina.  Sei que já publiquei uma receita parecida aqui no blog, a tapenade francesa. Mas embora o ingrediente principal dessa pasta seja o mesmo, a adição de amêndoas tostadas transforma o que já era bom em algo inesquecível. As passas acrescentam uma agradável nota doce, que realça o salgado das azeitonas, e o vinagre equilibra os sabores. Talvez a aparência dessa pasta não seja muito atraente, mas garanto que essa receita é uma pérola!

azeitona preta

Depois de falar da colheita de azeitonas e de como elas se transformam em azeite, acho que esse é o momento ideal pra dividir essa delícia com vocês. Já que eu não posso trazer meus leitores pra cá (eu adoraria!) e mostrar os campos de oliveiras centenárias, as amendoeiras em flor e as vinhas carregadas de uvas, coloquei tudo isso dentro de uma receita que, se degustada com os olhos fechados, vai transportar vocês pra Palestina.

 pasta azeitona amêndoa2

Pasta de azeitona preta e amêndoa

Assim como na receita de tapenade, aconselho usar as melhores azeitonas que você encontrar, idealmente as do tipo italianas ou gregas, conservadas no azeite e não muito salgadas. Azeitona de lata tem um sabor tão medíocre que estragaria a receita. Essa pasta é igualmente deliciosa com azeitonas verdes (também de qualidade superior).

2x azeitonas pretas (leia acima)

1x de amêndoas inteiras (com a pele)

2cs de passas

2cs de azeite

1cs de vinagre de sidra (usei vinagre de figo)

Pimenta do reino a gosto

Toste as amêndoas em uma frigideira seca, até começarem a rachar (elas fazem um barulho estalado quando racham).  Mexa algumas vezes durante o processo pras amêndoas tostarem dos dois lados. Deixe esfriar e, usando uma faca grande e afiada, pique grosseiramente. Retire os caroços das azeitonas e pique grosseiramente. Em um processador ou liquidificador, coloque todos os ingredientes e pulse algumas vezes, parando o motor e mexendo a pasta com uma colher. O ideal é obter pedacinhos bem miúdos, não uma pasta cremosa. Alguns pedaços maiores (principalmente de amêndoas) são bem vindos. Prove e acrescente um pouco mais de vinagre, se achar que precisa de mais um toque de acidez (o equilíbrio de sabores salgado/doce/ácido deve ser harmonioso, então cuidado pra não exagerar). Rende aproximadamente 2 1/2x. Essa pasta se conserva (em pote de vidro bem fechado) algumas semanas na geladeira.

18 comentários em “A Palestina em versão comestível

  1. Oi Sandra,
    estou há algum tempo “fazendo véspera” para testar uma receita de vinagre de maçã caseiro. Agora tenho uma motivação a mais, fazer essa receita. Enquanto espero meu vinagre ficar pronto vou pesquisar pra ver onde encontro as melhores azeitonas. Mais uma vez obrigada!

  2. Sandra, eu também ADORARIA estar aí para desfrutar destas maravilhas por você mencionadas ( sou sua leitora, vc.sabe) , pois, como já lhe disse em outra oportunidade, você mora em um lugar que eu gostaria MUITO de conhecer, mas, como sei que nunca vou realizar este sonho, sigo seu blog como se eu estivesse ai pessoalmente.
    Muito obrigada. Um abração.
    Ah! vou fazer esta receita.

    1. Rosa, se eu pudesse organizar uma excursão Papacapim pra Palestina eu ficaria tão feliz! Já pensou eu levando os meus leitores pra conhecer as mulheres do meu projeto no campo de refugiados, visitar o deserto e o mar morto, degustar uma ruma de falafel e hummus, comprar amêndoas na feira… Não seria uma maravilha?

  3. Poxa, continuo pensando em como seria legal se houvesse meio de exportar os produtos palestinos… primeiro babei com o azeite do Tawfic, agora tô babando com o vinagre de figo da Draguitsa… deve ser uma coisa de louco!

    1. Pois é, eu adoraria que você pudesse provar o maravilhoso azeite de Tawfic e o vinagre de figo de Draguitsa… O vinagre é uma delícia! Super suave e perfumado. Eu nunca tinha ouvido falar em vinagre de figo até ganhar uma garrafinha de presente.

  4. Azeitona, azeite, amêndoas… hmm!! que posts deliciosos diretamente da Palestina!!!
    Sandra, você não tem também como as azeitonas se transformam em Azeitonas? Vc entendeu, né? Hehehe!

    Esse ano vamos ter um especial de fim de ano de novo? Com menu completo? Quem sabe alguma inspiração de lentilha para o ano novo? Hmmm!!

    1. Hihihihi! Claro que entendi, moça. Pode deixar que vou preparar um post sobre a transformação das azeitonas em azeitonas:) Eu mesma só vim descobrir isso aqui e fiquei impressionada.

      Eu estou tentando me organizar pra fazer um post especial ceia de natal/ano novo, mas do jeito que as coisas andam caóticas aqui na casa Papacapim, não sei se vou conseguir… Obrigada pela sugestão (lentilha). beijos

  5. UAU! Essa receita é divina.
    Fiz hoje para servir como antepasto no Natal e ficou incrível.
    Olha que não tinha seus super ingredientes. Não achei uma azeitona honesta, de primeira, então usei uma arca peruana que se encontra fácil aqui em supermercados. Como elas ficam em conserva de água e sal e não de azeite, resolvi minimizar o problema , adicionei um pouco de azeite sobre elas e deixei apurar um pouco. Lógico que não é a mesma coisa mas ajuda né? 🙂
    Também não usei o vinagre de figo que deve ser uma verdadeira iguaria), usei de maça mesmo.
    Confesso que depois das suas recomendações sobre as azeitonas, estava me preparando para o pior, mas não é que deu super certo? Todo mundo que provou amou.
    Então se a minha pasta com azeitonas “tabajaras” ficou sensacional, a sua deve ter ficado algo de outro mundo.
    Muito obrigada por este presente de natal!
    bjs
    Susana

    1. Eu não falei que essa pasta era deliciosa? Que bom que sua versão “tabajara” ficou gostosa:) Prova que a receita é boa, mesmo (sentiu o meu orgulho?). Beijos e feliz natal pra você também, Susana.

Deixe uma resposta