A super papa

Papa de aveia com farinha de coco, chia e banana caramelizada

Muito obrigada pelas mensagens deixadas no meu último post. Ainda não tive tempo de reponder a cada um de vocês, mas queria que soubessem que elas me encheram de alegria. Estou nesse momento abraçando mentalmente cada um de vocês. Obrigada.

Continuo (extremamente) ocupada com o livro (pra todos os que pediram mais informações sobre ele, aguardem que em breve falarei mais sobre o assunto) e sem meu computador. Estou usando um computador emprestado, mas que está mais cansado do que eu, tem um teclado sem nenhum acento e que não corrige textos em Português, por isso vou logo me desculpando se cometi algum atentado à nossa língua. Mas esse blog está precisando muito de uma receita. E não qualquer receita, uma receita capaz de reconfortar depois desse período tão sombrio

Quem leu esse post sabe que cresci comendo papa de aveia e pra mim ela sempre será o equivalente comestível de um abraço de mãe. Reconforta, alimenta e aquece a alma. Já publiquei algumas receitas de papa de aveia aqui e parece que muita gente virou fã depois de ter experimentado em casa. Fico muito feliz em ter conseguido fazer algumas pessoas entenderem, enfim, toda a deliciosidade dessa comida tão humilde, mas que é extremamente nutritiva. Tem tanta gente por aí achando que investir na saúde significa comprar super alimentos exóticos e suplementos alimentares que custam uma fortuna, mas que ignoram que alguns dos melhores alimentos pra nossa saúde são baratinhos e são vendidos em qualquer mercearia. A aveia é um ótimo exemplo.

Mas essa papa é muito especial. E tem super alimentos exóticos e caros, mas eu posso explicar. A aveia sozinha já é muito nutritiva. Meia xícara de aveia em flocos (40g) tem 6g de proteína, 4g de fibra e é pobre em gordura (zero gordura saturada, zero colesterol). Mas eu acho que papa de aveia é o veículo ideal pra todo tipo de super alimento por três motivos. Primeiro porque ela tem um sabor suave, que combina com uma infinidade de outros sabores e pode ser personalizada à vontade. Segundo porque isso vai melhorar muito o seu café da manhã (pão com café pode ser bom de vez em quando, mas está longe de ser a opção mais nutritiva). Depois do jejum da noite seu corpo ficará extremamente feliz em começar o dia com uma refeição carregada de nutrientes. E terceiro porque super alimentos são super caros e acho um absurdo usa-los em receitas que, por serem carregadas de ingredientes nada saudáveis, vão acabar minimizando suas propriedades nutritivas. Por exemplo, usar chia ou farinha de coco em bolos e outras sobremesas. Sei que essas iniciativas partem de uma boa intenção, que é deixar sobremesas mais saudáveis, e eu não estaria fazendo essa crítica se chia e farinha de coco fossem baratinhas. Mas a verdade é que super alimentos são produtos de luxo que pesam no bolso, então a maioria das pessoas (incluindo eu mesma) só pode usar pequenas quantidades por vez. Logo a maneira mais inteligente de consumi-los é misturando com alimentos que também são saudáveis, maximizando assim os benefícios pra saúde. Por isso acho que papa de aveia é o veículo ideal pra eles. E essa receita tem não um, não dois, mas TRÊS super alimentos, além da aveia : semente de chia, castanha do Pará e farinha de coco.

A farinha de coco que comprei no Brasil (não estou ganhando nada pra fazer a propaganda desse produto, só recomendo porque realmente gostei dele).

Tudo que sei sobre a chia está nesse post, com mais algumas coisinhas nesse outro post. Falei sobre castanhas do Pará nesse post sobre oleaginosas. E se você ainda não conhece a farinha de coco, leia as próximas frases com atenção, pois tenho certeza que será o novo super alimento da moda no Brasil (ela já faz sucesso em outros lugares). Vi farinha de coco pela primeira vez dois anos atrás, em uma loja de produtos orgânicos na França. Até então eu nunca tinha ouvido falar dela, mas fiquei curiosa pra testa-la na minha cozinha. A embalagem explicava que farinha de coco era o que sobrava da polpa do coco maduro depois de ter sido prensada pra extrair o óleo de coco virgem. Ou seja, aquele bagaço que sobra na peneira depois que fazemos leite de coco em casa, só que desidratado e triturado finíssimo. A maior vantagen dessa farinha é que ela é riquíssima em fibras, mas também tem bastante proteína, além de não ter glúten. Esse ano, durante as férias no Brasil, encontrei farinha de coco orgânica em um supermercado da minha cidade e agora posso falar desse ingrediente sabendo que vocês vão poder compra-lo aí, se quiserem experimentar. Mas notei uma diferença entre a farinha de coco que comprei na Europa e a farinha de coco brasileira. Enquanto a primeira era branquinha e bem fina, a segunda tem um cor bege e é mais granulada. Mas a diferença principal parece ser o método de fabricação. Pelo que entendi (lendo a embalagem e o site do fabricante), a farinha de coco brasileira é feita de polpa de coco madura, triturada e desidratada, e não do bagaço que sobra depois da extração do óleo de coco. Escrevi um email pra empresa pedindo maiores esclarecimentos, mas nunca recebi resposta. Minha confusão aumentou quando comparei a quantidade de nutrientes das duas. Imaginei que, por conter ainda todo o óleo de coco, a farinha brasileira seria mais calórica, mas elas são praticamente idênticas em tudo (fibras, calorias, proteina). Mistério…

Vi várias receitas de bolos e muffins usando farinha de coco (misturada com outras farinhas ou pura) e acho que deve ser uma delícia. Mas paguei quase 15 reais por um pacote de meio quilo dessa farinha, então, como expliquei mais acima, acho melhor consumi-la em pequenas quantidades, pra fazer meu pacotinho durar meses. Como a vantagem principal desse produto é a grande quantidade de fibras, acrescentar uma colher de sopa na sua papa já é suficiente (uma colher de sopa dessa farinha tem 4,5g de fibras !). Então me diverti um pouquinho calculando a quantidade de maravilhas que tem na receita de hoje. Uso meia xícara de aveia ( 4g de fibra e 6g de proteína), 1 colher de sopa de farinha de coco (4,5g de fibra, 1,3g de proteína), 1 colher de sopa de chia (5,5g de fibra, 2g de proteína), uma banana (3g de fibra, 1g de proteína), uma xícara e meia de leite de amêndoas (11g de proteína) e duas castanhas do Pará (2g de proteína). Então essa papa tem 17g de fibra e 23,3g de proteína ! Lembrem-se que precisamos de 25g a 35g de fibra por dia e de 0,8g de proteína por quilo de massa corpórea. Pra fazer uma comparação malvada, se o seu café da manhã é um pão francês com uma fatia de queijo mussarela, você está consumindo 7g de proteína e zero fibra. Caso seu café da manhã seja mais « saudável » e você coma duas fatias de pão 100%  integral com uma colher de sopa de requeijão, você esta colocando dentro do corpo 11,72g de proteína e aproximadamente 6g de fibra. E tem gente achando que pão integral é a coisa mais fibrosa (e saudável) que existe…

Mas voltemos à nossa papa. Com 17g de fibra, 23,3g de proteína (eu RIO na cara de quem diz que minha alimentação é carente em proteína, ha, ha, ha !), pouca gordura saturada e zero colesterol (o que nao é o caso do pão com queijo), todo o selênio que precisamos em um dia, graças às castanhas do Pará, e uma boa dose de ômega 3, graças à chia, não tem maneira melhor de começar o dia. Quase esqueço de dizer que essa papa também é delicosa. Sempre misturei banana com minha papa de aveia matinal, mas desde que comecei a caramelizar a banana, essa fruta tão singela deu uma nova dimensão ao meu café da manhã. E combinada com o sabor suave de coco (farinha de coco tem um gosto delicado, mais tímido do que coco ralado, e nessa receita ele não vai incomodar quem não gosta de coco) ficou melhor ainda. Sou tão apaixonada por essa receita que faz três meses que a preparo todas as manhãs, religiosamente, e ainda não enjoei. Muitas vezes vou me deitar pensando na papa delícia que me espera na manhã seguinte…

Papa de aveia com farinha de coco, chia e banana caramelizada

Uso aveia em flocos grossos que trituro levemente no liquidificador (na verdade uso a função ‘pulsar’ e pulso duas ou três vezes). Assim parte dos flocos vira farinha, fazendo com que a papa cozinhe mais rápido e fique bem cremosa. Você pode usar aveia em flocos finos, pra evitar esse trabalho extra. Essa papa é adoçada unicamente com uma banana, porque gosto assim, mas sinta-se livre pra usar um pouco de açúcar mascavo, passas ou aumentar a quantidade de banana pra fazer uma papa mais docinha. Falando em banana, eu compro vários quilos e quando elas ficam do jeito que gosto (maduras, mas não demais) corto em rodelas e congelo em sacos. Assim nunca falta banana pro meu café da manhã. Coloco as rodelas congeladas diretamente na panela na hora de fazer a papa. Uso leite de amêndoas, mas você pode substitui-lo pela mesma quantidade de leite de soja. Nesse caso sua papa terá 21,3g de proteína (a fibra continua a mesma). No dia da foto eu estava sem castanhas do Pará, mas sempre polvilho minhas papas com elas (ou com nozes). Castanha do Pará é uma das melhores fontes de selênio, um poderoso antioxidante que estimula o sistema imunológico e protege o coração. Duas unidades fornecem o selênio que precisamos em um dia.

1 banana (é mais fácil caramelizar se ela estiver congelada)

1/2x de aveia em flocos (leia acima)

1cs de farinha de coco

1 1/2x de leite vegetal (uso esse leite de amêndoas, mas preparado com 4x de água)

1cs de sementes de chia

1/3 cc de canela

uma pitada de sal

2 castanhas do Pará

Corte a banana em rodelas e cozinhe, em uma panela bem pequena, até ficar ligeiramente caramelizada. Cozinhe em fogo baixo, sem colocar água nem gordura na panela, pois a banana vai caramelizar sozinha. Vire os pedaços de banana pra caramelizar do outro lado. Amasse a banana com uma colher de pau (veja as fotos acima) e retire do fogo por alguns instantes. Polvilhe a aveia em flocos e a farinha de coco sobre a banana e despeje 1/2x de leite por cima. Misture bem com a colher de pau, pra umedecer a aveia, e junte mais 1/2x de leite, a canela e uma pitada de sal. Coloque novamente sobre o fogo e cozinhe, mexendo de vez em quando, até ficar cremoso. Quando a papa estiver cozida junte a 1/2x de leite restante  e assim que começar a ferver desligue o fogo. Polvilhe a papa cozida com as sementes de chia, mexa mais uma vez e deixe descansar, coberta, por 3 minutos, pra hidratar a chia.

Sirva com as castanhas do Pará picadas e, se quiser uma papa mais docinha, algum adoçante natural. Rende 1 porção.  Como essa papa é riquíssima em fibras, aconselho acompanha-la de bastante líquido, pros 17g de fibra não ficarem entupidos lá dentro. Eu gosto de comer minha papa com uma caneca de chá (preto ou verde), mas você também pode acompanha-la de um suco natural ou simplesmente beber bastante água durante a manhã.

53 comentários em “A super papa

  1. Hummm….babei !
    Sabe aquele jeitinho que vc ensinou de fazer a mistura e deixar na geladeira de véspera?…tenho feito isso todos os dias…amo demais !
    E estou pensando em fazer a papa de véspera e caramelar as bananas na manhã, o que vc acha?…é que gosto muito da papa geladinha…rs.
    Vc é D+ !!!!…amo muito seu jeitinho de escrever. Deus lhe abençoe, querida !
    Depois que descobri seu blog meu corpo te agradece diariamente (pele, intestino, coração…todo mundo te adora..rs).
    ah!..vc teria uma receitinha fácil para usar o bagaço das amendoas que sobram do leite?
    Bjs,
    Cris

    1. Cristina, eu ja preparei minha aveia dormida na vespera (aveia em flocos, farinha de coco, chia, leite de amendoas, canela e uma pitadinha de sal) e no dia seguinte fiz exatamente como voce disse: caramelizei a banana e juntei aos outros ingredientes. Fica sublime! So estou fazendo essa versao quentinha atualmente porque o inverno chegou aqui e quando faz frio prefiro minha papa quentinha.

      Ainda nao tenho nehuma receita com o bagaco das amendoas, infelizmente. Assim que criar alguma divido com voces aqui no blog.

        1. Obrigada pelo link Susana. Vou experimentar, sim. Mas já faz um tempinho que parei de coar o meu leite de amêndoas, agora tomo com o bagaço, mesmo. Assim aumento os nutrientes (e principalmente as fibras) e não desperdiço uma parte das amêndoas.

  2. Eu estou adorando a sua receita de aveia adormecida. Coloquei uma colher de chia para dar um up e tenho usado para “molhar a minha salada de frutas de manhã cedo. Agora, adorei a sua banana congelada. Vou testar tb. Meu pai viajou na maionese e me deu tanta banana no findi. Tudo bem que o meu filho adora banana, mas tenho medo que a nossa capacidade de come-la não vença a capacidade dela de amadurecer, hehehehehe

    1. Tem uma receita de aveia dormida com chia aqui no blog, Andre. Acho que essa combinacao é perfeita. Nunca tinha pensado em usar aveia dormida pra “molhar” salada de frutas, mas achei sua ideia genial.

      Eu congelo bananas justamente por esse motivo. Compro tres quilos por vez (porque é mais barato aqui) e como aqui em casa so tem duas pessoas (no momento so uma), aquela ruma de banana amadurece de uma vez e é impossivel dar cabo delas antes que apodrecam. E banana congelada produz uma vitamina deliciosa, com a consistencia de um milkshake:)

  3. Que legal! Já faz alguns anos que como bananas amassadas com aveia e chá verde como café da manhã… Não tem nada melhor! às vezes acrescento canela e castanhas também, mas a base sempre se mantém.
    Obrigado pela postagem! Vai dar uma ótima incrementada na minha receita.

    1. Essa papa exige um pouco mais de trabalho do que amassar uma banana e polvilhar com aveia ( meu cafe da manha de todos os dias quando estou no Brasil, sem leite de amendoas), mas vale a pena, Joao.

  4. Humm, Sandra!Fiquei com água na boca… A sua receita de aveia dormida é um dos meus pequenos almoços prediletos. Mas como agora está frio por aqui a visão da banana caramelizada é um sonho! Nunca vi farinha de coco a venda por aqui, vou ficar mais atenta!

    1. Esse era exatamente o meu problema, Lina. No inverno prefiro uma papa quentinha, por isso criei mais essa receita. E se nao achar farinha de coco, uma colher de sopa de coco ralado tambem fica muito bom aqui.

      1. Hihihihi. Mas parece que tem farinha de banana verde, tambem (outro super alimento que esta na moda, mas ainda nao pude experimentar). Nao vou mentir pra voce porque voce me conhece desde que eu era menina pequena la em Barbacena e isso seria muito feio. Entao a melhor papa de aveia do mundo é mais decadente (no bom sentido), mais cremosa e mais delicia (mais calorica tambem). Essa papa é mais leve e nutritiva, entao gosto mais de come-la no cafe, enquanto a outra eu prefiro comer no lanchinho:) Respondi?

  5. Excelente sugestão Sandra! Essa técnica de cozinhar banana deixou-me intrigada, deve ficar realemnte boa nas papas 🙂
    E já tinha ouvido falar da farinha de coco, mas ainda não investiguei muito sobre ela, mas agora já tenho razões… E não tenho a certeza se já se encontra nas lojas de produtos naturais em Portugal, mas o açúcar de coco já vi… E já me apercebi que o preço destes produtos naturais extraídos do coco não são nada amigos :p

    Quando estava a ler o teu artigo apercebi-me de uma coisa nas tuas contas. Consideraste o leite de amêndoa como tendo 11g de proteína. Eu imaginei logo que tivesses feito as contas com os valores nutricionais da amêndoa contida na água, numa percentagem de 1/4, certo? Ou seja, à volta de 1/3 chávena de amêndoas. Pois, a minha dúvida é, quando filtramos o leite para retirar a polpa não estamos também a retirar alguma proteína? Porque se não filtrares tenho a certeza que esse valor está correcto, mas se realmente retirares a polpa não tenho a certeza, porque já pesquisei sobre o assunto para fazer o meu artigo de leite de amêndoa e tinha a ideia de que 1 chávena de leite de amêndoa tinha 1g de proteína (segundo a internet), mas como estas informações podem não ser fiáveis, e o método ser diferente, não vou tirar conclusões precipitadas… Mas gostava realmente de saber a tua opinião sobre o assunto…

    Beijinho

    1. Márcia, você me deu material pra refletir! Eu uso 1x de amêndoas inteiras, que tem 30g de proteína (fonte: http://nutritiondata.self.com/facts/nut-and-seed-products/3085/2), e 4 xícaras de água. As vezes não filtro o leite, se for usar somente pra fazer papa de aveia. Então dividi os 30g por 4 xícaras e, como uso 1 1/2 xícara nessa receita, cheguei aos 11g de proteína. Mas muitas vezes filtro o leite e achava que a polpa da amêndoa que sobrava era praticamente só fibra. O seu comentário me fez descobrir que eu estava errada, então fui pesquisar. Não é uma tarefa fácil calcular a divisão de nutrientes entre a polpa e o leite (o que você, como estudante em nutrição, já sabia). Os valores do leite de amêndoas industrializado (que você encontrou na net) não podem ser aplicados aqui, pois não sabemos quanto de amêndoa eles usam pra fazer aquele litro de leite (mas pelo sabor, eles com certeza usam muitíssima água e pouquíssima amêndoa, o que você vê refletido na quantidade de calorias do leite industrializado). Então parece que uma maneira de calcular o valor nutricional do leite caseiro é pesar a quantidade de amêndoas utilizada, em seguida pesar a polpa filtrada, diminuir 20% desse valor (já que a polpa terá aproximadamente 20% de água) e subtrair esse valor da quantidade inicial de amêndoas inteiras. Depois verificar o valor nutricional dessa quantidade de amêndoas e dividir pelo numero de xicaras de leite. Uff! E ainda assim o valor é aproximado, porque uma parte dos nutrientes da polpa vai passar pro leite (especialmente se você usar um liquidificador super potente, como o meu Vitamix). As fontes que consultei parecem concordar que a quantidade de proteína do leite caseiro (usando as quantidades que mencionei) variam entre 3,8 e 4g por xícara. O que é metade da versão caseira não filtrada, mas ainda assim bem superior ao leite industrializado. Moral da história: nunca mais vou filtrar o meu leite de amêndoas. Assim ele fica mais proteinado (e mais fibroso, mas isso eu já sabia) e não vou me deparar com o eterno dilema: o que fazer com a polpa que sobra? Obrigada por ter me feito descobrir isso tudo, Márcia.

      1. Obrigada pelo comentário Sandra! Era exactamente isso que eu queria saber! Por um lado fico contente por não beber leites industrializados porque, e principalmente o de amêndoa não passa de água e açúcar (pronto, às vezes bebo o de soja porque é conveniente quando não tenho muito tempo). Mas os teus cálculos demonstram realmente que a melhor solução é fazer leite em casa e talvez até não filtrá-lo (a não ser que tenham uma solução interessante para a polpa).
        Grandes descobertas no ramo da nutrição por aqui Sandra, não queres ser minha colega de curso? eheh Olha que és bem mais interessada e tens mais conhecimentos do que muitos dos meus colegas de curso! 🙂

  6. Olá! Estou muito feliz em ter encontrado este blog. Estou em processo de me tornar vegetariana e tenho lido muito a respeito… estou indo devagar porque justamente estou nesta fase de adaptação, sinto que uma mudança muito brusca me deixa ansiosa. E como gosto muito de cozinhar (muito, de verdade!) estou explorando todas as possibilidades e fico muito contente de ver que é sim totalmente possível se tornar uma pessoa vegana num país como o Brasil, tão abundante em alimentação.
    Obrigada por compartilhar conosco sua experiência e sabedoria. Vou provar todas as receitas que puder!! rsrs

  7. Olá Sandra! Gostei da idéia de caramelizar as bananas! Tenho alguns pontos pra te falar.. Primeiro: A farinha de coco pode ser feita em casa e a cor dela fica meio amarelada, ocre. Então essa farinha que tu utilizou da França era extremamente refinada! http://pat.feldman.com.br/2011/10/01/farinha-de-coco-caseira/
    Segundo: Você sabe sobre o farelo de aveia? Porque disse que usa em flocos grandes e dá uma triturada, mas te dou uma dica, use um pouco do farelo mais os flocos. Pois o farelo contém muito mais betaglucana e tem o valor calórico impressionantemente menor. E já é um farelo, então.. rsrs Uso em tudo como substituto da farinha de trigo, odeio rs
    Terceiro: Moça, se você ainda não se entranhou no mundo da banana verde, é pra ONTEM!!! hahaha
    É o ingrediente principal na minha cozinha. Absolutamente incrível. Você pode colocar em TUDO, não tem gosto, cheiro, se adapta aos sabores já presentes na receita. Aumenta MUITO as receitas, faz tudo render, além de dar toda uma cremosidade especial. E não preciso dizer sobre os benefícios nutricionais não é mesmo? Riquíssima em amido resistente, além das vitaminas obviamente da banana, protege nossa parede intestinal fazendo com que nossa absorção de nutrientes seja muito melhor.
    Exemplos de receitas em que eu a uso: Essa papa mesmo, que eu chamo de mingau e piro nas criações!, Hamburger de soja, feijão ( siiim, não faz nenhuma diferença!), patês ( como se faz patê sem banana verde?? rs), sopas, smothies, doces, bolos, enfim, onde sua criatividade deixar.
    A farinha ainda não usei pois não pude comprar então também não tenho opinião..
    Você encontra se encomendar na feira um cacho de bananas bem, BEM verdes?
    Não sei, mas de qualquer maneira vou deixar o modo de fazer..
    É ridículo. você lava bem lavado elas com casca e coloca para cozinhar numa panela com água. depois de 15 mn, você tira do fogo, passa uma água fria e descasca. Pegue as bananas ( tem que ser ainda quente!) pica e tritura, seu liquidificador é potente então ponha lá com um tiquinho de leite de amêndoas. Pegue essa pasta e: uma parte eu ponho em potinho e congelo, ponho um pote já na geladeira pra ir usando e o resto por em uma forminha de gelo ai depois de congelado tira e põe em um saquinho.
    Ai é só por em TUDO!!
    Um beijo e as melhores energias possíveis para você!

    1. Que aula, Luana! Muito obrigada pelas super dicas. Desconfiei do refinamento da farinha de coco francesa, mas como disse no post, fiquei confusa porque a analise nutricional é a mesma! Se ela é refinada, não devia ter menos fibra, proteína, etc? Mistério, mistério… Uso farinha em flocos grossos porque acho mais gostoso (deve ser psicologico:) e pra completar não encontro farelo de aveia por aqui… Mas vou dar um pulinho na Europa em breve e procurarei por lá . Lembro de ter experimentado uma vez e não ter apreciado muito a textura e como a quantidade de proteina é praticamente a mesma da minha aveia grossa (que eu adoro com todas as forcas) e que as fibras extras não fazem falta na minha dieta extremamente fibrosa, deixei pra lá . Mas você falou tão bem que vou dar uma segunda chance pro farelo. E agora não vejo a hora de testar a banana verde em casa. Mais uma vez, obrigada por todos esses conselhos preciosos.

    2. Oi Luana, fiquei muito interessada na sua pasta de banana verde e tenho uma pergunta pra te fazer: alguma contra indicação usá-la na alimentação infantil (menor de 2 anos)? Grata

  8. Sandra, sei que chá verde é uma delícia, ainda mais no inverno, quando sentimos falta de coisas quentinhas o dia inteiro. Ele tem propriedades muito legais, só que há um pequeno (grande) detalhe: chá verde/preto/branco, assim como mate e café (e todos os alimentos com cafeína) prejudicam a absorção de ferro e cálcio pelo organismo. Portanto, embora entenda a sua necessidade de algum líquido para acompanhar, permanece esse dilema, já que todas as suas receitas de papas são verdadeiras bombas naturais de ferro e cálcio, e creio ser uma pena desperdiçar boa parte disso.

    Fora isso, adorei a receita!

    1. Ana Paula, obrigada pelo aviso. Eu conheço bem esse problema (a cafeína atraptalhar a absorção do ferro) por isso há muitos anos cortei o cafezinho depois do almoço (que eu adorava), mas acho que uma dieta só é saudável se houver um bom equilibrio entre nutrientes e prazer. Eu tenho a imensa sorte da adorar verduras, leguminosas, frutas, cereais integrais e afins e meu paladar sempre rejeitou fast food e comida industrializada em geral, então nunca foi um sacrifício pra mim comer comida saudável. Minha alimentação diária é composta exclusivamente de produtos vegetais e naturais (absolutamente nada industrializado) e não consumo açúcar (nem branco, nem preto, nem verde). Então acredito que tem espaço na minha dieta pra alguns prazeres não nutritivos, como minha caneca de chá matinal (às vezes tomo café pela manhã e chá à tarde), sem que isso prejudique minha saúde. Se a papa fosse minha única refeição rica em ferro, isso realmente seria um problema, mas tomo sempre o cuidado de consumir outros alimentos ricos em ferro (e cálcio) durante o dia. Na última vez que fiz um exame pra conferir se eu tinha alguma carência, estava tudo perfeito. Mas gostaria de dizer também que respeito quem decide tirar o chá e o café da dieta (ou nunca consumi-los acompanhando o café da manhã). Eu mesma adoro tomar cevada (no lugar do café) e uma infusão de ervas típica aqui da Palestina (se chama Zourat e é uma mistura de camomila, verbena e outras flores) junto com a minha papa:) Mais uma vez, obrigada pela mensagem. Tenho certeza que alguns leitores não conheciam esse problema e sua dica será muito útil.

  9. Muito muito muito bom *-*
    Uma pena que eu não tenha farinha de coco, mas fiz mesmo assim e achei uma delícia… Mas por mim, dividiria a porção com mais quatro pessoas, meu estomago não comporta tanta aveia :c
    E Sandra gostaria de te pedir uma coisa.. Será que você tem como fazer um post (como o das proteínas, soja, b12, etc) sobre cálcio? É a única coisa que me deixa intrigada.. Não como nada de origem animal, e mesmo se comesse, 1000mg de cálcio diário me parece inalcansável ._.
    Obrigada, e parabéns pelo blog que está sempre nos salvando (:

    1. Nossa, Raquel, entao minha barriga deve ser muito grande pois depois de comer a papa as vezes ainda como um paozinho:) Esse post sobre cálcio eu venho planejando há tempos… um dia garanto que ele sai. Por hora, dê uma olhada no comentário deixado por Ana Paula, do blog amorinvoluntario. Ela consegui resumir a questão do cálcio na alimentação e ainda sugeriu um artigo e um livro sobre o assunto. Mas garanto que um dia o post chega:)

  10. Com certeza, Sandra 🙂 Dá pra perceber pelas suas receitas que você é muito cuidadosa com nutrição, então de fato merece certas exceções (muito antes chá verde do que açúcar, né?).

    Raquel Justiniano, essa ideia de que precisamos de 1000mg de cálcio por dia é extremamente relativa. Já foi comprovado em pesquisas que o que importa não é a quantia de cálcio, mas sim, a qualidade da absorção do mesmo. Nesse sentido, foram analisados povos que não consomem laticínios (a maioria dos africanos e asiáticos, por exemplo), e que, mesmo com ingestões baixas de cálcio (300-400mg/dia), nunca apresentavam sinais de osteoporose. Isso se deve ao fato de que o cálcio de origem vegetal tem uma biodisponibilidade maior do que o cálcio de origem animal. Leite e laticínios, muito pelo contrário do que se diz, apenas prejudicam a absorção desse e de outros minerais, como o ferro. Dê uma olhada nesse artigo do Dr. George Guimarães: http://www.nutriveg.com.br/caacutelcio-na-dieta-vegana.html
    E se quiser ir mais além, tanto nas implicações nutricionais quanto éticas do consumo de leite e laticínios, sugiro a leitura da obra recém-lançada “Galactolatria: mau deleite”, de Sônia T. Felipe. Ele só é vendido ao pedir por e-mail, portanto, dê uma olhada na página do Facebook (http://www.facebook.com/#!/GalactolatriaMauDeleite?fref=ts).

    1. Você foi mais rápida do que eu, Ana Paula:) Obrigada por ter respondido, de maneira extremamente justa, a pergunta de Raquel. Estou planejando esse post faz muito tempo e um dia ela vem ao mundo. Mas por hora o seu comentário esclareceu essa questão.

  11. Fiz hoje para o café da manhã. Na verdade a receita totalmente deturpada de tantas modificações kkkk’ Eu usei a banana e canela, bagaço de coco fresco e leite de gado. Meu paladar não se adaptou bem ao sabor dos leites vegetais. Ficou sublime. Acabei fazendo de novo e levando para escolas comigo, as amigas devoradoras de salgadinhos aprovaram.

  12. Nunca na vida tinha comido papa de aveia (fui criada no leite com toddy). Hoje, aos 36 anos resolvi fazer.
    Não tinha banana em casa, então fiz com o leite de amêndoas (que achei estranho o sabor, hahahh), a aveia, canela, linhaça e avelãs. Achei muuuuito sem doce (*paladar super mal acostumado) então coloquei uma colherinha de açúcar e uma de achocolatado (huehuehsuesh, eu sei que isso não é saudável), mas daí eu consegui comer.
    Acho que se eu tivesse colocado a banana, eu não teria achado tão sem doce. Faço vitamina de frutas e tomo sem açúcar (pq o doce das frutas já é suficiente), mas a aveia não tem nem um docinho!
    O bom é que essa papa sustenta bastante!
    Se só deixar a aveia de molho na geladeira à noite não precisa levar ao fogo? É que eu prefiro coisas geladas. *-*

  13. Sandra, fiz hoje pela primeira vez esta marvilha. Eu que tenho o péssimo hábito de comer vendo tv ou internet, tive que interromper TU-DO para apreciá-la completamente em sua deliciosidade 😛
    Obrigada !!

  14. Achei interessante a receita que a Luana deu da pasta de banana, mas vou passar a receita da farinha da
    banana que aprendi: pegue uma penca de banana verde, despenque-a, lave e corte em rodelas bem finas.
    Coloque para secar ao sol durante um dia. Depois de seca, coloque no liquidificador para triturar.Dê uma
    peneirada e está pronta a farinha de banana.

  15. Sandra, fiz a receita com a aveia dormida e por enquanto sem a farinha de coco e foi uma maravilha, resolveu meu problema de saciedade pela manhã.
    Conheci seu blog recentemente e estou adorando, pois tem muita coisa prática que dá para incorporar a uma rotina corrida.Muito obrigada!!

Deixe uma resposta para Andre Cruz Cancelar resposta