Os leitores que acompanham o blog sabem que estive ausente nas últimas semanas porque estava de férias no Brasil. Senti falta de vocês. Quem diria que eu ia acabar tomando gosto por esse exercício meio esquizofrênico de ficar monologando diante da tela do computador. Felizmente a interação que acontece nos comentários, e que transforma o monólogo em diálogo, me faz sentir menos esquizofrênica. Amigos, estou muito feliz em estar de volta aqui e gostaria de contar o que andei fazendo enquanto o blog dormia.

Depois da visita ao Rio (mais sobre essa parte da viagem aqui e aqui), a viagem continuou em Natal, a minha cidade natal. De lá fui à minha praia preferida, tomei muita água de coco, comi macaxeira frita com os pés na areia, observei surfistas (uma verdadeira meditação pra mim), vi famílias inteiras de micos e passei fome. Porque além da água de coco e da macaxeira frita não tinha nada vegano por lá. Aldeias de pescadores devem ser o lugar mais difícil de ser vegano no mundo.

Conheci o mais novo membro da família: Nina. Ela é fofíssima, mas parece que tem distúrbios (uns dizem que é típico da raça, mas há controvérsia). Morder pernas, pular sobre pessoas e esconder sapatos são alguns dos seus passatempos preferidos. No último e-mail que recebi lá de casa minha irmã mais velha dizia: “Nina tá em surto. Não conseguimos formar um par de sapatos nunca. O jeito vai ser usar apenas um esquerdo com um direito, sem nos preocuparmos com o modelo.”

O outro representante da ala canina da família anda sofrendo bastante por causa dela. Esse é Lilo, que estava doentinho no dia que fiz essa foto, mas já está melhor agora.

Colhi muitas frutas no sítio dos meus pais…

…e cozinhei bastante com a minha mama. Ela não gosta de cozinhar, mas é uma ótima assistente. Além de pilar alho e picar cebola e coentro, minha mãe dançava comigo enquanto as panelas cozinhavam. Anne fez até um vídeo da gente onde dançamos um pouquinho e mexemos as panelas, uma dançadinha e uma mexidinha, uma dançadinha e uma mexidinha…

Fui ao meu primeiro São João em dez anos. Minha cunhada organizou um São João atrasado (São Julhão) no sítio e foi arretado! Com direito à quadrilha improvisada, cadeia, cabaré, moça prenha e moço casando à força e meus pais vestidos de Lampião e Maria Bonita.

Admirei as habilidades de quem nasceu na roça. Bacana é abrir coco seco na quina da enxada!

Li poesias pras velhinhas do abrigo de idosos Lar da Vovozinha, no dia da avó. Minha irmã mais velha trabalha lá e me convidou pra contar os causos de Chico Pedrosa (um talentosíssimo poeta do sertão) que sei decorados.

Ela também organizou uma mini oficina de culinária pra nutricionista e pras cozinheiras do Lar. Dei dicas de nutrição adaptadas à terceira idade, mas é muito difícil mudar os hábitos alimentares de pessoas idosas. Na minha opinião as vovós precisam de mais alimentos integrais, mais frutas, semente de linhaça todos os dias, suplementos de B12 (alguns médicos recomendam que essa vitamina seja suplementada a partir dos 50 anos) e menos laticínios (principalmente depois de refeições ricas em ferro). E que essa porqueira de aspartame seja banida pra todo o sempre, amém. Embora seja difícil mudar o cardápio delas (elas rejeitam tudo que é diferente do que estão acostumadas a comer), depois da minha visita as frutas entraram definitivamente no cardápio diário das vovós, o que pra mim já foi uma vitória.

E se você quiser usar um pouco do seu tempo livre pra visitar as vovós (algumas não têm mais família), contar e ouvir histórias, doar um pouco de atenção e carinho (ou outra coisa), vai lá!

Lar Espírita da Vovozinha
Av. Antônio Basílio, nº 1254 – Dix-sept Rosado, Natal/RN. Telefone: (84) 3223-1907

A convite do grupo VEDDAS-Natal, dei uma palestra sobre alimentação vegetal. Inspirada na seção “Dicas pra se tornar vegano”, provavelmente a mais popular aqui no blog, dei doze dicas práticas pra quem quer ter uma alimentação mais (ou toda) vegetal, sem descuidar da saúde. Pensei em falar mais sobre o conteúdo da palestra, pois foi muito interessante (principalmente a discussão que teve depois). Farei o possível pra escrever o post daqui pra semana que vem. E falando no grupo VEDDAS-Natal, dia 27/08 eles estão organizando uma palestra com o nutricionista e ativista George Guimarães, no auditório B do CCHLA, na UFRN, às 19h. Imperdível! Mais detalhes aqui.

Também ensinei minha sobrinha a fazer móveis de papelão (algo que aprendi anos atrás, em Paris), dei uma palestra sobre a Palestina na UnP (Universidade Potiguar), em Natal,  e outra na Faculdade Damas, em Recife, finalmente li um livro que há tempos queria ler (na minha vida haverá um antes e um depois de “As veias abertas da América Latina”, de Eduardo Galeano), ajudei Anne a fazer uma reportagem sobre os atingidos pela Copa em Natal (saiba mais sobre esse assunto de extrema importância aqui e aqui)…

Agora que estou de volta ao sossego do meu lar (sossego na Palestina!!!!) vou poder… descansar das férias. E sonhar com as férias do ano que vem. Daqui pra lá farei um curso pra aprender a entrar de férias de verdade e passarei mais tempo dentro dessa rede. Com Zeus dormindo embaixo.

*As fotos 3, 4, 8, 9, 10 e 11 foram feitas por Anne. Todas as outras foram feitas por mim.