Guia Vegano Rio de Janeiro

A primeira cidade brasileira a entrar na série “Guia Vegano” não podia ser mais encantadora. Minha primeira visita ao Rio foi mais curta do que eu gostaria e me deixou com vontade de voltar correndo pra lá na primeira oportunidade. Menos de duas semanas nessa cidade e eu, que sempre achei que a fama de maravilhosa era exagero, fui obrigada a incluir o Rio na minha lista de lugares onde adoraria morar. Mas enquanto espero pisar novamente no solo carioca, vou compartilhar alguns lugares interessantes que pude visitar por lá.

Quando pedi aos meus leitores dicas de restaurantes veganos no Rio fiquei impressionada com o número de lugares vegs citados. A cidade ainda não é uma veganland como Londres ou Berlim, mas comparada à Natal os cariocas vegs têm muita sorte.

O primeiro restaurante vegano que visitei foi o Vegan Vegan. As opções de pratos são limitadas, mas no dia que estive lá a comida estava deliciosa. Era um sábado e pra minha grande felicidade eles estavam servindo feijoada. O outro prato do dia era um bobó de cogumelo (acho que do tipo shimeji). Provei dos dois pratos e achei ambos maravilhosos. Já as sobremesas fizeram bem menos sucesso na nossa mesa… O preço do prato pequeno, com salada e acompanhamento, era R$17,50 e o grande, R$ 23.

Vegan Vegan  

Rua Voluntários da Pátria, 402 – Botafogo

O restaurante Vegana Chácara também estava na minha lista, por isso marquei o encontro com os leitores cariocas lá. O ambiente é extremamente agradável e o pessoal é muito simpático. O esquema é o mesmo do Vegan Vegan: dois pratos por dia, com salada ou sopa e acompanhamento, e pelos mesmos preços. A comida me impressionou menos do que no Vegan Vegan, mas talvez eu tenha ido em um dia que as opções estavam fracas.

Vegana Chácara

O detalhe mais bacana desse restaurante, depois do ambiente, é a maneira como pagamos as refeições: cada cliente coloca o que deve em uma caixa e retira o troco que precisar. Sem supervisão nenhuma dos funcionários. Perguntei se no final do dia as contas fechavam direitinho e me explicaram que nas únicas vezes que o saldo não bate é porque tem mais dinheiro do que deveria na caixinha. Na sua primeira visita lá você ganha uma sobremesa.

Vegana Chácara

Rua Hans Staden, 30 – Botafogo

Tempeh

Fechei meu mini tour dos restaurantes vegs do Rio com chave de ouro: o almoço no Tempeh foi memorável! Esse restaurante self-service tem várias opções de pratos veganos e por R$25 você come o quanto quiser. Fiquei tão empolgada que coloquei uma cacofonia gastronômica no prato (feijoada com maki e empadinha no mesmo prato!), mas tudo estava tão delicioso que nem liguei pra falta de harmonia da minha refeição. O Tempeh foi meu restaurante carioca preferido.

 

Tempeh

Rua Primeiro de Março, 24 – sobreloja – Centro (Fica a dois passos do Centro Cultural Banco do Brasil.)

Comi um Burger delicioso no Hare Burger e como a funcionária que me atendeu garantiu que não tinha nenhum produto de origem animal no meu sanduba (pedi o shiiiva shiitake, com mostarda de ervas no lugar da mostarda com mel) essa lanchonete ia entrar no meu guia. Mas depois de pesquisar na net vi alguém afirmar que o pão deles tem ovo, então não tenho mais certeza se o Burger é 100% vegetal ou não. Se alguém souber, me avise e coloco o endereço da lanchonete aqui.

Restaurantes no Rio, veganos ou não, me pareceram excessivamente caros. Como eu tive acesso à uma cozinha durante minha estada, fiz algumas refeições em casa, além de preparar alguns lanchinhos pra comer durante os passeios. Fiquei em Copacabana e tive a sorte de estar hospedada a poucos minutos de um Mundo Verde. Nessa loja de produtos naturais você encontra tofu, patê de soja, missô e outros quitutes veganos. Os preços não são muito camaradas, mas ainda assim sai mais barato comprar ingredientes lá e preparar seus sanduíches do que comer fora. Mas o verdadeiro tesouro pra mim foi ter descoberto as Casas Pedro. Seguindo a dica de um leitor (mais uma vez obrigada, Carlos) fui conferir os produtos dessa loja e encontrei pastas de soja, hummus e babaganush (o irmão quase gêmeo do muta’bal) e tudo por um preço mais interessante do que no Mundo Verde. Lá você também encontra grãos, castanhas e leguminosas no quilo, tudo mais barato do que no Mundo Verde.

Outra descoberta deliciosa foi a padaria Guerin que vende pão do jeitinho que gosto. Vivo repetindo o quanto detesto o pão branco vendido no Brasil e fiquei muito feliz em poder comer pão com levain no meu café da manhã quase todos os dias. Provei o pain au levain, o pão com nozes e passas e o pão com azeitonas, todos maravilhosos. Infelizmente nós, veganos, temos que ignorar as lindas tortas, macarons e croissants, pois, com exceção dos pães, nada é vegano.A diferença de sabor reflete no preço, mas acho que vale muito a pena. Enquanto faz fila pra comprar o seu pãozinho você vê os padeiros preparando os quitutes que são vendidos lá. Pra quem gosta de fazer pão, como eu, essa é uma atração e tanto!

 Padaria Guerin

Av. Nossa Senhora de Copacabana, 920 – Loja A – Copacabana

Uma das maiores dificuldades da minha jornada vegana é encontrar cosméticos que respeitem meu modo de vida. Quando escrevi o post sobre cosméticos veganos expliquei o quanto gosto dos sabonetes de glicerina Granado e descobri, graças aos comentários de algumas leitoras, que a linha de produtos veganos da Granado era muito maior do que imaginava. Por isso não podia deixar de visitar a loja da Granado no Centro do Rio. Me encantei com os produtos e o preço, modesto, me deixou ainda mais feliz. Se passar pela cidade maravilhosa, não deixe de visitar esse lugar.

Granado Pharmácias

Rua Primeiro de Março, 16 – Centro

A viagem ao Rio não teria sido a mesma sem Cibele, nossa super anfitriã, que nos mostrou os lugares mais bacanas da cidade maravilhosa e curtiu um sambinha com a gente na Lapa, em Copacabana, na Pedra do Sal e na laje do Michael Jackson.  A presença de Lu, minha irmã, e de Ravi, o filho de Cibele, também acrescentaram alegria, fofura e muitas risadas na nossa viagem, fazendo dessas férias cariocas um sucesso total. Vocês são companheiros de viagem incríveis.

Você encontra mais endereços de restaurantes veganos/vegetarianos no Rio aqui:

Happy Cow – Rio de Janeiro (em Inglês)

E dicas do que fazer/visitar na cidade no Time Out Rio (em Português).

11 comentários em “Guia Vegano Rio de Janeiro

  1. Valeu a pena esperar a postagem do guia, Sandra! Muito legal! E adorei a dica da padaria Guerin, não a conhecia. Farei uma visita a ela em breve, com certeza! E fico feliz q as minhas escassas dicas foram úteis!! Fiquei muito feliz em poder ter conhecido vcs, e vamos manter contato, com certeza! Um grande beijo e um maravilhoso fim de semana!

    1. Ah, gostaria de ter experimentado tantos outros restaurantes vegs por aí, mas o tempo/dinheiro foi curto. Mais uma desculpa pra voltar ao Rio:-) Muito obrigada pelas dicas e por ter nos levado ao Tempeh, Carlos. Adorei te conhecer. Beijos.

      1. Oi, Sandra!! Fui ontem à Padaria Guerin. Não é o tipo de visita que se faça todo dia, pois os pães lá são bem salgadinhos, no que se refere a preço. rs… Mas a qualidade tem seu preço, tenho q concordar. E adorei os pães de lá! Um sabor mais complexo, um tanto ácido, por causa do fermento natural.
        Mas eles perderam dois pontos comigo: Um é que NÃO TEM RAMPA. Sim, isso é um quesito que conta pra mim, por causa da deficiência da Lene. Tive que pedir a ajuda de um funcionário para subir os quatro degraus de escada de lá. Deixaram a rampa em segundo plano por causa de um balcão minúsculo que acomoda meia dúzia de pessoas!
        E o outro ponto é que, a despeito da vista (pra mim linda!) de ver os pães sendo trabalhados no balcão, o que eu vejo (pena q não tirei foto!) em cima de uma das bancadas? Um pacotão de fermento seco. Mas já tinha comprado uma baguete e um pão de cereais, que estão sendo paulatinamente devorados… rs… Mas farei outra visita lá, até pra saber se eles providenciaram a rampa móvel prometida… rs… Bjs pra vc e pra Anne!!

        1. Carlos, confesso que a falta da rampa passou despercebida, mas não poderia concordar mais com você: ela é essencial. Espero realmente que eles mudem isso o mais rápido possível. Sei que os pães são bem caros, por isso é um lugar pra ir quando quiser fazer um agrado ao estômago. O negócio é fazer pão em casa, usando fermento natural, pois é gostoso e barato.

  2. Realmente é muito bom almoçar no Tempeh, mas infelizmente tem que pegar várias porções de cada prato porque é uma variedade enorme.
    Quando fui conhecer o Parque Lage tirei uma foto quase idêntica à essa que você postou.
    Para sua próxima receita, não deixe de passar na Padaria Bassil (comida árabe), lá tem manuche (esfiha aberta com mix de ervas com azeite e gergelim) e se não me engano tem uma esfiha de espenafre.

  3. Dá próxima vez que vier ao Rio, recomendo que você conheça o Espaço Pura Vida! Além de um menu vegano composto por hamburguer de abóbora com castanha de caju e sucos diversos, o espaço aluga stand up paddle e oferece travessia até as Ilhas Tijuca. Um destino diferente dos passeios turísticos tradicionais do Rio 🙂

Deixe uma resposta